Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

O Mao sobreviveu àquele fuzilamento! E como ele disse, a medicina britanniana é mesmo incrível, considerando o pouco tempo que ele levou para receber alta, ainda que continuasse cheio de ataduras, gesso, e andando manco. Mas não importa, ele só esteve no episódio 16 para revelar o passado de Suzaku.

O Toudou, por sua vez, foi condenado à morte. E claro que sobreviveu. Me impressionou que a execução de um condenado de tão alto nível estivesse tão mal protegida. Achei que a Cornelia fosse estar lá. Onde ela foi, se não estava no complexo penitenciário onde dar-se-ia a execução, nem ao lado de sua irmã na inauguração do Museu do Clovis? Bom, outra pergunta retórica, já que isso também não importa: Toudou só esteve no episódio 17 para mostrar o caminho para o futuro de Suzaku.

E o Lelouch? Bem, o Lelouch…


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


O amigo de infância do filho do último Primeiro Ministro japonês estava presente nos dois momentos – no primeiro como Lelouch, no segundo como Zero. É sem dúvida muito conveniente que ele esteja “assistindo” a essa parte do anime junto com o espectador. Lelouch agora sabe muito mais sobre o Suzaku do que o Suzaku sabe sobre o Lelouch, quebrando a simetria entre os dois personagens – algo grande está se aproximando na história? Acho que sim. O Suzaku irá descobrir a identidade de Zero? Pouco provável, não consigo imaginar de que forma ele poderia saber da identidade do Zero e ao mesmo tempo manter seu segredo. A não ser que seja expressamente ordenado por Lelouch que não o faça? Seria um desperdício de ordem melhor, mas é possível. Continuo achando improvável. Tem o resto dessa temporada e mais outra temporada de igual tamanho inteira pela frente e o segredo sobre a identidade do Zero é um dos elementos mais importantes do anime. É cedo, muito cedo.

Lelouch descobre a verdade sobre a morte do Primeiro Ministro, pai de Suzaku

Sobre o passado do Suzaku: ainda criança, depois de testemunhar os horrores da guerra, ele matou o próprio pai para impedir que a insana ordem de resistir até a morte fosse executada. Ele era uma criança, então naturalmente seria impossível ocultar tudo sozinho, e aí entram em cena outros adultos que ajudaram a ocultar a verdade. Suzaku fica exageradamente aliviado quando Lelouch oferece esse raciocínio a ele, o que me faz pensar que o assassinato não foi algo totalmente impulsivo, surgido da mente de uma criança naquele momento, mas algo que já havia sido sugerido a ele. Se havia uma facção extremista, certamente havia também uma moderada. Ainda hoje há facções no Japão, com os parceiros mais próximos ao Toudou fazendo questão de afirmar explicitamente que eles não são nacionalistas. Mais nessa mesma nota, pelo menos um colaboracionista, um industrial japonês que continua fazendo crescer sua fortuna mesmo sob jugo britanniano, faz parte da alta cúpula da famosa organização de Quioto.

O pai de Suzaku podia ser um extremista, mas o extremismo sem dúvida estava longe de ser uma unanimidade. Quão fácil seria para uma raposa velha soprar nos ouvidos de Suzaku que, não havendo outra forma de convencer seu pai, melhor seria se ele morresse? Talvez até tenham lhe dado o punhal que mais tarde usaria para cometer o parricídio? Claro que tudo isso muda muito pouco a culpa objetiva que o Suzaku sente por ter com efeito matado o próprio pai, mas subjetivamente seria um conforto e tanto. O suficiente para ele se recompor tão logo o Lelouch o lembre que o filho não é o único que sabe e esconde a verdade sobre a morte do pai.

O terror na face de Lelouch ao descobrir que seu mais feroz inimigo sempre foi seu mais dileto amigo

Sobre o futuro do Suzaku: bem que Lelouch queria que seu amigo japonês se torna-se o fiel protetor de sua irmã Nunnally, mas ele ainda está longe de deter o poder sobre o destino de todos em quem deita seus olhos. E a revelação de que Suzaku era o cavaleiro do Lancelot caiu como uma bomba em Lelouch, que sentiu-se traído. Traído exatamente pelo quê? Ele já sabia que Suzaku era um soldado do exército britanniano. Por improvável que fosse, sempre haveria de existir a chance de um dia tê-lo de enfrentar em campo de batalha, e não porque o Suzaku tenha o traído mas sim porque ele, Lelouch, escolheu confrontar o … exército britanniano. Ocorreu de não só ele já tê-lo enfrentado como ele ser o bom piloto do excelente Lancelot, que tantas vezes já o enfrentou e frustrou seus planos. Suzaku sem dúvida não espera que Lelouch esteja lutando contra o Império também. Quem está traindo quem? Mas a reação imediata de Lelouch é absolutamente compreensível e talvez tendo tempo para isso ele fosse capaz de entender a situação de Suzaku. Tempo que, contudo, ele não terá, já que Suzaku foi nomeado cavaleiro pessoal da princesa Euphemia.

Pelo menos a minha profecia começou a se cumprir, hein? Está lá no item 4:

  1. Ele [Suzaku] vai conseguir essa audiência. Ou talvez não, mas mais importante do que isso, por já ser conhecido da princesa e reaparecer nessa hora conveniente ele irá se tornar o Cavaleiro dela [princesa Euphemia].

Só inverteu as coisas, pelo visto. Achei que a audiência fosse reaproximá-lo da princesa, mas a reaproximação está acontecendo por outro motivo, conforme visto no episódio. E a partir daí talvez ele consiga essa audiência. Mas bom, não quero contar vantagem sobre isso porque era o item mais óbvio de todos os que especulei. Sério, não consigo imaginar que houvesse qualquer outra alternativa senão o Suzaku tornar-se o cavaleiro de Euphemia. Prosseguindo.

Suzaku ainda estava abalado em sua convicção porque, bom, na verdade ele sempre foi meio abalado em sua convicção, mas estava um pouco mais abalado do que de costume depois de Mao lembrar-lhe que matou o próprio pai. Então Toudou, que convenientemente foi seu mestre em artes marciais, algo que provavelmente o qualifica como a figura masculina mais importante para o jovem Suzaku após o próprio pai, veio ao resgate. Como um bom “samurai”, ele disse a seu ex-pupilo, com outras palavras, que independente do que acredite, Suzaku deve colocar tudo de si se almeja alcançar qualquer coisa. Toudou naturalmente discorda de Suzaku, e Suzaku discorda de Toudou, mas como bons japoneses que são (coisa que Lelouch não é então a chance dele entender Suzaku é nula), eles podem respeitar um ao outro enquanto estiverem dando o máximo de si em suas lutas particulares por aquilo que acreditam justo.

Há uma série de outras considerações que eu poderia fazer mas o artigo já está grande e tenho certeza que terei outras oportunidades para abordar esses assuntos. Talvez nos comentários, se algum me provocar a tanto. Até o próximo artigo! Ah, e leia também o artigo da Chell do Not Loli! sobre a série Code Geass. Eu não li porque não quero spoilers, mas tenho total confiança de que um artigo da lavra dela tem de ser muito bom! E ela foi muito gentil em mencionar essa série de análises de episódio que estou escrevendo sobre o anime e mais ainda por achá-la ótima, hehe, então me sinto obrigado a retribuir sua gentileza =)

Adoraria falar mais sobre essas duas irmãs, por exemplo. Mas ainda não é a hora disso.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Ainda quero escrever um artigo inteiro focando na humanidade do Lelouch (e do Suzaku, mas principalmente do Lelouch). O poder dele e o fato dele ficar cada vez mais isolado e maluco podem fazer parecer que ele está perdendo sua humanidade, mas acho que está bem longe de ser o caso. O mesmo vale para a C.C., que demonstrou no episódio 16 profundo arrependimento por tudo o que faz quando matou o Mao.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

Comentários