Já não é mais novidade que Honda Tohru é a mãe que muita gente com a maldição dos doze signos nunca teve, não é mesmo? O jeito doce e maternal de se portar da menina faz com que o pessoal se sinta atraído e abençoado por ter conhecido alguém tão carinhoso.

O papel que muita mãe esqueceu de exercer, a Tohru exerce. Não é pelo fato dela saber lavar, passar e cozinhar que me refiro a ela, mas porque o coração dela é tão grande que trata a todos de uma forma zelosa. Não é à toa que muita gente se sentiu salva e agradecida por conhecê-la.

Yuki é um dos que está nesta lista e, da mesma forma que Isuzu admitiu, ele também admite que a vê como uma mãe.

Ler o artigo →

Tanto o episódio 19, quanto o 20, tratam de problemas de relacionamento familiares. Não só apenas entre os integrantes da família Souma, como também da família de Kakeru e Machi (sim, os dois são irmãos, só que de mães diferentes e parece que ninguém sabia disso).

Isuzu tem problemas de se relacionar com pessoas boazinhas, pois acredita estar se aproveitando da bondade delas para satisfazer os seus desejos egoístas de atenção, cujos quais não recebeu de sua família desde os oito anos de idade, e Machi tem problemas de convivência, pois pode surtar a qualquer momento.

Ler o artigo →

Isuzu é uma das personagens enigmáticas de Fruits Basket, a qual sua história vai sendo mostrada aos poucos, e além de ser muito densa, é sofrida. Lógico que ela não quer fazer ninguém passar pelo que passou, mas já criou tanto rancor que não consegue desejar a felicidade.

Pode ser que sua frase tenha desencadeado uma reação em cadeia, mas achei o comportamento dos seus pais muito tóxico e exacerbado. Acredito que tenham guardado o sentimento de ter uma filha com a maldição dos doze signos por tempo demais, e quando Isuzu perguntou se eram realmente felizes, tudo foi por água abaixo. A infelicidade deles se tornou a da filha e assim vai.

Ler o artigo →

O episódio de viagem escolar é um dos mais famosos entre animes desse estilo. Claro, eles são adolescentes, adoram ter que fazer coisas aleatórias por aí, e poder confessar o seu amor é uma delas. Não só isso, mas também sentir coisas e descobrir outras que nunca haviam antes.

Tohru está se descobrindo ainda mais. Sobre os seus sentimentos, sobre o que pensa sobre Kyou. Yuki, embora que só um pouco, também está tendo os seus sentimentos mais claros.

Ler o artigo →

Tohru foi à residência principal dos Souma para um objetivo e acabou alcançando dois. Um deles não estava nos seus sonhos mais belos. Ela jamais contava com rever a irmã do Momiji, a qual tem ciência de quem ele seja, mas ninguém da família quer que os dois se aproximem, principalmente o pai deles, que viu sua esposa adoecer por descobrir que seu filho foi amaldiçoado por um dos doze signos.

E pelo fato de Tohru ter entrado escondida na residência, ela sabia de todo risco que estava correndo naquele momento. Ainda bem que não aconteceu nada de muito sério.

Ler o artigo →

E chegou o precioso momento mostrado em praticamente todos as obras que retratam a vida escolar: a reunião de pais e mestres. Nela, você precisa dizer o que está pensando em fazer, não o que já está decidido. A própria professora falou que não precisa ter nada concreto, apenas quer saber se precisa pensar um pouco mais.

Uotani e Hanajima estão mais desleixadas que nunca. O verdadeiro problema são Tohru, Kyou e… Yuki.

Ler o artigo →

A primeira parte do anime se encerrou com o Conselho Estudantil totalmente problemático e a segunda parte se iniciou com Yuki e seus problemas pessoais. Todos temos algo com o que nos preocupar, e Fruits Basket faz questão de jogar isso na nossa cara. Nem tudo são flores nesta vida, e até mesmo a pessoa mais quieta sofre.

Ler o artigo →

Montar uma lista para este mês é algo muito difícil, principalmente porque não quisemos nos focar apenas em revistas de GL (Girls Love) e BL (Boys Love), já que a temática pode ser estendida para muitas outras. Antes de começar mostrando as opções que eu e o Kakeru17 escolhemos para esta lista, queria colocar algumas informações adicionais:

Apesar de muita gente utilizar palavras específicas, como shounen-ai ou yaoi (ou lemon, se quiser algo mais explícito), para o namorico entre meninos/homens, e shoujo-ai ou yuri para namorico entre meninas/mulheres, na real, podemos colocar esses termos na conta do “Boys Love” e “Girls Love”. Não é porque o namoro entre pessoas do mesmo sexo é mais ou menos “selvagem” que vai mudar o nome. É tudo com um nome só.

Os termos shounen-ai, yaoi, shoujo-ai e yuri foram utilizados por um tempo para separar o tipo de trama que poderia vir a acontecer. “Ah, se quiser algo mais light, vai no shounen-ai e shoujo-ai.” Descobri este ano que só separar como “Boys Love” e “Girls Love” é muito mais fácil, mas requer paciência, já que muita gente ainda separa em quinhentas categorias, embora isso muitas vezes facilite.

E essa temática sair não apenas em revistas BL ou GL, mas também nas outras com um público mais variado, é muito importante, já que dá margem para que pessoas que não consomem obras desse escopo se aproximem de temas muito delicados; como a descoberta da sexualidade, a rejeição, o preconceito e toda a dificuldade da vida da pessoa só por ser ela mesma.

Isso é só um resumo mesmo do que pensei ao construir esta lista, e o quão importante acredito que essas considerações são. A seguir, vem a lista de mangás propostos por mim e pelo Kakeru17!

Ler o artigo →

Neste episódio, fomos apresentados à história de amor unilateral da professora responsável pela turma de Tohru. Não é muito fácil de assistir sem lembrar de alguma experiência parecida (bem, pelo menos para mim) e devo dizer que ela é uma amiga mais que leal para a Kana.

Shiraki Mayuko ficou ao lado de Kana em todos os momentos, tanto nos felizes, quanto nos tristes. Apesar de sempre amar Hatori com todas as forças, não fez nada além de dar suporte à amiga. Até mesmo depois de Kana ter se esquecido de todo o seu relacionamento, Mayuko não fez nada além de desejar por sua felicidade.

Ler o artigo →

Kaguya, como poderia descrevê-la? Infelizmente creio que ela seja uma das personagens que só está na obra que servem para ocupar espaço no elenco. O seu papel como javali/porco nos doze signos é insignificante. Ela não faz nada, não ajuda em nada, é só uma personagem mimada (mais alguém que eu chego falando mal no anime).

Mas devo admitir que ela tem um papel importante: de fazer com que Kyou não amará outra pessoa, igual está acontecendo em sua vida com Tohru. É claro que Kaguya já havia percebido, mas precisava colocar as coisas às claras para tirar um peso enorme dos seus ombros.

Ler o artigo →