E quem diria que o Daru teria um trabalho de meio-período como hacker em uma loja de material para cosplay em Akiba? Na verdade, é do Daru que estamos falando, né. Sendo assim, faz sentido ele se envolver dado seu talento como super hacka. Coincidências a parte, a revelação para a Maho, a perseguição e destruição do notebook, a reflexão da garota e a sua despedida foram trechos que tornaram esse um ótimo episódio ao serem bem alocados ao longo dele. Que se abra o Steins Gate!

Ler o artigo →

Como dizem as mais fervorosas regras de etiqueta, “Não entre na casa de alguém sem um presente.” É claro que a Aliança adentrou no território do Império sem ser convidada, mas foi muito imprudente ao não considerar a possibilidade de um vazamento de informações, o qual daria tempo e condições para a construção de um plano bem elaborado para desmantelar a ofensiva inimiga, mesmo que as custas do sofrimento do próprio povo. Aliás, se eles são tiranos opressores, por que hesitariam em usar as massas para obter a vitória? A investida esquizofrênica da Aliança caminha a beira da morte!

Ler o artigo →

Sabe o que foi o mais legal desse episódio? Ele pode ter sido uma grande celebração, mas não deixou de trabalhar um pouco as personagens no sentido de dar ao público o que ele queria ver delas, como se fosse uma recompensa para um anime que por si só já foi um belo presente e uma grata surpresa! Se divertirem correndo é o que as fará lutarem pelo troféu dos sonhos, então corram garotas-cavalo!

Ler o artigo →

Eis que chegamos ao fim do primeiro cour do anime e do arco da família Tsukiyama. O segundo virá em outubro e devo comentá-lo aqui no Anime21 de novo. Foi surpreendente o desfecho do Shirazu? O que acharam do fim que teve a fuga do Shu e do previsível renascimento do Kaneki? Comentarei agora minhas impressões sobre todos esses acontecimentos e o que esperar da próxima temporada.

Ler o artigo →

O melhor episódio do anime até agora e a porta de entrada para um ótimo desfecho que de uma vez por todas dê fim as batalhas. É entre derrotas e vitórias que a aliança das heroínas devasta as vilãs e se dirige ao quarto das janelas brancas. Kiyoi e Tama, a luz superar a escuridão só depende de vocês!

Ler o artigo →

Entre Mozart e Salieri, quando se fala de música clássica, qual é o nome que soa mais fresco aos seus ouvidos? Mozart. Não é à toa que Amadeus foi nomeado em sua homenagem, nem que a Maho tem um certo complexo de inferioridade e inveja com relação a Kurisu. Contudo, ela não odeia a sua rival, pelo contrário, gosta muito dela e por isso sente tanto a sua falta, além de não ser só uma sombra do que foi a protagonista da série. A Maho tem uma personalidade interessante e um papel importante, ambos necessários para avançar a trama e manter sua distinta qualidade. Que se abra o Steins Gate!

Ler o artigo →

Um episódio de preparação para a ofensiva da Aliança contra o império que manteve a qualidade e consistência desse remake, mas não foi tão interessante quanto os anteriores. Se serve de consolo, tudo indica que Yang Wen-li enfrente Reinhard no campo de batalha de novo. Com um buscando a vitória e o outro querendo perder, mas não perder tanto, como se desenrolará mais uma batalha?

Ler o artigo →

Outro excelente episódio de Uma Musume. Novidade? Nenhuma. Mais uma vez o anime conseguiu trabalhar de forma inteligente o que queria apresentar ao público, equilibrando bem o divertimento com a coerência, tornando esse episódio uma coroação justa e gratificante para quem acompanhou a jornada da Special Week até aqui. Corram para o palco dos seus sonhos adoráveis garotas-cavalo!

Ler o artigo →

Às vezes eu me pego gostando de personagens secundários que pouco aparecem e sequer são assim tão relevantes para a história, o que é o caso da Matsumae, a lança e o escudo de Shu Tsukiyama. Já a Kanae, essa mais relevante, seria a fraqueza que ele não percebeu que tinha até o último segundo. Conseguirá o Mr. Trés Bien cumprir o seu objetivo de sobreviver pelas pétalas espalhadas pelo chão?

Ler o artigo →

Tirando a inocência da Ruuko e da Suzuko, a luta delas foi boa para a personagem que elas encarnam – da heroína padrão forte por natureza –, enquanto a da Carnival com a inimiga B serviu ao propósito de implementar a tática de “dividir e conquistar” da manipuladora vilã, viabilizando a seleção que ela tanto deseja. De posse de todas as informações necessárias para alcançar o objetivo, mocinhas e vilãs se polarizam ainda mais em meio a reviravoltas. Quem vencerá no final? É o que irei comentar agora!

Ler o artigo →