Shoujos são muito discriminados, não apenas no Japão, seu país de origem, como aqui no Brasil. Mas afinal, por que tanto julgamento por obras que se descrevem ser de “menininhas”? Por que ao contrário de diversas mulheres que conferem obras shounens, homens raramente conferem os shoujos que são lançados?

Primeiro temos que entender uma coisa: o que são obras shoujo? Assim como Kodomo, Shounen, Jousei, Seinen, Yaoi, Yuri, entre outros, são demografias, porém contendo obras mais voltadas para o público feminino. Entenda: eu disse DEMOGRAFIA, e não GÊNERO, e isso porque são lançadas em revistas cujo público alvo são meninas. Mas não se restringe a apenas isso, já que qualquer tipo de história pode ser publicada nesse tipo de revista, de romance a temas históricos/políticos.

Como a maior parte das histórias publicadas em revistas shoujo são romances, naturalmente que muita gente torce o nariz, principalmente quando vem do público masculino, porém há muitos homens, que é o caso daqui, do Anime21, que acompanham diversos tipos de anime, inclusive shoujos – e na verdade este termo só vale para mangás, e não animes, mas faz parte, a gente estende o significado para “animes adaptados de mangás shoujo”.

Para mostrar que nem tudo em shoujo é romance lindo e fofinho, envolto em histórias felizes e cheios de florzinhas, esta lista foi feita com animes, atuais ou não, adaptados de mangás shoujo (“animes shoujo”), que tratam sobre tudo e qualquer coisa, desde amizades e relacionamentos a intrigas históricas – exceto romance.

Ler o artigo →

Olá pessoas, como estão? Espero que estejam bem. Do lado de cá é a Bruna falando e hoje trouxe um mangá maravilhoso para vocês. Sendo bem franca, esta história estava na minha lista de leitura algum tempo e esses dias atrás resolvi ler para descobrir se valia a pena ou não, e como o esperado ELA NÃO ME DECEPCIONOU EM NADA!

Ler o artigo →

Se existe algo ao qual todos estamos acostumados nessa vida de otaku, é ver animes, e esses são feitos de uma gama de personagens com toda sorte de fisiologia, mas no ramo da comédia as séries que envolvem animais estão certamente entre as mais proficientes. O que não quer dizer que outros gêneros não possam eventualmente sair do zoológico também.

Quem não se diverte vendo os bichos pirando legal? Ou então assistindo um gato, um cão que lembre os seus, fazendo bagunça, pedindo carinho ou dando amor?

Ler o artigo →

Doukyonin wa Hiza chegou discretamente na temporada de inverno, no meio das várias novidades e dos fortes concorrentes contra os quais pretendia conquistar algum espaço. Com uma proposta simples, mas uma excelente execução, esse anime mostra o cotidiano de dois seres que se encontraram de uma forma inesperada e que a partir daquele breve momento teriam as suas vidas modificadas para sempre.

Ler o artigo →

No começo dessa longa aventura, Subaru tinha acabado de perder tudo que lhe era importante, embora ele próprio não tivesse uma forte consciência disso. Depois de encontrar Haru, seu mundo foi totalmente transformado e agora ele vive coisas que sequer cogitou que desfrutaria, então como reagir quando a possibilidade de perder essa figura importante se apresenta?

Doukyonin wa Hiza nos traz, em seu momento final, a beleza e a pureza de uma relação em que o forte desejo de proteger e cuidar um do outro, reina absoluto, colocando uma medalha de ouro nessa brilhante história que ganhou a mim – e certamente a muitos outros – em várias modalidades.

Ler o artigo →

Subaru passou por várias experiências de crescimento pessoal e amadurecimento, e depois do pequeno descanso que teve no episódio passado, já estava na hora de ele retomar as atividades e voltar a escrever bastante.

Para reiniciar com chave de ouro, ele recebe os louros de sua participação na sessão de autógrafos e como resultado disso uma nova serialização. O problema é que o autor está numa pequena crise criativa, o que ele fará agora?

Ler o artigo →

Comer é algo maravilhoso – já cozinhar nem tanto -, ouso dizer que é a melhor experiência da vida. Tem aqueles que gostam de dormir, outros de fazer coisas aleatórias, mas eu gosto mesmo é de comer e assistir anime. Bom, já deu para entender que eu sou glutão e com orgulho, mas o que isso tem a ver com o episódio? Leiam o conteúdo abaixo.

Ler o artigo →

A proposta foi lançada e Subaru embarcou nela. Lá foi ele encarar o público cativo do seu trabalho sem saber o que esperar ou como agir perante eles. Durante todo esse tempo acompanhamos um processo gradual e constante de mudança no escritor, onde algumas simples situações iam tendo pequenos efeitos que iam se somando, mas a sugestão de Kawada deu o empurrão final pra que as coisas deslanchassem de uma vez só e Subaru atingisse um patamar completamente diferente.

Ler o artigo →

Por que Subaru, sendo como é, tem amigos como Hiroto – e agora Kawada e Haru – ao seu lado e sem que esses pareçam se aborrecer com o seu jeito peculiar?

Essa pergunta é interessante quando avaliamos bem os perfis dessas personagens e vemos que existe uma margem de incompatibilidade bem variada em termos de gostos, personalidade, ideais comuns e afins. No geral tudo colaboraria para que eles não fossem o que são hoje, mas qual foi o fator predominante para que essa ligação perdurasse?

Ler o artigo →

Subaru sempre nos mostrou incômodo com as pessoas pela sua inconveniência, mas apesar de compreensível isso nunca fez muito sentido de fato, partindo do ponto que todos nós temos algumas peculiaridades e características que pode irritar o próximo.

Nesse episódio ele nos dá uma outra dimensão da sua linha de raciocínio, a imprevisibilidade humana. Subaru se preocupa com aquilo que não pode controlar e como toda criatura vivente, somos propensos a agir de formas inesperadas em qualquer momento – o que reforça o pensamento dele de vulnerabilidade.

Ler o artigo →