Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Fala pessoal! Como vocês estão? Tudo bem? Bem, agora que já sabemos todos os personagens lendários de Fate, só faltava a pancadaria rolar solta, né? Mas hoje tivemos um episódio de poucas lutas, para falar a verdade nenhuma luta. Foi só conversa e algumas coisas que ficaram desentendidas e que serão explicadas no próximo episódio. Não vou dizer para vocês que foi um episódio ruim, foi regular, porém, depois de um episódio 4 como aquele, eu esperava um pouco mais desse.

Mas faz parte de Fate ter um episódio “morno” e depois dar uma aquecida aos poucos, tem muita coisa que precisa ser explicada, principalmente a parte final desse episódio (pós-ending) que me deixou meio: ” WTF”.

Vamos conferir como foi esse episódio então?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Eu achei o início meio intrigante e me deixou com bastante dúvida. O homúnculo que não sabemos o nome (nesse episódio ele se deu um nome) estava desacordado e batendo papo com um dragão que provavelmente é o Fafnir, pois no episódio anterior, o Siegfried se sacrificou dando o coração do dragão para ele. Até aí tá tudo ok. Mas do nada aparece na mão do homúnculo um Selo de Comando; será ele um novo mestre? Ou será que aquilo foi só imaginação? Vamos aguardar para ter certeza disso, mas no meu ver, ele vai ter alguma ligação com a Joana D’Arc, além da proteção que ela prometeu dar a ele.

Astolfo é quem merece todo o destaque!

Nossa querida Joana D’arc soube acolher bem o homúnculo e agora está o ajudando a descobrir o que é viver, mas eu queria deixar claro que quem mais fez por ele, até agora, foi a Astolfo.

Obs: Sei que no anime todos tratam como “o” Astolfo, mas aquela figura fofa é impossível de se referir no masculino, não consigo.

Já era de se esperar “a” Astolfo ser castigada pela facção Black, como ato de rebeldia e tal, mas o que me surpreendeu, na verdade, foi como o Vlad resolveu as coisas, como um verdadeiro líder.

Joana D’Arc se mostra disposta a lutar para proteger o homúnculo

Uma parte interessante: ainda na floresta, a facção Black tentava pegar o homúnculo, até que Joana se mostrou disposta a lutar pela vida dele e não o entregar, então o mestre da Frankenstein pergunta a Quíron se eles teriam chance atacando todos de uma vez a Joana. A resposta de Quíron foi bem clara: Não. Eu não fazia a mínima ideia que a Ruler fosse um servo nesse nível, mas se formos parar para pensar, ela é a juíza, se algo acontecesse ela deveria interferir, então tem até uma lógica ela ser bem forte, mas o que me deixou demasiadamente curioso e espero que consiga ver isso, é Joana utilizando seu Hougu/Fantasma Nobre.

Aquele papinho de sexta-feira a noite, entre Shirou, Aquiles, Atalanta e Karna

Bem, Shirou já sabe que o Saber Black se foi, mas não sabe como. E novamente lá está ele conversando com os servos e como foi dito por Aquiles e Atalanta, eles não sabem quem são realmente seus mestres, tudo está sendo ordenado por Shirou. Isso está realmente estranho.

Já era de se esperar algum nome relacionado com Siegfried

Achei bem legal a parte que Joana estava caminhando com Sieg e fazendo com que ele tenha vontade de viver e tal, contar quem se sacrificou para salvar o homúnculo. Ele resolve se nomear como Sieg, usando parte do nome do seu salvador. Muito bonito, mas também meio clichê.

No castelo da facção Black, Danic conversando com Vlad, o elogia de generoso, o que realmente está sendo, quando o mesmo disse para soltar Astolfo no dia seguinte. Então nós descobrimos algo interessante desse episódio, o mestre da Assassin Black está morto, e eles sabem quem o matou. Com uma mudança rápida de cenário, vemos a Assassin, que deveria ser Black, mas pelo visto não é Black nem Carmesim, junto de uma pessoa que a mesma chama de “mãe”. Ficou aí um mistério sobre isso, enquanto essa “mãe” diz para Jack que elas não devem confiar em nenhuma das duas facções. Mas por que será que elas não podem confiar? Rapaz, próximo episódio a chapa pode esquentar, sabem por quê? A facção Black está se organizando e indo para Sighsoara, e não só eles, mas Sisigo e Mordred recebem uma carta para também irem a esse local que é onde o Jack Estripador apareceu. Vai ser bem interessante o próximo episódio, assim espero.

Mas será que sua invocação não deveria ter sido assim mesmo? Será que o cálice planejou tudo isso? #Dúvidas

Outra coisa interessante: Joana D’Arc revela que foi invocada pelo Cálice e não por um mestre, ao contrário dos outros servos, quando respondeu a pergunta de Sieg de como ela sentiu fome, já que deveria ser uma serva como os outros. Na verdade ela possuiu o corpo de uma francesa, chamada Letícia, durante suas orações (se lembram do primeiro episódio, bem no finalzinho?). Fate é assim galera, as coisas vão se explicando aos poucos e vira e volta temos que lembrar dos episódios anteriores para conseguirmos concluir o raciocínio do que aconteceu ali. Outro ponto importante é a parte que ela diz que há algo de estranho nessa Guerra, até porque a invocação dela falhou e ela acha que talvez não tenha sido invocada para ser a juíza e sim para outro propósito. Será que ela deveria ganhar a guerra? Seria interessante isso hahaha!

Joana se despede de Sieg, deixando-o em uma fazenda com um senhor. Ela tenta alegrá-lo, pedindo para ele sorrir, achei bem fofo. Sieg até faz um esforço para isso, porém seus sentimentos ainda são muito “crus”, então ele não sabe muito bem dessas coisas, afinal de contas, ele é um ser criado artificialmente. Na despedida deles também veio algo interessante. No momento em que Sieg pergunta se verá a Joana novamente, ela diz que não, pois ele pertence a uma vida de paz e ela ao campo de batalha. Será mesmo? Óbvio que não! Hahaha!

Como a Joana mesmo diz para si mesma, ela mentiu. Ele deve lutar, porém ela não sabe o motivo, mas sabe que esse é o destino dele. Alguém tem algum palpite?

Acho que a legenda poderia ser assim: “Passa tudo mermão, sou ganancioso mermo” By: Shirou Carioca. Hahaha!

Olha, eu já não disse desde o primeiro episódio que tinha algo errado com Shirou? COMPROVADO!

E nos segundos finais ele aparece reunido com os outros mestres, dizendo que a guerra do cálice já acabou. WTF?! E pra piorar, ele diz que, como foi combinado, pegará o selo de comando deles! Rapaz, tem alguma coisa suja por trás disso e não é pouca coisa. Aparentemente os mestres estão meio que sendo controlados por Shirou, será? Tenho leves suspeitas daquele jarro no meio da mesa que está soltando um vapor e tal. Acho que Sisigo fez bem de não ter se juntado com o restante da facção. Será essa a primeira vez que um mestre terá controle de todos os servos assim? Vamos aguardar e ver o desfecho no próximo episódio!

O que acharam desse episódio? Pouca ação, né? Mas deixou aquele suspense no ar e conseguimos tirar várias dúvidas que estávamos e também conseguimos criar mais um monte de dúvidas! Hahahaha! Adoro esse jeito Fate de ser.

Um forte abraço a todos e até a próxima!

Sayonara!

Comentários