E eles se divertiram

A temporada de outubro frequentemente é considerada uma temporada boa, ou pelo menos, uma temporada de estreias de peso. Sobre as estreias de peso sem dúvida que houveram. Mas a qualidade geral da temporada (avaliando pelos animes que assisti, naturalmente) não foi tanta quanto eu esperava que fosse. Fiquei um pouco frustrado sim. Apesar disso, não foi uma temporada ruim. Nesse texto exponho minha opinião final sobre os animes que terminaram nessa temporada e minha opinião parcial sobre os que continuam. Teço ainda alguns comentários sobre os animes que abandonei e sobre a enquete que realizei com os visitantes do blog sobre quais terão sido os melhores animes da temporada.

Ler o artigo →

Ronja ajuda a mãe com a roupa suja

Outro episódio de ligação. Já estou até acostumado. O episódio se passa no final do inverno, com a neve já derretendo, e no final começa a primavera e Ronja volta a saltitar feliz na floresta. Lá ela reencontra Birk e o episódio acaba. Se eu fosse falar sobre o que objetivamente aconteceu nesse episódio um parágrafo seria suficiente. Mas vou fazer como eu faço com frequência e usar o que vi nesse episódio como um gancho para um tema maior que o anime pode estar explorando propositalmente ou não. Assistindo esse episódio, não pude me livrar da sensação de que Ronja, embora tão forte (ela carrega pedras!) e corajosa quanto o Birk, um garoto de sua idade, está cada vez mais executando funções femininas. E sendo um anime infantil com uma criança como protagonista e seu crescimento como tema principal, não posso evitar ligar uma coisa com a outra: Ronja está crescendo para ocupar invariavelmente um lugar já reservado para ela desde que nasceu mulher.

Ler o artigo →

Os momentos finais de Amira em sua despedida de Favaro

No começo minha expectativa era baixa com Shingeki no Bahamut. Na verdade até duas semanas antes do início da temporada eu não tinha a menor intenção de assisti-lo. E eu começo a decidir os animes que vou assistir tão logo saiam as primeiras tabelas de lançamentos da próxima temporada (normalmente no meio da temporada anterior). Eu chegava na parte “card game” e nem lia o resto. Aí li um guia que disse algo que me chamou atenção (e que eu já devia ter percebido): era do estúdio MAPPA, o mesmo que estava produzindo então Zankyou no Terror, um anime que eu gostei muito da temporada anterior. Depois assisti o primeiro trailer e me convenci a assistir. Ainda assim, a expectativa era apenas mediana, afinal continuava sendo um material derivado de um card game online. Veio o primeiro episódio, e os seguintes. Bom, o histórico está aí, qualquer um que tenha me acompanhado nessa jornada sabe o quanto me impressionei e gostei do Bahamut. Minhas expectativas subiram mais alto que o céu. Será que ele teve um final à altura de tanta expectativa?

Ler o artigo →

Tomoyo e Chifuyu choram o fim da temporada

Última semana? Três meses com só onze semanas? Na verdade eu comecei atrasado mesmo. E mesmo esse artigo está um pouco atrasado. De todo modo, não seria muito diferente disso mesmo sem pular semana nenhuma. Nessa semana assisti menos da metade dos animes que normalmente assisto, porque todos os outros terminaram. Bom, todos os outros não, alguns não passaram por causa da época do ano e Garo nenhum fansub quis fazer o episódio 13 ainda. Assim que fizer o artigo sobre o último episódio de Shingeki no Bahamut (nesse artigo ainda aparece o penúltimo) penso em escrever outro com a classificação e considerações finais sobre todos os animes que terminaram nessa temporada. Só os que terminaram, pois não teria sentido considerações finais sobre algo que não finalizou ainda.

Ler o artigo →

Imagem de comida é mais interessante que essa temporada de Fate/Stay Night na média

Quando comparado com desastres da temporada, Fate/Stay Night não foi tão horrível. Mas quando comparado aos melhores foi um desastre. Teve um ou outro bom momento, a Rin e o Archer são personagens interessantes (só eles, sério, os demais são todos sem graça), é sem dúvida bem animado, mas faltou alguma coisa. Me corrijo: faltou muita coisa. Qual foi a história que esses treze episódios (o primeiro foi um episódio zero), com duração total de dezesseis episódios (os dois primeiros e o episódio final tiveram duração dupla), contaram? Um moleque sem graça tinha uma vida absolutamente normal até ser morto por heróis mortos-vivos ressuscitados pelo Cálice Sagrado. Aí ele próprio é ressuscitado e quando estava para ser morto novamente ganha sua própria morta-viva para salvá-lo, e dizem que ela é a mais forte de todos. O que conforme outros mortos-vivos aparecem parece ser uma mentira, já que ela não venceu nenhuma luta que travou, seus melhores resultados foram empates. Minto, ela venceu contra o Berserker, mas duvido que tivesse conseguido sem o Archer junto. O moleque se alia com uma outra maga muito mais interessante que ele para derrotarem um inimigo em comum e quando finalmente batalham contra ele têm seus traseiros servidos para eles em uma bandeija. Por isso, suponho, decidiram ir a um parque de diversões, e quando retornam são novamente humilhados e o moleque perde sua morta-viva. Entre uma batalha e outra (e foram poucas e rápidas) eles matavam o tempo conversando sobre as mesmas coisas de novo e de novo. Fim. E todos viveram entediados para sempre!

Ler o artigo →

Ronja dá pão para Birk, seu "irmão"

É curioso como crianças podem mudar de opinião e atitude tão rápido, não é? Em contraste, não é nada engraçado como eu demorei a retomar os artigos diários de acompanhamento de episódios dos animes, mas prometo que agora tudo ficará bem. Voltando à Ronja, antes ela odiava as vísceras de Birk, agora sente sua falta e gosta dele o suficiente para saber que está afrontando diretamente a vontade de seu pai mas não se importar e agir escondida por causa disso. Parece óbvio à primeira vista que ela tenha mudado de opinião já que o ódio que ela tinha era completamente infundado, induzido a ela pelos mais velhos, mas não é tão simples assim. Adultos, ou mesmo adolescentes, já somos presos demais as nossas concepções de mundo pré-estabelecidas e com frequência nos recusamos a mudar mesmo diante de evidências de que estamos completamente errados. Crianças, no entanto, não têm essa dificuldade. Em um anime infantil essa é uma mensagem bastante adulta.

Ler o artigo →

Kaisar caindo. Apenas uma das várias vezes no episódio 11

Esse episódio foi continuação direta do anterior. Batalhas para todos os gostos, anjos mortos, os heróis fazendo o que podem, e no final parece que o Bahamut despertou mesmo. Bom, era de se esperar que ele despertasse, nesse tipo de história o Grande Mal sempre retorna, não importa os esforços dos mocinhos para impedí-lo. A graça está em ver o que vai acontecer agora, como eles vão derrotá-lo. Com um pouco de sorte o Bahamut mata Martinet, Belzebu e Lavalley antes de ser derrotado, esse é outro clichê comum em histórias assim e eu não me importaria caso isso acontecesse. Mas a consequência de um episódio tão direto assim é que não tenho muito a falar sobre ele. Vou tentar listar os fatos importantes que aconteceram e revelações feitas, com comentários onde achar pertinente.

Ler o artigo →