Não é de hoje que a comunidade que curte mangás shoujo reclama da pequena quantidade disponível por aqui. Aos poucos parece que o panorama tem melhorado e dessa vez a resenha/indicação é a última serialização da autora de Aoharaido, mangá também lançado aqui no Brasil que possui uma adaptação para anime e live action. Logo de cara eu já gostaria de ser sincero: não sou o maior fã de Ao Haru Ride apesar de ter visto o anime por completo.

Ler o artigo →

  • Não, eu não quero molestar você, mas o Shuzo Oshimi quer. Você vai deixar? Se sim, basta ler.

Kusakabe-san, assim como Waltz, é um one-shot do meu mangaká favorito, um autor de diversas facetas, mas que quase sempre usa sexo como elemento na trama. É o que se pode ver nesse one-shot, indicado para maiores de 18 anos por conter nudez, palavras com teor sexual, etc… Além disso, não é mesmo um mangá de fácil assimilação, mas vamos tentar entender?

Ler o artigo →

O breve OVA (assistam aqui antes de ler), que na verdade é um clipe musical, feito sob encomenda para a música de mesmo nome da dupla japonesa de rock pop, Chage and Aska, dirigido e animado por ninguém menos do que o lendário Miyazaki, é o que eu chamo de obra de arte de transposição. Explico melhor no decorrer deste singelo artigo/resenha do clipe em questão.

Ler o artigo →

Nem sempre uma boa base determina um bom desenvolvimento e essa é uma constante nesse anime. Stand My Heroes reunia uma premissa interessante para os padrões do gênero em que se encaixa e tinha tudo para ser muito bom, mas infelizmente ele acabou aquém do que qualquer um esperava. Onde foi que erraram na execução? Eu vou tentar explicar aqui.

Ler o artigo →

Uma das coisas que me encantaram na primeira temporada de “Kaguya-sama wa Kokurasetai” foi o quão divertido o anime conseguia ser, utilizando de recursos tão diversos para sua comédia, como seus tão icônicos jogos psicológicos. E por esse motivo a única coisa que eu esperava dessa temporada era diversão, apenas isso. E ela conseguiu me surpreender, foi muito mais divertido do que eu esperava.

Ler o artigo →

A mente da Myne geralmente divaga entre ler livros ou fazer livros para poder lê-los. Seja o que for, é sempre sobre livros ou de alguma forma tem livros no meio. Não importa o quão bom tenha sido essa temporada, quem mais se beneficiou foi a Myne em finalmente poder sentir o cheiro das páginas de um bom livro.

Ler o artigo →