Provavelmente você já deve ter jogado, ou pelo menos ouvido falar, em jogos Date Simulator (“simulador de encontros”, em tradução livre). E se eu contasse a você que também existem animes que seguem essa mesma linha? É o caso de One Room, um curta com episódios de quatro minutos que comentarei abaixo.

Lançado na temporada de inverno/janeiro de 2017, o anime tem como protagonista você. Isso mesmo, o espectador que está assistindo é o personagem principal, e que interage com três garotas nos 12 episódios, quatro para cada uma.

As personagens femininas partem de arquétipos já conhecidos por quem acompanha animes, o que torna mais fácil a identificação. Por outro lado, é interessante o fato de que elas contam com personalidades diferentes entre si e planos de fundo próprios, baseados em uma estação do ano.

Na primavera, você conhece Yui, sua nova vizinha que precisa de ajuda para estudar. No verão, sua irmãzinha tsundere Natsuki se muda para morar com você por um tempo. Enquanto no outono, sua amiga de infância Moka conta com seu apoio no sonho de se tornar uma cantora profissional.

Reparou que eu estou sempre citando o protagonista em segunda pessoa? Esse é um dos elementos mais legais de One Room. O anime consegue criar uma imersão para quem assiste, parecendo que as garotas realmente estão interagindo com você. Elas olham diretamente para a câmera – dando a impressão de visão em primeira pessoa – e nunca aparece o personagem com quem elas interagem. Logo, elas só podem estar falando com você.

Infelizmente o anime não conta com um sistema de rotas ou deixa você escolher as interações com as personagens. É uma história linear, com apenas um final, e uma trama simples. Vale lembrar também que não poderia faltar fanservice, mas nada que afete a história ou estrague a experiência.

Assim que comecei a assistir aos primeiros episódios, logo me veio à cabeça de que o anime funcionaria perfeitamente se fosse um jogo ao estilo Date Simulator. Foi então que me vieram com uma ideia ainda melhor e anunciaram um VR de One Room.

Para deixar as coisas ainda mais interessantes, na atual temporada (julho/verão 2018) teremos uma segunda temporada do anime. Ela já ganhou um prólogo com Yui se lembrando dos momentos que passou com você na temporada anterior, e é ridiculamente nostálgico. Para quem assistiu aqueles episódios, a sensação é de como se tivesse vivido aquilo. Claro, isso depende do grau de envolvimento do espectador com o anime.

Entre as novidades, está o fato de que o arco da personagem se passa no verão – episódio na praia confirmado – e que agora você está namorando com ela. Eu fico curioso pra saber como eles vão resolver as cenas de beijo e coisas do tipo. Além disso, levando em conta o cartaz oficial, seremos apresentados a mais duas personagens, que por enquanto não faço ideia de quem sejam, mas aparentemente uma gosta de fazer exercícios e a outra é mais reservada.

Dentre as coisas que espero nesta segunda temporada são novos cenários, que deixem de ser One Room literalmente e explorassem melhor outros lugares, como uma praia, um parque, etc. Também seria interessante se a interação das garotas não se resumissem apenas a nós, mas também a outras pessoas, talvez entre elas.

Caso você que esteja lendo seja uma garota, gostou da proposta e procura algo parecido, mas com personagens masculinos, não se preocupe. A Smiral Animation pensou em algo para você e se chama Room Mate. Apesar de não ser tão bem recebido quanto One Room (apesar do anime não ser tão bem recebido quanto eu imaginava), é uma opção semelhante.

Estarei cobrindo a segunda temporada de One Room com artigos semanais, então se quiser conferir a primeira, ainda dá tempo, pois são apenas 48 minutos para assistir ela inteira. Mas se levar em conta que só a Yui volta para a segunda temporada, assistir aos quatro primeiros episódios – que cobre o arco dela – já é suficiente. Se não tiver tempo nem pra isso, o prólogo da personagem citado neste artigo já resume bem os acontecimentos importantes.

Discussão