[sc:review nota=3]

 

 

Este primeiro episódio de da terceira (e provavelmente última) temporada de Kuroko no Basket não trouxe grandes novidades, mas conseguiu cumprir seu papel de manter a chama dos fãs antigos acesa, ao mesmo tempo em que consegue ser um chamariz para potenciais novos espectadores. Rápido, com poucas novidades, e claramente se encaminhando para o fim, já que os jogos estão partindo para as quartas de final do Campeonato de Inverno e o único ex-membro da Geração dos Milagres que ainda não foi confrontado é justamente o antigo e sádico ex-capitão Seijuro Akashi. Sabe como é, o chefão definitivo.

Este foi um episódio imediatista, se passando logo após o último jogo da temporada anterior, e a primeira metade se utiliza de uma entrevista com os campeões para se valer de flashbacks dos melhores momentos. Cenas do jogo contra o Shutoku, do Midorima, e conta a Touou do Aomine faíscam na tela,incluindo aí as melhores sacadas e as jogadas vitoriosas. Eu particularmente senti prazer em rever parte do mano a mano do Aomine com o Kagami, logo após este conseguir entrar na zone como o moreno. Apesar de parecer mais com uma cena de fantasia do que um jogo de basquete, a animação foi capaz de gerar movimentos muito bons e este é sem dúvida o meu jogo favorito. Mas o Kagami não pode brilhar sozinho, e o movimento mais forte do Kuroko,  o Ignite Pass Kai, é reexibida de vários ângulos seguidos. Quase um golpe de lutador secreto de video game, mas ok.

 

Meia lua duas vezes pra frente + quadrado e triângulo juntos + esfera três vezes bem rápido.

Meia lua duas vezes pra frente + quadrado e triângulo juntos + esfera três vezes bem rápido.

 

Após o final da entrevista, Kuroko conversa com sua luz. Ele está insatisfeito com a aposta estúpida que Kagami e seu amigo de infância, Tatsuya, fizeram para deixarem de ser irmãos independentemente de quem vencesse o jogo.Para demonstrar a sua determinação, Kagami havia pedido a ele que jogasse fora o anel que representava a antiga irmandade, mas este não o fez. Devolveu o objeto, deu uma bela bronca e o mandou ir consertar as coisas com Himuro. Olha, ainda bem que ele o obedeceu, porque as coisas estavam complicadas do lado de fora do ginásio. É que, ao mesmo tempo em que esta conversinha ocorria, Tatsuya estava sendo consolado por Alex, antiga treinadora dos garotos quando mais novos. No entanto, sem motivo algum um rapaz alto e com uma daquelas expressões que faz qualquer um querer batê-lo se aproxima, faz provocações, fere o Himuro e machuca Alex. É Haizaki, pelo visto um antigo desafeto do time Teiko, capaz de revirar o estômago de Kise e Aomine apenas com lembranças. Lembram dos agressivos jogadores da Kirisaki Daichi, cujo estilo de jogo consistia em ferir o time adversário sem que os juízes percebessem? Eram apenas amadores perto de Haizaki.

 

Let's play, Kurochin?

Let’s play, Kurochin?

 

Calmo e controlado como é, Kagami não hesita em atacá-lo, e até mesmo Kise perde a calma. Felizmente as provocações permanecem apenas verbais com aquela velha promessa de “nos acertaremos em quadra”. As informações recebidas são de que seu nome completo é Shougo Haizaki, fez parte do time da Teiko na posição de armador que depois seria assumida por Kise, mas era tão agressivo e incontrolável que acabou sendo expulso por Akashi. Obviamente o rapazinho não está feliz com isto e tem como objetivo roubar a fama de um dos antigos membros derrotando-o em quadra. E, como desgraça pouca é bobagem, ele será adversário de Kise na partida subsequente. Ainda é pouco? Kise, a estrela do time e alvo de Haizaki, aparentemente está sentindo dor, talvez problemas no joelho ou tornozelo. A derrota nunca pareceu tão próxima. Mas precisaremos esperar no mínimo mais dois episódios para confirmá-la.

Agora, tomarei certa liberdade para comentar sobre esse encerramento cheio de fanservice claramente dirigido para o público feminino. Acho muito pouco provável que alguma garota (e quem sabe alguns caras também) não tem murmurado ao menos um “owwwwnnn” ou um “ai ai…” acompanhando de um coraçãozinho flutuante ao lado da cabeça. Foi fofo. Muito fofo. Obrigada IG, por me fornecer uma temporada com tanta fofura.

 

Faz "owwnnn" também, faz.

Faz “owwnnn” também, faz.

Discussão