Vi muita gente falando que quem apareceu no final desse episódio é o vilão do terceiro filme (confesso que nem dou muita bola para eles) e que isso era ruim e blábláblá, mas, honestamente, o público quer o que, que adaptem religiosamente o mangá e percam dinheiro? Aliás, nem acho o caso de terem feito besteira ao inverter os arcos, ao menos se o arco seguinte não for massacrado pelo número de episódios que deve ter.

Sem mais delongas, vamos falar do episódio de praia que não morreu nela!

Ler o artigo →

Foi constatada a inutilidade do Yotsuya em combate, novidade? Mas é claro que o protagonista não deixaria por isso mesmo e se tem alguém que merecerá créditos se eles derrotarem os orcs (e eles vão derrotar) com certeza é ele.

Em meio aos atalhos que ele costuma pegar conhecemos as sacerdotisas melhor, assim como as características da ilha, que devem ser cruciais para o sucesso do plano. Sem mais demora, vamos as velhas virgens e o ferreiro!

Ler o artigo →

A conversa de Fushi com o Observador foi muito interessante por ter provido um novo vislumbre do protagonista, agora mais impulsivo, emotivo, o tipo de personagem que eu não conseguiria caracterizar de outra forma que não como “humano”. E tudo isso com pedaços perdidos de memória que ele mesmo não reconhecia, uma maneira cruel, mas eficiente e interessante, de encorpar a “motivação” do protagonista para combater os Nokkers.

To Your Eternity segue excelente e agora nesse novo arco a perspectiva de drama, mas também de desenvolvimento do herói em outros aspectos, se mantém. Fushi conseguirá proteger Pioran, assim como a vida de outras pessoas que não tem nada a ver com sua história? Veremos. A única certeza que tenho é de que não consigo não simpatizar com os novos personagens, ainda que uma delas tenha enganado Fushi e Pioran, e que falarei deles e de outros tópicos a partir de agora.

Ler o artigo →

Kimetsu no Yaiba é o maior sucesso de mangá e anime dos últimos anos, e ganhou uma produção de arrasar para o cinema, com direito a muita ação, muito sangue e um final que aumentou muito meu hype para a segunda temporada. Mugen Train adapta o arco do mangá que vem logo depois do fim do anime, então não tem jeito, você tem que ter visto o anime para assistir o filme, não é material original não.

 

“Na história acompanhados o Tanjiru, sua irmã, Nezuko, e seus amigos, Zenitsu e Inosuke, embarcando em um trem que está sofrendo com as ações de um oni. O que eles não esperavam é que o Hashira das Chamas, Rengoku, fosse se juntar a eles e nem que o oni tentaria matá-los em seus sonhos, levando Tanjiro e seus amigos a darem tudo de si para proteger as vidas dos passageiros do trem.”

 

Ler o artigo →

Obey Me! é um anime curto do estúdio Colored Pencil Animation que adapta um otome game no qual os sete príncipes do inferno (Lucifer, Satan, Leviathan, Beelzebub, Belphegor, Asmodeus e Mammon) estudam na Academial Real de Diavolo e treinam para governar o mundo dos demônios. Esses irmãos infames conseguirão se dar bem, cada um com suas particularidades, ou fracassarão?

Ler o artigo →

Megami-ryou no Ryoubo-kun é um anime do estúdio asread. que adapta o mangá ecchi de Ikumi Hino. A produção é da temporada de verão de 2021 e possui a seguinte sinopse:

 

“Na história acompanhamos Koushi Nagumi, um garoto de 12 anos que tem a casa queimada e é abandonado pelo pai, indo parar na rua com uma mão na frente e outra atrás, mas isso só até conhecer Mineru e ir morar no dormitório que ela divide com outras quatro beldades. Koushi acaba se tornando uma espécie de caseiro do local e vai passar vários apuros com calcinhas e mamilos aparecendo por todos os lados. Para “melhorar”, uma das garotas é avessa a homens. Conseguirá Koushi viver uma vida normal em meio a tentas tentações?”

 

Ler o artigo →