Esse episódio de DanMachi foi bem acima da média, hein? Além dos confrontos empolgantes com participação da Família Loki, ainda tivemos momentos dramáticos e surpreendentes, se tornando uma verdadeira montanha-russa de emoções. Só diria que faltou um pouco de coragem no final.

O anime me surpreendeu já na cena inicial. Depois que Dix conseguiu fugir da última luta com Bell, imaginei que ele encontraria um jeito de ficar mais forte para conseguir uma revanche, mas a série acabou indo por um caminho que não esperava. Logo no começo ele deu de cara com o Minotauro negro Asterius e simplesmente foi morto. O efeito surpresa funcionou muito bem aqui, e também acho um bom fim para o personagem. Lembrando que ele é descendente de Daedalus que, na mitologia, construiu um labirinto para – adivinha? – um minotauro.

Asterius ainda voltou a aparecer em seguida, enfrentando Ais, uma das mais habilidosas da Família Loki. No último episódio tivemos aquela tensão sobre o que aconteceria, mas o anime soube tirar o foco do protagonista e criar novos problemas para Ais e companhia. Seu confronto com Asterius foi um dos pontos altos do episódio como um todo, mas destaco também a amazona Tiona enfrentando o golem de adamantite de Fels.

Cool Girls Don’t Look at Explosions

De toda essa sequência, fico curioso sobre para onde Gareth levou Ikelus e o que vai acontecer com ele. Além disso, queria saber como será a dinâmica entre Asterius e os outros Xenos. Até agora nunca os vimos interagindo, certo?

Já um dos principais momentos do episódio foi Bell agindo como um tolo – pra variar. Aquela desculpa de “essa vouivre é minha presa” não colou nem um pouco pra ninguém. Foi a coisa mais esfarrapada que ele já disse. E depois ele foi capaz de atacar outros humanos só para proteger a Wiene, o que nos leva à discussão de até onde o personagem iria para defendê-la. Pelo que vimos aqui, ele seria capaz de ferir outros aventureiros.

No fim, achei extremamente corajosa a decisão do anime em matar Wiene depois de toda essa tensão. Gostei desde a forma como ela foi cercada até a pessoa que a matou – o capanga de Dix que ficou vivo. Além disso, a despedida de Wiene com Bell foi muito emocionante, sendo um dos momentos mais bonitos até agora. O problema foi o anime decidir ressucitá-la logo depois.

Vamos lá, desde quando Fels é capaz de fazer aquilo? Já é a segunda vez que o personagem surge com uma magia do nada pra ajudar o protagonista. Ele diz que foi a primeira vez que conseguiu usar essa habilidade, mas não foi um pouco conveniente demais?

O anime até poderia trazer Wiene de volta. Acredito que o maior problema aqui foi o timing. Poderia explorar a raiva que Bell sentiria após a garota ter morrido, como isso afetaria toda a relação dele com os outros personagens e, quem sabe, usar a joia na testa para revivê-la, daqui a alguns episódios. Do jeito que aconteceu foi um tanto quanto anticlimático.

  1. Avatar

    Não vi a ressuscitação de Wiene como anticlimática. Eu até pensei que ela poderia voltar à vida mais adiante na Dungeon, mas o fato é que a cena foi lindíssima e surpreendente, com o caveira (esqueci o nome do personagem aqui), se destacando, e de certa forma mostrando para o que veio. E depois disso, Bell demonstrou que não é mais o mesmo. Sua postura pensativa, enquanto falava com os Xenos, era de alguém desiludido. Parecia um momento “Eren Jeager na praia”. Falta pouco pra ele meter a porrada em todo mundo, inclusive numa princesa que se acha. Pois é.

Comentários