[sc:review nota=3]

Mado, o inspetor sádico que morreu na primeira temporada tem uma filha. Ela também não parece ser normal, e acaba de virar uma inspetora. E se tornou parceira do Amon, como seu pai um dia foi. Teve até um flashback de quando o Mado era aparentemente um cara mais normal. Não me importo com o Mado, ele morreu na primeira temporada e eu nunca gostei dele. Agora vou ter que aguentar a filha dele. Esse foi um episódio onde não aconteceu muita coisa. O momento mais emocionante foi quando eu pisquei depois de quase dormir sentado na cadeira.

Sobre o protagonista, Kaneki, pouca novidade. Ele agora está comendo carne humana. Ele está matando para comer ou apenas está comendo espólios de batalha? Ele agora é um dos capitães da Aogiri, e a organização está tomando mais territórios. Mas o que significa a Aogiri tomar mais territórios? Duvido que estejam exterminando toda a vida humana que há neles, então para quê? Será que estão jogando War Live-Action contra a CCG? Ganha quem conquistar 18 distritos primeiro e ocupá-los com pelo menos dois exércitos? Brincadeiras à parte, imagino que “conquistar” signifique apenas derrotar e expulsar a CCG do distrito, matando-os se necessário. Ou necessariamente matando-os, não sei. Com isso eles criam um lugar mais feliz e seguro para os demais ghouls – e mais infeliz e aterrorizante para os humanos, creio.

Claro que a intenção de Tokyo Ghoul ao criar essa oposição é provocar: se os ghouls matam humanos, a CCG, dos humanos, mata ghouls, então como um pode estar mais certo ou mais errado? A balança ainda pende para o lado dos ghouls depois de assistirmos por uma temporada inteira um grupo de ghouls que não matam humanos, e portanto estão claramente na posição de vítimas atacadas por seres humanos que nem sequer querem entender suas circunstâncias. Eles são ghouls e merecem ser exterminados, ponto. Mas a Aogiri não é nenhuma vítima. Talvez eles não sejam os vilões terríveis que a primeira temporada os fez parecer ser (e eles precisavam parecer vilões terríveis para que os ghouls da Anteiku parecessem ainda mais boas pessoas, por contraste), mas estão no mínimo agindo da exata mesma forma que a CCG. Houveram momentos constrangedores na primeira temporada onde os inspetores lamentavam a morte de um dos seus, e eu como expectador já convencido de que eles eram no máximo tão horríveis quanto os piores ghouls não conseguia me importar. Mas a questão continua fazendo sentido: todos os inspetores são pessoas horríveis? Ou para fazer sobre eles a mesma pergunta que se faz sobre ghouls, todos os inspetores são monstros? Da minha cadeira privilegiada fora da história eu sei que nem todo ghoul é um monstro, mas os inspetores sabem disso? Eles têm meios de saber? A Aogiri está se importando com quais deles mata ou deixa de matar?

Teria sido mais interessante um desenvolvimento nesse sentido, e acho que veremos isso ainda nessa temporada. Mas não nesse episódio. Esse episódio foi sobre a CCG, de cima para baixo. Começando com uma reunião de alto nível discutindo o avanço da Aogiri e ghouls notáveis. Sobre isso, temo que o Kaneki ter se tornado um membro da Aogiri pode acabar tendo o efeito contrário ao pretendido por ele, atraindo a atenção da CCG para o distrito 20, do Anteiku e onde ele próprio foi visto pela primeira vez. Também estão preocupados com a reaparição do Coruja, que é o Yoshimura, pacífico bom velhinho dono e gerente do Anteiku. Isso é outro fator desestabilizante para o Anteiku, mas é de certa forma um alívio para eles terem um ghoul tão poderoso os protegendo. E parece que ele foi o protagonista de uma batalha épica algumas décadas atrás que alguns dos inspetores da história ainda se lembram e a qual toda a CCG quer evitar que se repita a todo custo e por isso a preocupação com a Aogiri. Essas informações todas são legais, mas em geral eu prefiro que mostrem ao invés de contar, é muito mais divertido. Por outro lado contar é mais rápido e podem estar só preparando o terreno para a história de verdade ser mostrada.

Enfim, depois da reunião de cúpula, entra em cena o dia a dia de uma equipe específica da CCG. A equipe do inspetor Shinohara e do Amon, naturalmente. Eles são um bando esquisito de fazer inveja à própria Aogiri em termos de esquisitice. A inspetora (ou inspetor, sei lá) toda remendada faz parte deles, bem como um inspetor que eu não sei como conseguiu se formar na academia de inspetores. Deve ser a falta de inspetores por causa dos ataques da Aogiri que permitiu a ele graduar-se, sei lá. E ele fica ainda mais burro quando aparece a Akira Mado, a filha daquele Mado louco da primeira temporada. Ela é bastante esforçada e inteligente, e com o inspetor burrão reclamando e gritando a cada vírgula que ela fala, Akira fica parecendo ainda mais inteligente e especial. E ela é a nova parceira do Amon, que não sabe como lidar com ela. Da forma como o Shinohara falou, fiquei com a impressão que ele estava sugerindo um futuro relacionamento romântico entre os dois. Nada contra, mas espero que não aconteça. Já tem coisa demais para ser tratada em Tokyo Ghoul, não quero que tempo em tela seja perdido com um caso de amor entre inspetores. Esse episódio já focou nos inspetores e foi chato o bastante.

Discussão