Elena é a verdadeira heroína desse anime e não a Clair, mas você ainda não está pronto para essa conversa, até porque nem eu estou, apesar de achar que em algum momento (seja ainda no anime ou só no mangá) possa ser coerente afirmar isso daí. A verdade é que muito convenientemente o Shuichi não recuperou memória de porcaria nenhuma, mas, em compensação, ainda assim, foi um bom episódio, deu parar tirar alguma coisa dele.

Ler o artigo →

Shinako trollou ou surpreendeu um total de zero pessoas? Acho que nem um nem outro, mas é unanimidade que ela é uma idiota, né? Daquelas que só o amor pode criar. Não que esteja apaixonada, mas é até por isso que é uma boba, e também uma fofa. Por outro lado, a Haru segue sua jornada de sofrimento, quase que gritando “me nota senpai” no meio da rua. Já o Rikuo pensa mais na foto perfeita que em alguém para fotografar.

Todos estão vivendo suas vidas, se focando em coisas diversas. O Rou mesmo, esse já mais esquecidinho, só apareceu no final após um árduo dia batalhando por um de seus objetivos na vida. O Rikou caiu fora da loja de conveniência para fazer o mesmo e as moças, bem, só eu tenho a impressão de que as mulheres se deixam afetar mais pelo amor? Foi a impressão que o episódio passou, assim como passou a impressão de que foi bom.

Ler o artigo →

Não ouvi muito The Who, se muito escutei dois álbuns da banda (na verdade, amo os 60 anos, mas nunca parei para ouvir as discografias de suas grandes bandas), então posso ter deixado passar uma ou outra referencia, pois meu verdadeiro eu é de um apaixonado por música criado a base dos anos 90 e 2000 mais muito rock progressivo e metal. Aliás, ainda falta um representante do metal (será que vai ter?) e para o anime um desfecho.

Ler o artigo →

Mais outro episódio divertido (e nem tão sem noção, por incrível que pareça) da melhor comédia da temporada. E não é que a luta com o urso foi o terceiro programa? De agora em diante é só programa inédito, vamos ver o que o anime vai entregar, mas antes de pensar no futuro quero comentar o quanto o episódio foi bom e o quanto é importante tirar sarro de si mesmo. Eu sou cearense e se tem algo que sei fazer é mangar de mim!

Ler o artigo →

Oshi ga Budoukan Ittekuretara Shinu é originalmente um mangá adaptado para anime de 12 episódios na temporada de inverno de 2020. Na história acompanhamos Eripiyo, fã hardcore (o chamado “wota”) de uma idol underground (a Maina do grupo Cham Jam) que faz de tudo por sua idol favorita, a apoiando rumo a seu objetivo, conseguir se apresentar no Budoukan. Falou em idol, falou em Kakeru17 e aqui vamos nós!

Ler o artigo →

Infinite Dendrogram é originalmente uma light novel que ganhou adaptação em anime de 13 episódios na temporada de inverno de 2020. Dendro retrata a vida de um jovem chamado Ray que entra em um VRMMORPG e passa a viver altas aventuras ao lado de seu Embryo (uma espécie de IA de combate específica para cada jogador), Nemesis. É hora de Dendro, espero que pela última vez, no Anime21!

Ler o artigo →

O título também poderia ser “Poder tirado do c*”, mas aí eu estaria sendo deselegante. O fato é que uma possível cena de ciúmes da Clair ficou para depois (ela confia muito no Shuichi, então talvez nem role), pois o que o anime fez foi apresentar o órfão(?) Subaru (pensava que era garota, o design não ajudou) e esfregar na nossa cara que ele é importante. Mas teve coisa mais importante rolando, comentarei esse e outros pontos agora!

Ler o artigo →

Esse episódio foi bem legal e se quero convencer você preciso fazer isso eu mesmo. Essa é a mensagem simples e direta do punk, o “Do It Yourself” que rompeu os limites da música e consolidou uma forma de pensar e agir, principalmente se expressar artisticamente, que evoca uma atitude, palavra tão repetida no rock, que poucas bandas tiveram como o Sex Pistols. Deus salve a Rainha é o c*ralho, quero ver é a anarquia no Reino Unido!

Ler o artigo →

A cada episódio Wave me desafia mais a segurar o riso. Costumo assistir o anime tarde da noite, daí me seguro para não incomodar os vizinhos. A verdade é que eu adoro a Minare e super me divirto com as trapalhadas dela, as quais podem não superar a bizarrice de um crime passional misturado a aliens, mas não ficam tão distantes, não quando um vacilo se transforma em uma acusação de assassinato. Minare é louca e a gente vê isso por aqui!

Ler o artigo →