Bom dia!

O nome da irmã de touca é Riku, e como vimos no episódio anterior, sim, ela está viva. Ao contrário do que Rin e as demais acreditam.

E não é apenas ela, mas pelo menos mais uma das supostas irmãs “mortas” ainda está viva: Ryoku. Deve ser a estudiosa, de óculos, se é ela quem pode “explicar” as coisas. E aposto que a terceira, qual era o nome dela? Ryo? Algo assim. Aposto que também está viva. Todas vivas e se escondendo esse tempo todo e se fingindo de mortas para as outras irmãs, Rin, Ritsu, e as Rinas.

Não descarto que a “Rina original” esteja com elas também. E a essa altura, sei lá, até a Primeira Pessoa pode muito bem ainda estar viva.

Mas então as irmãs tiveram uma reunião emocional depois de tanto tempo separadas …? Lógico que não.

Ler o artigo →

Hello pessoas, como estão? Espero que estejam bem. Em mais um dia é a Bruna falando, e hoje irei resenhar um OneShot que gostei muito apesar de precisar ler duas vezes para entender todo o contexto. Não sei se isso já aconteceu com algum de vocês, mas, às vezes, algumas histórias necessitam ser lidas mais do que uma única vez para poder compreender tudo; confesso que quando comecei a ler Fukugaeru foi de forma rápida, sem muito compromisso, por isso senti a necessidade de reler.

Moral da história: NÃO LEIA RÁPIDO PORQUE VOCÊ SERÁ OBRIGADO A LER TUDO DE NOVO.

Ler o artigo →

O que dizer depois de outro episódio aquecedor, mas que ao mesmo tempo fica tentando arrancar uma lágrima sua? A Haru quer por fina força nos fazer ficar mais e mais apegado a ela e a sua história, assim como Subaru também tenta nos mostrar que vai muito além de um ser socialmente inapto, os outros personagens então eu nem comento. Então pra entender melhor essa sensação, sigam me os bons!

Ler o artigo →

Este episódio não desempatou nada em Neverland, não exatamente, mas nele se abriu a possibilidade de dar um voto de confiança a um aliado que pode se mostrar imprescindível para a fuga.

Além disso, as cartas foram colocadas à mesa no lado dos órfãos, e o futuro parece mais promissor quanto mais se aproxima a possível data da fuga. A Mamãe está quieta demais por que o jogo está virando e ela não sabe o que fazer ou seu contragolpe é que está a caminho? É hora de Neverland no Anime21!

Ler o artigo →

Tokyo Ghoul é um filme live action do mangá homônimo de enorme sucesso no Japão. Ele adapta só três volumes do mangá, mas é eficiente em dar um bom panorama do que se trata a obra, além de a história de Kaneki Ken ser recontada com personalidade. Há diferenças pontuais que a fazem ser sim instigante mesmo para quem leu o mangá, viu o anime ou fez os dois. É hora de ghouls no Anime21!

Ler o artigo →

Bom dia!

Esse episódio pareceu, er … corrido. Tenho impressão que muita coisa aconteceu, ainda que não muito tempo tenha se passado, e agora na verdade falta bem pouco para a corrida.

Faz sentido, espero alguns episódios de Hakone Ekiden, pelo menos. É o ponto alto do anime, o clímax de seus dez personagens, não dá para fechar com um arco de dois ou três episódios. Na superfície, esse episódio foi guiado pela insegurança dos gêmeos.

E eles são chatos pra caramba, hein? Quero dizer, ok, eles perderam a motivação, ou estão abaixando a motivação como forma de esconder a insegurança, tanto faz, eu entendo o sentimento.

Mas a forma como lidam com isso é absurda.

Ler o artigo →

Se as situações que acontecem nesse anime fossem comuns demais, esta obra não seria uma comédia (ainda que sutil). Portanto, o inusitado é algo natural e que se manifesta de uma forma ou de outra para criar situações engraçadas o suficiente para arrancar risadas do espectador.

Ler o artigo →

Bom dia!

Gosta de animes sobre artes? Quaisquer artes? Alguma arte?

Esse artigo é o primeiro de uma série de listas para animes de todos os gostos artísticos, porque existem muitos animes sobre o tema. Nesse artigo: artes ocidentais.

Listas da série:

6 Animes de artes ocidentais
6 Animes de artes otaku
6 Animes de artes tradicionais japonesas
13 Animes sobre idol femininas
10 Animes sobre idol masculinos
12 Animes musicais

Ler o artigo →

Bom dia.

Mio e as crianças nunca se limitaram a apenas sobreviver, fugir, se esconder. Eles sofreram o golpe duro da guerra. As crianças em particular, não há uma que tenha ficado inteira. São todas mutiladas e amputadas.

Só seus corpos, porém. Seria fácil, naquelas circunstâncias, ceder ao desespero, e ter também a mente espatifada. Mas acredito que elas e Mio não poderiam ter mais sorte, apesar da calamidade. As crianças encontraram alguém que se importa com elas, uma garota ainda jovem e de coração enorme que nunca poupou esforços para mantê-las vivas e bem, tanto quanto possível.

Mio, por sua vez, encontrou naquelas crianças uma razão para viver. Só assim para conseguir se sujeitar às humilhações da prostituição noite sim, outra também.

E assim, juntas, Mio e as crianças não apenas sobreviveram, como também sonharam. Tudo aquilo seria passageiro, toda a dor e sofrimento não era senão uma condição temporária que seria enfim superada por arrozais amarelos como o ouro. O esforço e o sacrifício valem a pena quando se tem um objetivo.

Ler o artigo →