Bom dia!

O Giess é triste e a Chisato é triste. As garotas mágicas são tristes, e os soldados e oficiais militares se sentem mal por dependerem de crianças para lutar suas guerras. Os monstros invasores foram derrotados mas o mundo em si é um lugar triste.

Pelo menos a Asuka é privilegiada de ter suas amigas queridas. Mas fiquei com a impressão que do que depender da Brigada de Babel isso não vai durar também.

Ler o artigo →

É engraçado como Vento Aureo sempre consegue render uma boa luta, não importa o Stand inimigo ou as circunstâncias do combate. Aliás, são elas que têm deixado os combates tão instigantes, afinal, o lugar, a ativação ou não do Stand e a decisão de quando recuar ou atacar têm sido imprescindíveis para determinar os desfechos das lutas. Dessa vez Narancia brilhou novamente, tendo uma ajudinha de nosso amado e super desenrolado GioGio. Entre The Clash e Talking Heads fico com o Aerosmith!

Ler o artigo →

O que pode sair de um episódio no qual se tem um quase cego que quer ver – achar também o seu gato perdido – e uma desmemoriada que não desejava lembrar de onde veio? Bom, as probabilidades diziam que ambos podiam se dar mal, ou então os dois sairiam lucrando e numa terceira hipótese, um ganharia e o outro se lascaria.

Os problemas da dupla de protagonistas eram inconvenientes, cada um a sua maneira, porque afetavam os planos e sonhos deles. A diferença aqui são os reflexos que essas duas situações trariam no final de tudo – o gato preto ajudou um e deu azar para a outra.

Ler o artigo →

E não é que estávamos enganados? Terada não é traidor! Só é idiota mesmo. Não sei se sua jogada de distração foi efetiva para o ataque surpresa, afinal não vimos a luta e acredito que, sendo ataque surpresa ou não eles ganhariam o embate.

Vamos para uma luta que pareceu mais uma sova: Ritsu contra Shimazaki. É óbvio que se comparado a muitos espers apresentados na série, Ritsu não é tão forte assim, mas ele consegue compensar com seu intelecto ao utilizar tudo que puder a sua volta. Mas já era de se esperar que o resultado do combate fosse a derrota do garoto.

Ler o artigo →

A Pequena Sereia é um clássico conto de fada, conhecida, principalmente, por sua versão da Disney. Esse anime é uma versão japonesa produzido pela Toei em 1975, 14 anos antes do Mickey fazer o mesmo. E ela expressa muito bem a diferença cultural existente entre Japão e Ocidente com relação aos conteúdos infantis.

Ler o artigo →