A-Divina-Mão-Direita

Guest post por Vitor Mendes Sozzi, que se define como apenas uma alma atormentada em meio a zumbis risonhos, em busca de seu amor perdido.

Antes de tudo aconselho terem visto ou lido Parasyte (Kiseijuu) e lido A Divina Comédia que o texto está cheio de spoilers.

Os personagens principais da Divina Comédia são o próprio autor, Dante Alighieri, que realiza uma jornada espiritual pelos três reinos do além-túmulo, e seu guia e mentor nessa empreitada é Virgílio, poeta romano clássico e autor, entre outros, de Eneida.

Dante em sua peregrinação personifica o homem, a essência do ser humano, Virgílio é a razão, o pensamento crítico e puramente isso, e a amada de Dante, Beatriz, personifica a fé.

A estrutura do poema se divide em três: Inferno, Purgatório e Paraíso (embora todo mundo só lembre do inferno) e é muito importante considerar a obra pois foi o primeiro livro escrito em toscano (a base do italiano moderno) e o primeiro a ser escrito fora do latim.

Mas sem delongas, apresentarei meu ponto de vista de que Parasyte foi escrito em analogia a Divina Comedia.

Ler o artigo →