O que esperar de um anime japonês com duração de 15 minutos que adapta um mangá criado por um autor chinês e é lançado via internet por uma editora taiwanesa? Jikken-hin Kazoku: Creatures Family Days (ou Shiyan Pin Jiating para os íntimos) é o nome dessa obra, agora multimídia, detentora de características tão peculiares e que está sendo lançada simultaneamente nas TVs japonesas e taiwanesas na temporada de abril de 2018. A história é um slice of life relativamente bem animado, agradável e com um bom potencial para o drama – e quem sabe para a comédia? – cuja estreia foi boa, apesar de ter apresentados alguns probleminhas. Vamos conhecer essa família bem diferente?

Ler o artigo →

Um anime cheio de referências musicais para vocês! Mas não posso dizer apenas isso. Piano no Mori é um anime feito de sentimentos, e muitas delas são transmitidas através das músicas que são tocadas.

Piano no Mori é a segunda adaptação de um mangá com o mesmo nome, sendo ele chamado “A Floresta do Piano: O Mundo Perfeito de Kai”. Em 21 de julho de 2007 também foi feita uma adaptação, porém em formato de filme. O mangá foi feito por Isshiki Makoto desde 5 de agosto de 1998 até 5 de novembro de 2015, sendo publicado na revista Morning, a mesma revista Seinen que publica Vagabond.

A história retrata a vida de dois garotos: Ichinose Kai, que é filho de uma prostituta, mora na fronteira da floresta e ainda toca um piano que foi abandonado no meio da mesma floresta, e Amamiya Shuuhei, um garoto que nasceu para tocar piano, pois toca desde criança e faz parte de uma família de pianistas prestigiosos. Um menino pobre e outro rico. O piano acabou os unindo através de uma bela história de amizade.

Ler o artigo →

Esse anime vem de um jogo para smartphone que deve estar dando uma grana porque o estúdio que está por trás da animação é o J.C.Staff e a sua parte técnica está mesmo boa, cheinho de moe e com um design fofo e agradável que lembra muito os dos vários jogos moe que fazem sucesso no Japão. A sua proposta é de gerar comédia, usando de recursos como a quebra da quarta parede para fazer o público perceber que todo aquele universo na tela é igualzinho ao de um jogo. Funcionou? Veremos!

Ler o artigo →

Opa! Tudo bom com vocês?

Um anime de comédia e romance entre adultos que, como praticamente todos os animes nos quais eu comento aqui no blog, tem a ver com ser otaku ou gostar de games. Como se diz desde muito tempo, a primeira impressão é a que fica, se for esse o caso de Wotaku, podemos esperar algo muito bom para o restante dos episódios (apesar de ser um chute bem longe).

Ler o artigo →

Fumikiri Jikan é um slice of life curto, de três minutos e trinta segundos, movido por conversas sobre amor, arte, desejo e expectativas, que ocorrem em uma estação de trem, enquanto a cancela não permite a passagem dos transeuntes. No primeiro episódio, as amigas Ai-senpai e Tomo, estudantes do ensino médio, estão em cena. Em foco, amor e juventude.

Ler o artigo →

Em outubro de 2017 acompanhamos a terceira temporada, ou melhor, o terceiro prato de Shokugeki no Souma. Agora, estamos de volta com a quarta temporada (que na verdade é o segundo arco da terceira temporada). Isso significa que chegou a hora de voltarmos para Tootsuki acompanhar novas receitas e resolver as questões que ficaram pendentes antes que esfriem.

Ler o artigo →

Bom dia!

Se Mahou Shoujo Site é o anime de pessoas boas (pelo menos a protagonista) comendo o pão que o diabo amassou tendo a chance de se vingar de seus algozes e do mundo com magia, Dorei-ku é o anime de pessoas horríveis sofrendo a retribuição divina por meio da tecnologia. Mais ou menos isso.

Ler o artigo →

Voz de locutor de loja de departamento NO ANIVERSÁRIO DE 50 ANOS DE CARREIRA DE GO NAGAI QUEM GANHA O PRESENTE É VOCÊ! Brincadeiras à parte, depois de Devilman Crybaby e Mazinger Z Infinity, é a vez de uma das pioneiras das mahou shoujo, Cutie Honey, fazer o seu retorno. Se será trinfual ainda não sabemos, mas a julgar por este primeiro episódio, podemos esperar muita ação e fanservice, embora marinheiros de primeira viagem possam ficar meio perdidos devido a certas opções narrativas um tanto discutíveis.

Ler o artigo →

Apesar da demora, Pandora estreou e deu um cartão de visitas promissor. Mas vamos falar um pouco sobre ele. Produzido pelo estúdio Satelight e tendo como criador Shoji Kawamori (franquia Macross) esse anime vem com uma temática não muito nova, mas interessante. Quanto a animação empregada, sinceramente não me incomodou e posso dizer que não tenho reclamações.

Ler o artigo →