Sword Art Online Progressive: Ária de Uma Noite Sem Estrelas é o primeiro filme a adaptar a light novel Progressive, um spin-off focado no arco Aincrad, mas dessa vez com mudanças em comparação a história original. O filme foi lançado em 2021 no Japão e em 2022 no Brasil.

Infelizmente, a divulgação não me pareceu tão forte, poucas sessões foram ofertadas e em apenas algumas cidades do país. Eu mesmo fui em uma dessas sessões e só tinha outra pessoa na sala comigo, além de só ter a versão legendada na minha cidade (Fortaleza – CE).

Ainda assim, valeu a pena assistir o filme? Demais. Não sou um grande fã da franquia, mas gosto do primeiro arco (tirando as bullshits que o Kirito traz a trama) e foi bem divertido ver esse filme, com direito a personagem nova, ótimas cenas de ação e aquela pitada de romance.

Ler o artigo →

Por que trouxe artigo do OAD antes de trazer um artigo do filme? Porque esse especial conta uma história do Mafuyu e do Uenoyama que não entrou no longa, passando uma ideia de continuidade do anime. O filme foca no Haruki e no Kaji, é algo diferente da série animada.

Em todo caso, o importante é que Given voltou ao blog e se depender de mim vai sair ainda mais coisa sobra a obra com o tempo. Artigo de filme? Do mangá? De uma segunda temporada (que haverá, tenho fé)? Vamos falar do choro das cigarras e das várias facetas do ser humano?

Ler o artigo →

Tsuki to Laika to Nosferatu (Irina: The Vampire Cosmonaut) é um anime com uma sinopse no mínimo estranha, mas que executa sua história com seriedade o suficiente para fazer com que o público tema pelos protagonistas. Mas o final compensa o investimento emocional e de tempo?

Vou falar sobre tudo aqui nesta resenha, fique comigo e aperte o sinto, pois a viagem é para fora do planeta, mais exatamente pela atmosfera da Terra, junto de uma vampira (mesma voz da Rei de EVA), um idealista (realista), uma cientista louca (com a cabeça no lugar) e russos (de araque).

Ler o artigo →

takt op.Destiny é um anime em parceria dos estúdios MAPPA e Madhouse que serve como prequel para um jogo mobile da Bandai Namco a ser lançado em 2022. Na história acompanhamos Takt, Destino e Anna; três heróis que partem em uma aventura ditada pela música.

O anime chegou com ares de sensação em sua temporada devido a bela animação, principalmente nas cenas de ação, e a estrutura que lembra um pouco Fate, com o Conductor fazendo papel de Mestre e a Musicart de Serva. E nesse caso só tem “a” Musicart mesmo. Por quê? Não sei.

Mas a dedução óbvia é de que waifus vendem mais que husbandos, além de você poder shippar as duplas mais fácil assim. Em todo caso, o importante é que o anime tem seus seres “ferramenta de roteiro”, digo, as criaturas que movem a trama e justificam sua existência, os D2s.

Além disso, a história gira em torno dos protagonistas e do que a música, além das relações interpessoais que mantêm entre si, significa para eles. É uma carta de amor a música? Eu considero que sim. Tem suas passagens desafinadas e pouco inspiradas? Falaremos delas também.

Ler o artigo →