Enquanto a temporada não começa e enquanto não consigo me forçar a escrever uma resenha completa de um anime, por favor me acompanhe em mais esse breve comentário sobre uma única cena. Dessa vez a escolhida é do episódio 15 de Shigatsu wa Kimi no Uso.

Kaori está hospitalizada, o que não é novidade nenhuma para ela mas ela vinha até pouco tempo escondendo de seus amigos e o anime escondia isso dos espectadores. Para ela é normal, só mais uma hospitalização de rotina, ela está até caminhando feliz pelo corredor escuro do hospital vazio durante a noite. De repente, ela cai. Ela também já teve crises antes, não teve? Será que essa seria pior? Mais forte? Igual? Ela vai melhorar, não vai? Essa é a esperança que ela ainda deve ter (nem que seja uma esperança ilusória), e certamente a esperança de muita gente que assistia o anime até aquele momento. Uma sequência de quadros aleatórios do hospital no entanto responde com tamanha eloquência que é até difícil chamar isso de metáfora: não há mais volta para a Kaori.

Setas no chão em um encontro de corredores: duas interrompidas, apenas uma continua. O sinal de saída de emergência: Kaori quer escapar desse sofrimento! Uma luz vermelha: negação, proibição. A sandália tombada da Kaori jaz no chão em cima do único caminho que resta: o azul. Cor da tristeza. A partir desse ponto, se alguém ainda tinha dúvidas, não tem mais direito de ter: a tragédia é inevitável.

Primeira publicação do ano, mas não é um artigo normal. Prometo que logo volto a escrever! Não entrei em férias do blog, estou fazendo várias coisas para ele aproveitando o período entre temporadas, sem artigos de episódio para publicar. Resolvi abrir o ano com esse tipo de publicação nova: Uma cena. Apenas para comentar brevemente sobre uma cena específica de um anime. E o anime escolhido para isso foi Shirobako, que estou maratonando desde ontem!

No episódio 4 após fracassar de forma retumbante em sua primeira audição para um anime, Zuka anda à beira do choro por uma calçada ao lado da qual há uma fileira de árvores escoradas. É uma cena brilhante! As árvores já são adultas, como ela, mas estão escoradas pois foram recém-plantadas e não fixaram ainda suas raízes. Nem todas elas irão sobreviver. A Zuka está na mesma situação: adulta, ela não está mais brincando de fazer anime no clube da escola. Ela quer ser uma dubladora mas ainda não conseguiu emplacar nenhum trabalho de verdade. E dubladores novatos como ela estão na mesma situação que as árvores escoradas: nem todos irão conseguir fixar suas raízes na carreira e vários “morrerão” para a dublagem.