Essa temporada de My Hero Academia não está decepcionando mesmo. Felizmente, depois de dar tanto destaque para os dilemas do protagonista, o anime decidiu dar mais atenção aos coadjuvantes que também conseguiram residências. Para minha surpresa, diferente dos estágios, esse episódio foi bem melhor do que eu imaginei.

Ler o artigo →

Tivemos novamente mais um daqueles episódios introdutórios sobre os personagens. Já está ficando chato. Está mais parecendo uma tentativa de cobrir episódios, pois realmente não há a necessidade de contar o passado da maioria desses personagens. Principalmente quando não há um conteúdo a ser passado. Como é o caso desse episódio. No fim, o anime parece estar girando em círculos, como um cachorro atrás da própria cauda, sem chegar a lugar algum.

Ler o artigo →

Muitos anos depois de ter lido este arco da Reverse Mountain e ter me esquecido de praticamente tudo sobre ele, já que tem 5 páginas, mas lembrar da baleia Laboon (mas não de seu nome), escutei uma música que me lembrou do que aconteceu. Ela conta a história de Jonas, profeta de Israel que, por conta de um castigo dado por Deus por se negar dar instruções divinas à cidade de Nínive, ele foi engolido por uma baleia e ficou lá por três dias.

Mas é claro que, pesquisando pela bendita música, também teve relatos de mais algumas pessoas que viveram alguns dias dentro de uma baleia, como este homem e este homem. Finalmente, encontrei a música, que é esta aqui, e representa um pouco da vida que Crocus vive dentro da baleia Laboon, embora não tenha uma metáfora sobre desobediência por parte dele, só de, talvez, um relacionamento difícil.

Ler o artigo →

E aí, como vai de Black Fraude? Já pegou algum desconto bom? Eu até agora não aproveitei nada, mas ainda tem os descontos de Natal e Ano Novo, então a esperança é a última que morre, já o dinheiro, esse dura até lá?

Ler o artigo →

Bom dia!

A vida em sociedade depende de um equilíbrio delicado entre seus indivíduos, suas necessidades e interesses.

É impossível que todos saiam ganhando sempre. É impossível todos terem o máximo possível de cada interação sempre. Pior do que isso, é impossível evitar que alguns abusem das regras da sociedade ou simplesmente as quebrem para atender suas próprias vontades.

Assim que viver em sociedade é ter certeza que teremos menos do que gostaríamos, provavelmente menos do que seríamos capazes se, tudo o mais constante, tudo nos fosse permitido, e ainda corremos o risco de sermos alvo de transgressores agindo em benefício próprio.

E, no entanto, somos animais sociais. A alternativa, viver isolados, não existe.

Ler o artigo →

Bom dia!

Envolvendo a eleição para o governo provincial, esse segundo jogo da Bifrost foi tudo exceto sutil. Mesmo assim, foi em certa medida menos pior?

O anterior envolvia a alimentação de uma bolha imobiliária, e quando informações sobre ela foram descobertas por um contador, ele foi morto.

Bom, pensando bem, acho que dessa vez morreu mais gente, embora fossem menos centrais para o caso, e várias delas criminosos latentes perigosos.

Por outro lado, por tudo o que se entende a sociedade como um todo não está sendo diretamente prejudicada, então …

Ok, desisto de comparar. Nem é útil. Quero dizer, tenho certeza que Bifrost simplesmente não se importa.

Ler o artigo →

O episódio dessa semana, assim como o episódio quatro, diminui um pouco o ritmo para nos apresentar diversos personagens importantes. A partir daqui Blade engrena em arcos mais longos, onde os oponentes não morrem de imediato no mesmo episódio em que são apresentados. Tudo bem que isso não aconteceu em todos os episódios anteriores, mas em parte significativa deles, sim.

Ler o artigo →

The Sky Crawlers tanto conta, como é, a história das peças do tabuleiro, e para quem entende de guerra, ou mesmo da natureza humana, pode usar esse filme para atualizar o significado do que significa doentio. Acho importante pontuar que o filme retrata fidedignamente uma faceta da essência da história da humanidade, no seu mais alto e no seu mais baixo significado. A história humana não passa de um palito de fósforo usado e partido ao meio junto ao chão da existência. Mas vamos ao filme.

Ler o artigo →