PhantomWorld13_6

Chegamos ao último episódio de Myriad Colors Phantom World! Esse anime com uma linha narrativa mais inconstante do que sonâmbulo dançando Macarena (what…?), e que começou a temporada investindo em comédia nonsense, depois deu sinais de que poderia evoluir para uma temática mais séria, então desandou a usar fanservice e episódios que não levavam a lugar nenhum. Somente em uns dois episódios antes de entrar nesse arco final é que o anime finalmente começou a acertar em seu roteiro e voltou a parecer realmente interessante.

Gostei de verdade de seus personagens, pois são todos muito carismáticos e de fácil identificação pessoal. Sobre a parte técnica, como sempre, KyoAni não decepcionou e entregou um espetáculo visual: cenários maravilhosos, animação fluída e cenas de ação impecáveis! Porém, esses fatores isolados não garantem o sucesso de um anime… E esse roteiro construído de forma totalmente desleixada, só conseguiu diminuir a aceitação do público a cada episódio exibido.

De um modo geral, Phantom World foi um anime bem abaixo da média. Seu arco final entregou dois episódios empolgantes e bem construídos que conseguiram dar uma nova vida ao anime. Mesmo assim, os minutos finais ainda deixaram um gostinho meio amargo na boca de quem esperava ver uma conclusão mais criativa e aberta.

Ler o artigo →

PhantomWorld12_11

A história de Phantom World finalmente entrou em um arco! Todos comemoram!!! \o/ E fez isso de uma maneira tão incrível que me arrisco a dizer que esse foi simplesmente um dos episódios mais empolgantes que vi nessa temporada inteira!!! (E juro que tentei, mas não estou conseguindo conter os meus pontos exclamação… desculpa! Hehe). Aconteceu tanta coisa nesse episódio e em nenhum momento elas pareceram intempestivas, pois todas faziam parte de um desejo que eu tinha desde quando comecei a acompanhar esse anime! Como por exemplo: ver um Phantom utilizando seus poderes para propósitos malignos! Todos os Phantons que tínhamos visto até agora, não faziam mal aos humanos e quando suas atitudes colocavam alguém em risco, era geralmente por alguma coincidência, afinal sua intenção inicial sempre possuía um caráter totalmente inocente. Além disso, tivemos uma resposta concreta sobre a utilidade daquele dispositivo misterioso (que vem aparecendo desde o segundo episódio…); houve uma explicação mais completa sobre o que é um Phantom; e ainda uma bela “deixa” para nos estimular a especular sobre a existência da Ruru!

Se você, assim como eu, passou o episódio inteiro repetindo mentalmente: “Isso! Era exatamente isso que eu queria ver!”. Sinto muito estragar o seu momento de emoção, mas devo lembrá-lo que o próximo episódio já é o último. É… eu sei… revoltante, né?! Por que não começaram esse arco pelo menos na metade do anime?! Se não possuíam material suficiente da light novel ainda, por que não deixaram para produzi-lo em outra temporada?! Parece que alguém errou feio no planejamento… Apesar disso, esse episódio mostrou que o anime tinha potencial sim para estar entre os melhores da temporada! Isso se tivesse sido adaptado da maneira correta, é claro. Bom, o que fazer agora? Dizer: “mal feito, feito!” e fingir que os outros episódios vão sumir da memória do público, e então vai todo mundo ajudar a alavancar as vendas e implorar por uma continuação?! Hum… não sei não ein. Só sei que eu não deveria estar me preocupando com isso agora e que temos muita coisa bacana para analisar nesse episódio, então chega de enrolação e vamos ao que interessa!

Ler o artigo →

PhantomWorld11_10

Phantom World realmente parece estar se redimindo em seus últimos episódios! Isso é tão formidável que nem consigo mais criticá-lo por sua falta de foco em uma linha de enredo central ou por qualquer um dos “problemas” que tanto apontei no decorrer da temporada. É claro que essa redenção de que falo não significa que o anime agora está incrível, mas é inegável a superioridade do conteúdo que Phantom World tem nos oferecido nas últimas semanas, se comparado com o que estávamos nos acostumando a ver. Talvez essa evolução não seja o suficiente para deixar o público empolgado para uma possível continuação, mas já é uma doce recompensa para quem não desistiu dele até agora.

O episódio em questão surpreendeu por vários motivos, mas o principal deles foi ter usado as frustrações de infância do Haruhiko para desenvolver a Mai. Através disso, vimos ser criada uma proximidade emocional entre os dois personagens e ainda ficou em evidência uma bela metáfora sobre a importância de se desprender de seus fantasmas mentais.

Ler o artigo →