Nunca achei que sentiria falta dos goblins dessa obra mas após um episódio fraco e com baratas gigantes não teve jeito. E como goblin bom é goblin morto (ao menos nessa obra), fizeram o favor de mostrar vários morrendo como compensação pelo episódio passado (?) e no fim das contas tivemos o início de um novo arco que particularmente eu gosto bastante. O pedido veio de alguém muito importante, a Dama/Donzela da Espada e o interessante disso tudo é que aparentemente o pedido está à altura  do contratante, da recompensa (poderia ser maior inclusive) e é claro, do grupo que acompanha nosso protagonista.

Diferente de qualquer expectativa tivemos uma pequena cena da heroína e uma breve menção que o GS (Goblin Slayer) não deu a mínima importância e nem deveria mesmo, afinal, que diferença faz saber dos feitos dela e afins se a guerra e os problemas não acabaram? De qualquer forma ele nem precisou convencer seus aliados à embarcar nessa viagem rumo a cidade da água, um local bem movimentado comercialmente falando e que provavelmente é uma cidade de grande importância política e econômica, algo que pouco importa o nosso querido  GS que já chega indo direto ao ponto sobre a missão em si.

A contratante é ninguém mais, ninguém menos que a donzela da espada, uma mulher que está no ranking de ouro mérito próprio e que parece ter certa certa conexão com o munda política. Dadas as explicações, (as quais são bem difíceis de por conta do local e da quantidade de informações teve um momento que chamou a minha atenção: a dama da espada veio perguntar para a sacerdotisa se ela não sentia medo. E acabou tendo uma resposta negativa em apoio ao GS. É claro que olhando toda a situação é fácil acreditar nele e em seus planos mas e para ela que sempre está ali correndo um enorme perigo?

E como sempre essa ameaça está sendo subestimada e por isso não haverá alguma ajuda para tal missão. O número exato é desconhecido mas conforme o tempo passa mais e mais goblins aparecem para impedir o grupo até que vemos uma cena um tanto quanto bizarra: uma embarcação de goblins. Obviamente cuidaram bem da unidade inimiga mas sinceramente eu realmente gostaria de saber a insistência da elfa em limitar a quantidade de ações dele, afinal, isso apenas dificulta as ideias que ele pode acabar tendo e com isso até mesmo a sua eficiência pode ser prejudicada.

No fim encontrar um “dragão do pântano” num esgoto daquelas não era a melhor visita mas ajudou bastante. Elr por si só conseguiu exterminar os inimigos (ainda que seja incômodo que seja mais um perigo a se considerar) mas que eles não sabiam da existência daquilo, ou seja, o que está acontecendo para termos chegado em tal nível? Quão forte e grande é esse grupo e como eles irão lidar com o inimigo são dúvidas grandes mas no fim, resta torcer pela equipe.

O episódio dessa semana serviu principalmente para mostrar que os goblins podem ser burros mas não quer dizer que se contentam em permanecer com conhecimentos limitados. Eles podem evoluir e aprender rapidamente as coisas de modo geral e isso parece que será um grande ponto de dificuldade para o grupo nesse arco. No mais, estou ansioso pela sequência desse arco e espero que seja tão bom quanto o esperado.

  1. Avatar

    Este episódio 6 foi bastante bom se comparado com o episódio 5 (mais vale ver goblins a serem mortos do que ver baratas gigantes que parecem saídas de um Apocalipse Nuclear).
    Começando pelo que não gostei neste episódio, foi penoso ver que o episódio foi um autêntico copy paste do mangá, não melhorou nada dessa parte do mangá, já não falo que quem não leu o mangá se pode sentir meio perdido com o começo do episódio 6 (ainda espero ver a melhor parte do mangá animada).
    Passando à Sword Maiden o design dela até que não está mau de todo, eu pensava que os animadores iam fazer porcaria com o design dela (tal como fizeram com o protagonista). A Sword Maiden é uma personagem intrigante e interessante, quando ela apareceu no mangá eu fiquei logo fã, não só pelo seu lado mais misterioso, mas também por causa das coisas que ela diz, tem algumas coisas que ela diz que parecem proféticas. Espero que o director e os roteiristas não estraguem o passado da Sword Maiden, no mangá essa parte não foi tão pesada, mas será necessário tacto para não transformar tal cena triste em fanservice estranho.
    A sacerdotisa neste episódio parecia uma criança num loja de doces, a admiração que ela sente pela Sword Maiden é digna de respeito. Foi engraçado ver a Sacerdotisa sempre a chamar a atenção pelo comportamento rude do Goblin Slayer perante a Sword Maiden, pensando que não um aventureiro de ouro naquele mundo chega perto de ser um semi-deus, junte-se a isso o facto da Sword Maiden esteve no grupo que derrotou um dos lacaios do Rei Demónio isso torna-a uma heroína viva.
    Por fim a parte do sistema fluvial da cidade, foi uma cópia perfeita do mangá, até o líder do primeiro barco a atacar o grupo do GS é igual ao mangá (não que eu ache mal, vale frisar). Uma das coisas que achei interessante no mangá é a questão das tochas e das lanternas, os goblins parecem parvos e burros, mas começam a perceber os padrões dos aventureiros e tudo começa pela iluminação que os mesmos usam, o autor aqui teve uma ideia boa.
    A parte do crocodilo foi muito boa, ai até o robô do GS teve que correr, a elfa a fugir do crocodilo foi muito engraçado. O Goblin Slayer tem umas sacadas muito boas, num momento de aflição ele tem a ideia de pedir que a sacerdotisa para colocar uma luz na cauda do crocodilo para atrair mais goblins, o GS mais um pouco e parece um exército de um homem só (neste caso teve ajuda).
    Aquele trecho final já mostrou que as coisas vão complicar, aquele monstro gigante deve ser um Champion dos goblins, ai o GS vai ter trabalho (só espero que não coloquem censura tosca nas partes mais pesadas que hão de vir).
    Como sempre mais um excelente artigo de Goblin Slayer Kiraht.

  2. Avatar

    Agradeço XD.
    Sim, foi um belo episódio no geral mas eu acho que o que mais me marcou é a expectativa pela sequência mesmo. O arco em si é legal, a sword maiden então nem se fala e no fim, a missão deles é muito difícil.
    Acho que um dos charmes do gs é ter essas sacadas como se ele fosse um goblin (algo mencionado no episódio) e por isso a ideia dele acaba sendo tão genial e eficiente contra os goblins; A sacerdotisa por si só já parece ser uma criança para ser sincero, mas ver a admiração dela só aumenta o respeito que todo o contexto fornece para a sword maiden, afinal, ela não é apenas forte mas sim salvou a pele de milhões ao derrotar o rei demônio. E eu também espero que não estraguem o passado dela pois acho que ele não ser detalhado é o que torna-o “interessante” (para não dizer triste e revoltante) e diria que ele é ótimo simplesmente por não mostrar quase nada.

Deixe uma resposta para Kiraht Cancelar resposta