Nessa história diversos corvos começam a agir de forma estranha, como que obedecendo ordens de alguém, ou quem sabe até de algo. Seus objetivos são muito claros, invadir casas onde pássaros se encontram presos e libertá-los um a um.

Causando assim caos pela cidade e até mesmo ameaçando a segurança de diversas pessoas. Ainda mais estranho é o fato de que um humano os ajuda nessa empreitada. Sim, pela primeira vez nesse anime temos um humano como inimigo.

Ler o artigo →

Depois de enfrentarem sua primeira batalha como quarteto e indo satisfatoriamente bem, a história vai se encaminhando para sua última batalha, mas não sem antes jogar outra dose de preocupação em cima dos protagonistas, para tornar esse momento conclusivo ainda mais tenso do que já é. Como será que vai estar o coração desse povo até o fim dessa campanha pela expedição?

Ler o artigo →

Esse episódio virou o anime 360 graus para mim e sabe que eu adorei isso porque assim Ousama Ranking soube explorar algo para o qual já havia demonstrado potencial em seus dois primeiros episódios introdutórios, a aventura, e o caminho tortuoso dela para ser mais exato.

O rei morreu, o coitado já estava com um pé na cova mesmo, e deixou a coroa para seu primogênito, mas uma manobra política relegou o Bojji as sombras, tornando-o um belo candidato a aventureiro, aventura esta que virá para expandir os horizontes do herói e torná-lo digno do trono?

Ler o artigo →

Não é fácil para a Irina lembrar que os pais foram queimados vivos na sua frente, ainda mais quando toda sua comunidade foi dizimada junto e que mais uma vez ela é violentada por humanos, ainda que, como havia comentado no último episódio, ela tenha entrado nessa por querer.

Em protesto a barbárie humana não me alongarei em comentários sobre a primeira parte do episódio, ao menos ao que se refere aos humanos, até porque não tem muito o que acrescentar. Eles seguem vendo a Irina como uma cobaia, são cretinos, merecem alcançar o espaço só depois.

Ler o artigo →

Depois de aparentar estar bem consigo mesma e ter avançado em relação a seu passado no Gama Gama, além das suas questões pessoais, a Kukuru entra em um estado de quebra, sobrecarregada com as pressões que sofre no trabalho, mas também pelo peso de não poder trabalhar com seus amados animais.

A soma disso tudo trás de volta a superfície o lado mais frágil e incerto da garota, que mais uma vez volta a sofrer com os rumos da sua vida. Entre ela mesma, seu chefe descuidado, os avós e os amigos do peito, como será que ela vai sair de seu dilema?

Ler o artigo →