Natsuo não se ajuda. Rui também não. Já a Hina… definitivamente só atrapalha. Temos uma trinca de personagens que só se complicam cada vez mais, seja por atitudes ou por palavras. Hina continua com seu discurso contraditório e sem sentido, Rui parece não conseguir ser sincera e Natsuo… bom, tão dando corda e ele está puxando, simples assim. No fim das contas, parece que as coisas se acertaram um pouco e veremos se agora vai de uma vez por todas.

Aí eu te pergunto: O que te importa? Tu deu um fora no cara sei lá quantas vezes e agora vem com essa?

Primeiro tivemos o grande momento da noite, literalmente. Natsuo conhece um estrangeiro irritante que curtiu a Rui e tenta fazer “a boa”, que na verdade acaba sendo “a péssima”. Eu entendo o ponto de que ele não consegue definir sua relação com a Rui, mas talvez a opção menos errada seria perguntar se ela gostaria de conhecê-lo. Digo, seria a opção errada de qualquer forma, mas a culpa não é exclusiva dele, afinal, apesar da Rui gostar dele não houve nenhum indício claro. E você pode até usar o argumento de que ela vem pedindo beijos e afins, mas considere também que anteriormente eles fizeram sexo sem mais nem menos por um motivo completamente idiota.

E com isso entramos no mérito daquilo que o irritante do Alex disse ao Natsuo: tem coisas que você precisa dizer para que os outros entendam. Rui gosta do Natsuo e parece querer que ele descubra isso num passe de mágica, algo que não vai acontecer, ainda mais com o Natsuo que, além de tapado, gosta da Hina. E com essa falta de diálogo ela vai perdendo aos poucos a chance de conquistar o Natsuo, que cada vez mais se aproxima da Hina, algo que está cada vez mais escancarado para a própria Rui.

E o mais engraçado é que a fonte inicial de todos esses problemas vem da Hina.

É irritante essa insistência dela em achar errada uma possível relação com o Natsuo, ainda mais quando consideramos sua paixão anterior. Ela não tem a mínima moral para distribuir conselhos e broncas, muito menos explicações das razões de seus irmãos. Aliás, ela só recebeu isso pois Rui de certa forma temia que alguém descobrisse e Natsuo tinha medo de perder seu progresso até então semi-morto. No fim, todos são culpados em níveis diferentes e por motivos similares até.

Quando a merda acontece…

E se no começo tivemos o rolo entre Natsuo e Rui, no fim tivemos Hina e Natsuo. Talvez eu já tenha mencionado isso, mas é sempre bom lembrar como a Hina é infantil. E não é pouco. Todos os problemas têm uma parte de culpa dela por conta de suas ações distorcidas e anormais, fazendo com que ela seja uma personagem sem sentido algum. Ela vem sendo inconstante, quase bipolar e eu não entendo como dão tanta corda para ela. Um exemplo claro disso é sua confissão para Natsuo, um momento sem sentido algum que até agora me custa acreditar em sua veracidade.

No episódio passado ela estava se resolvendo sozinha pensando em seu ex-parceiro casado. Dessa vez ela aparece e diz que gosta do Natsuo, depois de muita paciência e insistência. E aí eu me pergunto: como diabos isso aconteceu? Não me convence que ela esqueceu de seu ex que nunca deveria ter existido e nem que ela goste do Natsuo. Talvez ele seja apenas um substituto do qual ela poderá se aproveitar e se satisfazer, afinal, ela nem faz sentido mesmo.

No fim de tudo temos uma Rui que terminou só, uma Hina que parece ter se decidido sobre algo e um Natsuo com permissão para sonhar. Resta ver se eles dois vão manter essa relação e como vão gerenciá-la naquela casa. De qualquer forma foi um bom episódio que trouxe um conjunto de acontecimentos bem interessantes.

  1. Avatar

    Quando eu vejo Domestic eu fico pensando se o japoneses não usam fechadura na porta, porque é a segunda vez que um bisbilhoteiro acaba vendo algo que não podia pelos outros não trancarem a porta. Esse episódio achei corrido demais tipo começou com ele beijando a Rui e terminou de mãos dadas com a Hina. Fico até com pena da Rui que tem sentimentos verdadeiros pelo Natsuo que só pensa na professora infantil. A Hina episódio passado tava se masturbando pensando no ex e agora está apaixonada pelo meio irmão? Mas que rapidez é essa, a atitude da Hina nesse episódio tá mais pra uma moça que gosta de ser desejada por alguém e não quer que essa pessoa deseja outra.Vejo que algum ponto pensamos igual Kirath, excelente análise.

  2. Avatar

    Mas essencialmente é o que parece mesmo. Ela quer o monopólio de alguém que sequer deseja apenas por conta da atenção e bajulação que poderá receber, algo extremamente ridículo. Confesso que cada vez mais tenho perdido o interesse pela Hina, que era uma personagem que eu gostava até então. Quanto a Rui, o problema dela sempre foi a falta de diálogo, afinal, ninguém tem uma bola de cristal para saber o que ela pensa ou deseja.

  3. Avatar

    Primeiramente, ótimo texto!!
    Esse episodio, pra min, teve um contraste muito grande entre ódio e apreciação. Ódio, pois finalmente apareceu o personagem mais chato da obra na minha opinião (ohh cara chato, mala e insuportável é esse estrangeiro, rs). Apreciação, pois a cena em que Hina vê o beijo entre o Natsu e a Rui era algo muito esperado por min (talvez o momento mais “tenso” do anime até agora). Inclusive, eu achava que tal cena só iria ocorrer no episodio 9, o que me deixou até que surpreso, pois embora o anime não esteja seguindo completamente a ordem do manga, tem uma certa parte que ocorria antes no manga que não foi adaptada pro anime e provavelmente nem irá ser adaptada, enfim, não é um erro, acho até que ficou melhor.

    Continuando, é incrível como o Natsu as vezes não tem tato pra situações que o cercam, mano, como que o cara fala pra Rui simplesmente sair com ele e com o estrangeiro pq o estrangeiro, que ele literalmente acabou de conhecer, falou que gosta dela!? Tudo bem que a Rui em algumas atitudes é bem indecifrável, mas pow não era pro Natsu ser tão inocente assim, é claro que a Rui iria ficar com raiva (inclusive a cara de raiva que ela fez após ouvir isso foi ótima, demonstrou bem a personalidade dela). De toda forma isso foi um bom gancho pro que viria a acontecer (A Hina pegando o Natsu e a Rui), creio que muitos ao ler a sinopse do anime esperavam por isso.

    Que nem foi mencionado no texto, o Natsu ainda tenta se explicar, como se devesse uma explicação, é incrível como a situação ali ficou tensa tão rápido (muita informação pra se processar), de todo modo a conversa da Rui com a Hina só mostrou o quanto a Hina é uma hipócrita (Que ódio dessa mulher), é incrível como que pra ela esta tudo as mil maravilhas ter um caso com um homem casado, que só enrolava ela dizendo que ia se divorciar e não tinha coragem de fazer isso, mas é um pecado capital ter um relacionamento com o irmão que simplesmente ficou nessa condição tem mais ou menos uns 6 meses ou menos. Se eles fossem criados desde a infância juntos, ai o argumento da Hina faria total sentido, mas a relação de irmãos deles é muito recente, por mais que em um aspecto jurídico tal relação realmente seja proibida, ao analisar o caso mais profundamente qualquer pessoa com bom senso consideraria que não se trata de um relacionamento incestuoso. O mais incrível foi o argumento da Rui (Nós não temos nenhuma relação sanguínea), que com essas simples palavras destruíram qualquer argumento que Hina poderia ter (seria muito mais fácil ela montar uma barreira com o argumento aluno X professor, seria bem mais convincente).

    Pois bem, passado esse pequeno/grande conflito a Hina fala que vai se mudar, e o pior ela ainda fala que não tem nada a ver com o acontecido, além se hipócrita ainda mente mal. Estava na cara que tal atitude era uma forma de se distanciar do Natsu, e talvez tentar esquece-lo. Mas, contudo, entretanto, teve o festival e nessa parte do episodio tiveram duas cenas pra min muito boas.
    Primeira cena é a Hina agindo que nem criança pra não ter que conversar com Natsu, o que mostra muito da personalidade dela, mas o melhor mesmo, que leva o selo “pago internet pra ver isso” foi ela levando bronca do cara que esqueci o nome (chamam ele de máster, eu acho). Sensacional, não poderia ser melhor, a Hina que vivia com o papo, “eu sou adulta”, “voce não entenderia pq não ainda não é adulto” foi repreendida justamente por ter uma atitude igual a uma criança de 5 anos, vai ver foi por isso que o menino deu um pirulito pra ela, se identificou kkk.
    A segunda cena importante foi o gatilho pro que talvez seja o arco final do anime, pelo visto a Hina resolveu “aceitar” (aspas pq sei bem o aceitar dela) o Natsu e provavelmente eles vão começar a namorar, o que possivelmente era muito esperado por muitos.
    Enfim, creio que o que está por vim será a melhor parte do anime, com cenas bem interessante e que vão mostrar um pouco mais da Hina.
    No mais esse pra min foi o melhor episodio até agora, ansioso pelo próximo episodio e pro próximo texto.

  4. Avatar

    Um ponto que esqueci de comentar, foi o fato da Hina falar pra Rui que a mãe delas iria ficar triste se soubesse. Aham, tá bom.
    Vamos analisar e fazer um estudo super filosófico e aprofundado, o que seria que a senhora mãe da Hina e da Rui ficaria mais triste em saber?
    Opção 1 – Que a Rui está beijando o novo irmão dela que está nessa condição tem 6 meses ou menos.
    Opção 2 – Que a própria filha dela, que é uma adulta e que sabe muito bem o quanto a mãe sofreu após ser traída pelo ex-marido, de modo que até falam que ela virou uma mulher amargurada até conhecer o pai do Natsu, fazia a mesma coisa.
    Realmente Hina, se paramos pra pensar acho que a sua mãe ficaria super triste com a opção 1, se duvidar, ela nem ligaria pra opção 2.
    Uma observação interessante é o fato de que quando a Hina fala que vai se mudar o pai do Natsu fala “Vai se mudar pq é contra o casamento”, pow, acho que já deu né, tudo que acontece agora é pq alguém é contra o casamento, na moral né se fosse pra ser contra, acho (só acho), que o momento pra falar teria sido bemmmm antes, é bem capaz de alguém bater o carro e falarem que foi pq o motorista era contra o casamento kkk.
    No mais achei hilário o comentário “tão deixando o trouxa sonhar”, kkkkkkkk, pior que tive esse mesmo pensamento

  5. Avatar

    Não sei pq mas a Hina me lembrou a Akane (aquela “coisa” psicopatica de Kuzu no Honkai) uma manipuladora sem moral nenhuma…DK está um “novelão”…

  6. Avatar

    Bom, é complicado responder essa pergunta se tratando dessa obra. A adaptação vem sendo decente no que diz adaptar o material disponível, mas possui seus méritos e deméritos em relação ao mangá. De maneira geral eu tinha uma visão um pouco melhor da Hina no mangá, mas talvez isso seja por estar vendo pela segunda vez e assim podendo prestar atenção em outros aspectos. No fim, eu recomendo você continuar vendo o anime e então dar uma olhada no mangá (não precisa ler cada fala mas dar uma checada em alguns pontos, sabe?) pois eu sou suspeito nessa questão por preferir mangás no geral.

  7. Avatar

    Primeiramente agradeço o comentário e o elogio.
    E sim, a esperança é que a Hina melhore um pouco nessa reta final depois de tanta idiotice e frescura. E eu fico muito impressionado com o fato de que ela simplesmente não presta quando está apaixonada por alguém, do tipo que perde a razão e alguns princípios apenas por conta de um amor que como você bem citou, enrolou ela até não dar mais.
    Já o Natsuo sempre foi e sempre será um poço de vacilo enorme. Eu também não gosto do Alex, acho a existência dele desnecessária e o Natsuo pareceu estar empurrando ela para o primeiro que apareceu. Se fosse para algum amigo dele teria sido menos tosco mas ninguém em sã consciência faria o que ele fez. No fim, às vezes eu acho que há um exagero na obra para atingir certos acontecimentos e desenvolvimentos.

  8. Avatar

    Na verdade nem teria tanto problema assim se fosse uma relação de longa data (ok, poderia ser até certo ponto ao menos). E considerando o que você mencionou sobre a situação da mãe da Hina, eu acho que no fim a atitude dela perante esse relacionamento é quase inexplicável e completamente insustentável. Me pergunto o que aconteceria se a mãe soubesse disso…

  9. Avatar

    Sobre a existência do Alex na obra, creio eu que ele é um exemplo de grande exagero para atingir certos acontecimentos, porque não é possível um personagem ser tão pobre em desenvolvimento e fútil que nem ele. Tem muitos situações no manga que poderiam ser desenvolvidas sem a presença dele e sem levar o leitor ao desgosto que é ver esse cara na obra.
    Estou começando a achar que foi de proposito ele ser tão sem graça, pois os demais personagens que aparecem no manga são bem mais desenvolvidos (no pouco tempo que aparecem) do que ele.

  10. Avatar

    De acordo. Ele não tem utilidade alguma na obra e é extremamente forçado alguns acontecimentos que envolvem ele. É uma pena que tal personagem exista numa obra que costuma trabalhar bem os personagens como você mesmo mencionou.

Deixe uma resposta para kinjos Cancelar resposta