Se "tudo" significar "nada", então está mesmo "tudo" bem

E começou o muito aguardado arco do conflito pessoal da Asuka! E começou com tudo hein? É como se toda a pressão acumulada desde a primeira temporada tivesse explodido de uma vez só na forma de um tapa na cara. Não que a Asuka fosse ficar para sempre na banda do clube do Colégio Kitauji, por razões óbvias, mas ainda assim o fim para ela está sendo certamente mais dramático do que seria para qualquer outra pessoa ali.

Sendo justo, sua mãe não está de todo errada em seu raciocínio, e só consigo discordar mesmo é de seus métodos. Mas eu já fui adolescente e ai!, sei que essa é aquela fase da vida em que a experiência de nossos pais pouco ou nada vale. Ainda sob suas asas já começamos a querer escolher nossos próprios caminhos, e isso é sempre receita para conflitos!

Ler o artigo →

Abandonar a música? Essa tempestade vai ser difícil de debelar

Eu disse que o próximo conflito seria da Asuka, não disse? Bom, vá lá, isso era previsível. O conflito dela está em gestação desde a primeira temporada e nessa segunda vem se tornando mais aparente a cada episódio que passa. Como uma brisa que vira vento, um vento forte que não para, seguido de um céu que escurece e enfim a tempestade. Não é preciso ser exatamente o Cacique Cobra Coral para prever uma chuva dessas.

Mas não era tão óbvio assim que esse evento ocorreria em paralelo ao conflito da Mamiko, a irmã mais velha da Kumiko. Pois eu cravei que as duas coisas disjuntas tinham tudo a ver ao final do arco da Nozomi e da Mizore. Lá eu disse:

Desde a primeira temporada que vemos o quanto a Asuka se esforça e como parece haver um futuro sinistro à sua frente. Ela já é uma terceiro-anista, afinal. Terá que abandonar a música? Por causa da família? Muito provavelmente. Agora, pare e pense em outra personagem que é mais velha que a Kumiko, que já foi musicista mas desistiu, e que tem relacionamento tenso com sua família.

Não estou exatamente querendo me gabar (talvez só um pouquinho?), até porque esse episódio foi meio que apenas um interlúdio, nem começou o conflito direito, então ainda pode ser diferente do que eu estou imaginando, e também porque não era exatamente a coisa mais imprevisível do mundo. Faço isso para juntar as pontas, para retomar esse tema. Se bem que, como esse episódio, irei fazer primeiro um interlúdio (que talvez tenha muito a ver com o enredo principal).

Ler o artigo →

Adorei essa garota, hahaha!

Eu queria colocar um link aqui para você ouvir a música do episódio enquanto lê o artigo porque ela é incrível, não é? Mas isso não é possível. Pesquisando, descobri que não é nenhuma peça pré-existente ou coisa assim, mas uma composição criada especialmente para o anime. Sensacional, não é? Dentro da história do anime, é uma peça criada pela compositora fictícia Namie Horikawa, e foi criada na realidade pelo compositor da trilha sonora de Hibike! Euphonium, Akito Matsuda. A tradução de seu título em japonês é o título desse artigo: Dança da Lua Crescente (三日月の舞 – Mikazuki no Mai).

E a KyoAni finalmente fez isso, não fez? Um episódio totalmente dedicado à música. Teve lá as cenas anteriores, mas foi tudo apenas para entrar no clima do grande espetáculo que foi a execução musical, sem nenhuma interrupção (odeio animes musicais onde personagens aleatórios ficam me explicando o que eu deveria estar sentindo; ora, calem-se e me deixem ouvir a música e sentir por mim mesmo!). Para não deixar dúvidas de que aquilo era o importante do episódio, o encerramento tocou logo em seguida. Depois retornou e teve a premiação, mas isso era favas contadas já, não é? Ou acha que havia qualquer possibilidade do Kitauji, no meio da segunda temporada, ser eliminado? Ora, é claro que não. Foi uma situação completamente diferente do final da primeira temporada, onde por improvável que fosse, ainda havia uma pequena chance de que saíssem derrotados. Então a música esteve misturada a um enorme drama e tensão. Agora não. Esse episódio serviu apenas para curtirmos a melhor música e a melhor animação de que o Kyoto Animation é capaz em um anime para TV.

Ler o artigo →

O oboé e a flauta

Nozomi e Mizore. A extrovertida e a introvertida. A pró-ativa e revoltada que foi uma das responsáveis (ou a grande responsável?) pelo êxodo do ano passado e a esforçada silenciosa que nem percebeu o que acontecia ao seu redor. Sopro de metal e sopro de madeira. Outras comparações entre os instrumentos que eu não tenho conhecimento suficiente para fazer. Duas grandes amigas. Uma dolorosa separação.

E apesar do título e dessa introdução eu vou falar mais sobre a Kumiko e a Reina nesse artigo do que sobre a Nozomi e a Mizore. Porque no final das contas, o drama dessas foi usado pelo enredo e em alguns momentos entendido pela própria Kumiko como uma comparação válida para a sua relação com a Reina. Artigo atrasado, episódios acumulados, mas pelo menos temos o benefício de eu poder tratar do arco inteiro de uma vez só, não é?

Ler o artigo →

Elas voltaram!

Mais primeiras impressões, mais segunda temporada! Um dos melhores animes do ano passado, na minha opinião, foi Hibike! Euphonium, e ele acabou de forma perfeita para ter continuação. Assim, não foi surpresa quando saiu a notícia de que haveria uma, mas mesmo assim não pude evitar a euforia ao saber da notícia! E demorou, mas chegou: mais Hibike! Euphonium. Como no ano passado, irei escrever artigos semanais sobre seus episódios.

Euphonium 2 começa exatamente de onde Euphonium 1 havia parado, a final do concurso de bandas de Kioto. Nesse clima de vitória que instilou uma nova ambição e sensação de responsabilidade nos membros da banda, os ensaios recomeçaram e a sombra dos eventos desastrosos do ano passado da banda (cronologicamente antes da história do anime) ressurge conforme um membro que havia abandonado o clube ressurge e implora para retornar. Interesse? Não, ela diz, e pareceu muito sincera, que quer apenas ajudar. Assim, o primeiro grande conflito da banda marcial do Colégio Kitauji está posto!

De outro lado, as protagonistas Kumiko e Reina estão mais próximas do que nunca, para enlouquecer os corações de certa fanbase 😉

Na continuação do artigo, uma galeria de imagens do primeiro episódio de Hibike! Euphonium 2, que foi um episódio de duração dupla!

Ler o artigo →