Música, dança e atuação são elementos essenciais para um artista se destacar no teatro ou na televisão. É claro que uma atriz ou um ator não é obrigado(a) a dominar esses elementos citados, mas quem os domina pode se considerar um artista completo.

Ler o artigo →

Uma das franquias de anime de idols mais populares do Japão (e quem sabe do mundo) está de volta com sua versão curta (3 minutos a série de TV, e 1 minuto e meio o OVA), para a felicidade dos fãs de The Idolmaster. Enquanto não vem um novo anime da franquia com uma duração mais longa, temos que aproveitar a terceira temporada de Cinderella Girls Gekijou, que apesar da curta, é divertida e não se gasta muito tempo para assistir. Outra opção é assistir tudo de uma vez quando a série acabar daqui a três meses.

Ler o artigo →

Balas para todo lado, corpos espalhados pelo chão, tudo isso faz parte de um cenário desolador de um jogo como o Gun Gale Online, vulgo GGO. Entretanto, nada muda o fato que é somente um jogo online de realidade virtual, cujo os personagens, de modo geral, não sofrem risco, por mais que sofram uma “morte” horrível dentro do jogo. Todavia, isso não significa que não dá para se divertir com combates existentes no anime. A direção através de vários tipos de recursos, que vão desde o uso da trilha sonora (OST) ao uso do “bullet time (técnica que consiste em diminuir a velocidade de objetos que não seriam perceptíveis para o espectador numa velocidade normal. No caso dessa obra, tem algumas cenas que dá para ver balas em câmera lenta) se esforça para promover combates tão empolgantes como num combate “real”.

Ler o artigo →

Para um anime de ação, esse episódio foi quase perfeito, tendo um ou outro detalhe que me incomodaram. Enfim, pergunto-me se os fãs da franquia estão gostando ou não desse spin-off. Até agora ele tem sido melhor do que os piores momentos da série principal, mas tem sido inferior em relação ao que SAO pode oferecer de melhor.

Esse novo arco começou bem, iniciando um novo conflito e mostrando como a protagonista evoluiu em relação aos seus problemas pessoais. Agora tivemos um episódio digno de um anime de ação. Porém, confesso que não sou muito bom em comentar animes que tenham combates a todo instante, sem foco em personagens e em seus dramas.

Ler o artigo →

Começo este artigo com a seguinte pergunta: O que nos faz humano? Será que apenas fazer parte da espécie Homo Sapiens é suficiente para nos tornamos humanos? Biologicamente sim. Mas segundo a ética é necessário seguir diversos padrões e normas sociais para nos distinguimos dos demais seres vivos.

Esse artigo é parte do Cineclube Anime21. Toda semana a nossa equipe irá assistir um filme anime e comentá-lo, e a melhor parte é que você está convidado! Entre em nosso chat no Discord, que é onde iremos discutir, assista filmes anime e converse sobre eles conosco antes das resenhas saírem aqui no blog.

Ler o artigo →

Jogos onlines são bons meios de entretenimento que se tornaram populares, principalmente, entre as pessoas mais jovens. Para algumas pessoas um simples jogo não é apenas um mera forma de se distrair, mas sim uma forma de escapismo da realidade. Isso também é válido para qualquer forma de entretenimento, como livros, filmes, animes, entre outros meios.

Ler o artigo →

Os japoneses são especialistas em transformar qualquer coisa (qualquer coisa mesmo) em garotas bonitas e/ou fofinhas. Tal criatividade pode ser vista para alguns como bizarro, para outros algo divertido. Em alguns casos, por trás desse tipo de personagem esconde uma mensagem sobre preconceito e como conviver com as diferenças.

Esta lista contém alguns animes cuja a figura de seres horripilantes como os monstros ganharam uma roupagem (bem mais bonita, por sinal) com diferentes tipos de abordagens, que variam do ecchi à comédia, passando por romances.

Ler o artigo →

Há quem diga que a batalha final do Squad Jam foi desigual, para as adversárias de nossa coelho de uniforme rosa, pois a LLENN tinha ao seu favor o protagonismo. Entretanto, qual o mal de haver protagonismo? A história é sobre a LLENN/Karen, então ela tem que brilhar.

Ler o artigo →