Bom dia!

Bem-vindo ao Café com Anime, um bate-papo que eu e Diego (É Só Um Desenho), Gato de Ulthar (Dissidência Pop) e Vinicius (Finisgeekis) temos todas as semanas sobre alguns animes da temporada. Cada um publica em seu blog as transcrições das conversas sobre um anime diferente.

No Dissidência Pop vamos acompanhar Hanebado!. No É Só Um Desenho vamos acompanhar Shoujo Kageki Revue Starlight. No Finisgeekis vamos acompanhar Happy Sugar Life. E aqui no Anime21 vamos conversar sobre Banana Fish.

Nessa edição do Café com Anime, leia a nossa conversa sobre o episódio 4.

Fábio "Mexicano":
Banana Fish tem uma coleção de mistérios ainda, mas não faz muito sentido especularmos sobre eles, não é? Bom, tenho certeza que vamos especular mesmo assim porque é divertido, mas quero dizer, mais incríveis coincidências aconteceram nesse episódio. E o mais incrível ainda é isso não me incomodar nem um pouco. Acho que eu simplesmente gosto desses personagens e da história deles nesse cenário, e dane-se se o enredo está cheio de conveniências que já começam a parecer bastante artificiais. Se querem saber, acho até que estou gostando disso.

Mas gosto mesmo é dos personagens. Do Ash, em particular, que continua em queda-livre. Acho que agora não tem como cair mais fundo, tem? O pior é que tem. Ao mesmo tempo, eu sinto que eu queria ter me emocionado mais com a morte do Griffin. Não, não com a morte dele em si, eu nem conhecia ele, mas com o impacto da morte dele para o Ash. Por algum motivo, eu meio que não senti nada. E talvez o Ash também ainda não tenha sentido nem metade do que ele deveria sentir, e esse é todo o ponto do anime. Palmas para Banana Fish.

Diego:
Pergunta rápida: o anime já tinha apresentado aquele ruivo de óculos e avental de laboratório antes e eu não lembro, ou realmente esse moleque saiu do nada agora? 😛 Bom, seja como for, já queria aproveitar pra dizer que duvido muito que ele seja “o” Banana Fish: deve ser só um pau mandado qualquer. Mas acabou que isso me fez pensar: qual será realmente a relação entre o Papa Dino e o Banana Fish? Eu estava sob a impressão de que o Papa Dino não tem realmente nenhum controle sobre o Banana Fish, quem quer que ele seja, e é justamente esse controle que ele busca. Mas será que o Banana Fish é na verdade subordinado ao Papa Dino? Ou… vice versa? Sei lá, só umas perguntas que só me vieram agora, por algum motivo.

Mas voltando ao episódio, para mim o ponto alto dele foi quando vemos o Ash chorando na cela pedindo ajuda ao jornalista, finalmente admitindo que ele não faz nem ideia do que está fazendo. Tínhamos discutido no Café anterior como parecia que nem o próprio Ash sabia qual era o seu plano, e essa cena meio que cimenta exatamente isso. O que de certa forma dá uma boa aprofundada no personagem: por baixo da postura arrogante ele ainda é, afinal, um adolescente não realmente tão mais espero do que aqueles que estão no seu encalço. E pelo visto agora que “caiu a ficha” da morte do irmão, também caiu a de que ele estava apostando em um plano que ele próprio não havia bolado ainda.

Vinícius Marino:
Banana Fish é uma daquelas séries raras que nos dão exatamente o que pedimos e ainda conseguem nos impressionar. Falávamos que Ash teria um momento de Rorschach, e veja que ele detona um preso contra o espelho e castra outro com um garfo! Mais do que isso, ele faz coisas que não imaginaria nem o Rorschach fazendo. Deixar-se ser estuprado de propósito para ir à enfermaria? Esse sujeito não bebe mel, chupa abelha!

E então temos a cena do final que o Diego bem lembrou. Banana Fish nos puxa pelo pé de volta para a Terra, e lembramos que esse menino não é um super-homem. Não é sempre que eu digo isso de uma trama de ação, mas Banana Fish merece o comentário com toda a honra: eis um anime com um coração gigantesco.

Que humanidade! Que elenco forte. Que vontade que eu tenho de seguir acompanhando seus percalços!

Gato de Ulthar:
Respondendo o Diego, sim ele já havia aparecido antes, não tirado do nada.
Fábio "Mexicano":
Acho que apareceu no primeiro episódio mesmo, não? É o capanga do Papa Dino responsável pela droga
Gato de Ulthar:
Esse mesmo.

Quanto ao episódio em si, fica até difícil ter o que dizer dele, já que vem fazendo tudo direitinho até agora. Essas tramas dentro de cadeias são muito interessantes. O fato de ter tantas pessoas presas em um lugar torna o presídio um microcosmo com suas próprias regras. É realmente difícil ver um anime com esse tipo de abordagem, que é bem típica do cinema americano.

Fábio "Mexicano":
Um lugar com suas próprias regras com as quais o Ash não poderia se importar menos, não é? Ele entende direitinho tudo o que acontece ao redor dele, e simplesmente não se importa.

Mas quando ele perde algo importante … bom, o irmão já estava daquele jeito há anos, mas mesmo assim deve ter sido um choque que ele não terminou de processar direito.

Gato de Ulthar:
O Ash faz o que tem que ser feito, simplesmente isso. Só que isso o faz ser cada vez mais respeitado entre os presos, que vão pensar duas vezes antes de se meter com ele
Fábio "Mexicano":
Quando será que ele vai parar para pensar que se ele não estivesse tão determinado a se vingar, seu irmão não precisaria ter o morrido? O Skipper não precisaria ter morrido? Até quando ele vai continuar arriscando a vida dele e dos outros – principalmente a do Eiji?
Diego:
Eu não sei se ele vai ter essa realização – e para ser franco eu não realmente gostaria disso. Em última instância a culpa ainda é toda do Dino. É verdade que nada disso teria acontecido se o Ash tivesse entregado o frasco para o Dino, mas ao mesmo tempo nada disso teria acontecido se o Dino não quisesse esse frasco – ou não tivesse estuprado o Ash por anos – em primeiro lugar. O Ash não tem culpa aqui, e o anime fazer ele pensar que tem… francamente, é um clichê que eu poderia passar sem.
Fábio "Mexicano":
Diego, é lógico que quem fez a merda toda em primeiro lugar foi o Papa Dino, e isso não está em questão. Mas essa é claramente uma história de vingança, e é assim que elas funcionam. A comparação com 91 Days, que tem aparecido nas nossas discussões, é direta nesse caso. É lógico que a culpa original não era do Angelo. Não obstante …
Gato de Ulthar:
Em meios de gangsters, chefões vem e vão, seja por vingança ou somente por interesses econômicos. O que mais surpreende é o fato do Papa Dino ser um voraz violador sexual. Não vejo outra alternativa se não o Ash buscar sua vingança.
Fábio "Mexicano":
Ele poderia, por exemplo, ir morar do outro lado do país e esquecer essa história toda 😛 Ficaria em segurança com seu irmão. Eu acho que já disse isso em uma sessão anterior, inclusive. Claro que se o Papa Dino realmente quiser, provavelmente poderia persegui-lo com grande chance de encontrá-lo, dados os recursos e contatos que ele tem, mas impossível não deve ser. E de todo modo, tenho certeza que o Ash nunca jamais sequer cogitou isso. Essa cegueira é da natureza de uma história sobre vingança.
Vinícius Marino:
Acho que vocês estão falando de duas coisas diferentes. Uma é saber quem tem “culpa”, o que é uma pergunta quase retórica. É óbvio que o Papa Dino é o grande vilão por ter corrompido o Ash e trazido o sofrimento a todos. A outra é saber se a vingança, além de atender aos impulsos bestiais de um adolescente traumatizado, não pode causar ainda mais dano a terceiros. Que é o ponto que o Fábio trouxe e que de fato é tocado em outras histórias de vingança. Descer ao abismo da retaliação é um caminho que não nos torna pessoas melhores e pode até destruir nossa humanidade. Será que o Ash, do alto de seus 17 anos, está disposto a fazer isso? Será que isto não o transformará em um novo Papa Dino? Será que o Papa Dino também não foi um Ash muito tempo atrás, posto que a violência é a língua franca do crime?

O Fábio trouxe 91 Days, e eu vou trazer outro anime de vingança, Gankutsuou, baseado na maior história de vingança já escrita: O Conde de Monte Cristo.

Sua história, fiel ao livro de Dumas, é uma trama complicadíssima de vingança em que sempre torcemos para o titular Conde. Mesmo assim, quanto mais ele adota as sombras para bolar seus estratagemas (Gankutsuou significa “O Rei da Caverna”) mais somos levados a questionar se ele preserva algo de sua humanidade. Pior: os crápulas que o ferraram na juventude são todas pessoas ruins, mas seus filhos, esposas e agregados são gente decente, que logo se vêem na linha de tiro de sua vingança. Estaria ele certo? Seria isso o melhor a fazer? Quantos inocentes mortos ou arruinados bastarão para satisfazer o ódio?

Não espero que Ash seja capaz de ver essa big picture sobretudo porque ele é um gângster. Brigas entre gangues são muito pautadas por questões de honra, com ciclos de vendettas escalando para guerras abertas em que todos perdem e eventualmente são dominados por grupos de fora. Mas enfim, faz parte da personagem. Todos nós estamos presos à nossa própria experiência.

Gato de Ulthar:
Ash é um cara simples em busca de vingança, somente com um pouco mais de inteligência e sagacidade que o padrão comum, não é um estrategista ao nível do Lelouch de Code Geass muito menos um assassino sangue-frio ao nível do Justiceiro da Marvel. Acho que seu plano de ação será exclusivamente se focar em derrubar o Papa Dino, minando suas forças de pouco a pouco, ganhando confiança de outras gangues, etc. Não duvido que ele mesmo se torne um chefão depois de tudo isso. E onde entra o Eiji em tudo isso? Acho que ele será a tábua de salvação o Ash, impedindo que ele vá em direção ao fundo do poço.
Fábio "Mexicano":
Em minha experiência com animes sobre vingança, raramente eles possuem final feliz e salvação. Talvez salvação moral, se você considerar que reconhecer seus erros no final ou algo do tipo é uma forma de salvação. E sim, o impoluto Eiji é capaz de fazer isso por Ash, mas é possível que ele faça isso morrendo pelo amigo (amante?), então tentem não se apegar demais aos personagens.

Mas chega de só especular sobre o que não vimos ainda. O que acharam do desenvolvimento da relação entre Ash e Max nesse episódio?

Diego:
Eu achei bem interessante, e muito bem executado. Mostrando o quanto o Max ainda se sente culpado, bem como o quanto o Ash ainda é capaz de se abrir para alguém quando a situação exige. Não tenho muito o que comentar, mas foi um desenvolvimento legal e bem orgânico. Mesmo o infame clichê de socar um ao outro para retomarem o bom senso – que eu já critiquei em algum outro Café que não lembro agora (aliás, lembrei enquanto escrevia: foi no de Mahou Shoujo Site) – teve seu sentido aqui, sendo o Ash alguém praticamente criado nesse ambiente de violência.
Vinícius Marino:
Achei mais interessante que a relação entre ele e o Eiji, até. Eis duas personagens que têm agendas próprias muito bem definidas e têm muito a ganhar (e a perder) se abrindo uma com a outra. Lembrou-me um pouco a cumplicidade entre Angelo e Nero ao final de 91 Days, a despeito de se dar em termos bem diferentes. Em ambos os casos, no entanto, temos personalidades antagonistas que aprendem a trabalhar juntas. Espero muito dos dois – e sobretudo do Max. Vamos ver o que a história traz para eles!
Fábio "Mexicano":
Achei o Max um personagem muito interessante também. Ele poderia ser o protagonista do anime, no lugar do Ash. Um veterano de guerra traumatizado e torturado por ter atirado no melhor amigo. Acima de tudo ele se sente culpado, e é por isso que ele continua por anos a pesquisar sobre a misteriosa droga que Griffin consumia. É fundamentalmente diferente do Ash, que está buscando se vingar. Max quer aliviar a própria culpa. Se um dia ele estiver cara a cara com quem criou a droga ou a forneceu para Griffin, talvez ele possa dizer “a culpa é sua, não minha!”. Não acho que ele vai se sentir melhor com isso, porém, mas ele precisa tentar. É o que dá sentido a sua vida.
Gato de Ulthar:
Max é um personagem bem maneiro, além do que já foi apresentado ter sido interessante, ele ainda possui muito potencial, como bem levantou o Fábio. Vamos supor que ele continue sua investigação pelo Banana Fish, ainda mais pelas informações dadas pelo Ash.
Fábio "Mexicano":
Será que o Ash ainda vai querer matar o Max? Será que o Max acabará sendo mais uma morte colateral por causa da vingança do Ash? A gente descobre nos próximos episódios e vem discutir aqui de novo. Até! ☺
  1. Avatar

    Vcs estão tão obcecados com 91 Days que são as primeiras pessoas que vejo definirem Ash como um cara cujo objetivo é se vingar. Até hj, todo mundo que eu já vi comentar sobre BF fala como o Ash a vida inteira fez o possível para tentar se ver livre desse mundo de violência, mas quanto mais ele tenta sair, mais ele se afunda.
    Se envolver com o caso Banana Fish para ele era mais uma forma de encontrar uma cura para o seu irmão do que buscar vingança por ele, tanto que sua primeira atitude não foi investigar as palavras misteriosas do falecido para tentar descobrir o culpado, mas sim levar a droga para o doutor analisar e tentar descobrir se tinha alguma forma de ajudar o irmão dele. Mas acho que isso fica mais claro a medida que o Ash se abre mais.
    Quanto ao Ash largar tudo e ir morar em algum lugar distante… deixa a história avançar para vcs verem o tamanho da obsessão do Dino com o Ash, o fdp “investiu” muito para “domar” o Ash e fazer ele ser seu sucessor para simplesmente deixar ele ir embora assim.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Talvez seja o caso no mangá. Não foi o que pareceu no anime até agora. No segundo episódio ele corre em fúria para se vingar … do Marvin, ok. No terceiro episódio, preso, ele descreve para Max sua motivação com expressões como “Desde que me sequestraram (…) aguardei a minha chance”, “Preciso enfrentá-lo” e “Nunca vou perdoá-lo”. Talvez haja algo além da vingança, mas pelo menos por enquanto você vai ter dificuldade para me convencer que Ash não quer se vingar.

      Nem todo modo que se vinga é um mestre enxadrista como os citados Conde de Monte Cristo, Angelo e Lelouch. Talvez o Ash seja mais parecido com o Leon do primeiro cour de Garo: Honoo no Kokuin? Quem sabe a Ryuuko de Kill la Kill? O Barnaby de Tiger & Bunny não parece ter plano nenhum mas é muito frio para o Ash, e a Alka de Blade & Soul está apenas seguindo sua doutrina cegamente. Enfim, existe uma pluraridade de histórias sobre vingança. Banana Fish por enquanto com certeza parece ser uma dessas. Insisto: por difícil que pareça, ele sempre poderia fugir. Os EUA são um país continental, a ideia de que um mafioso, por poderoso que seja, possa encontrar qualquer pessoa em qualquer lugar é ridícula. Mas o cerne da questão nem é esse: por tudo o que me parece até agora, Ash nunca sequer cogitou fugir. A ideia de que o Ash busque liberdade, no sentido literal (no sentido metafórico a vingança pode “libertá-lo” também), perde força diante dessa circunstância.

      Cabeça de 17 anos, uma vida miserável, talvez ele esteja só confundindo as coisas. É comum fazer besteira quando não se entende direito alguma coisa.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

  2. Avatar

    Ash fala sim que precisa enfrentá-lo, mas que é para se ver livre da influência dele e não para fazê-lo pagar pelo que fez, e ainda termina a frase com um “eu vou sobreviver”. O anime até mesmo altera algumas cenas para dar uma ênfase maior ao desejo de liberdade do Ash, principalmente na cena dele com o Eiji no hospital, onde a Utsumi até mesmo adiciona pássaros voando livres além da janela, o que não tinha no mangá.
    Ainda sobre o Ash fugir do Dino, mesmo os EUA sendo continental, se o Ash se assentar em um lugar e tentar levar uma vida normal, dado o devido tempo, é possível encontrá-lo. Passar os dias na ansiedade com medo do Dino te encontrar, passar os dias constantemente fugindo ou enfrentar o cara de vez e acabar com isso. Acho que só uma dessas escolhas define viver livre e em paz.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Agora é você mesmo quem está dizendo que ele precisa acabar com o Papa Dino para ser “livre”. Qual a diferença prática entre isso e uma vingança?

      Eu realmente não acredito que seja impossível fugir sem deixar rastros. Mas vá lá, não sou nem eu nem você que precisamos acreditar nisso, mas o próprio Ash.

      E eu não sei nada sobre o Dino. Ele fez tudo isso, é tão obcecado, é? Vamos ver. Não vi nada disso no anime. Para todos os efeitos, mantenho a minha posição. Mas prometo que vou prestar atenção em sinais que apontem para outras direções.

  3. Avatar

    Vingança implica querer matar o cara, não? A ideia do Ash era ter poder como líder de gangue o suficiente para fazer com que eles não precisassem mais se submeter ao poder e influência da máfia do Dino. As cenas dele com o Arthur sempre chegam no ponto de como o Arthur virou o “cachorro” do Dino, ou então os outros carinhas da gangue dele que trabalharam para o Dino para matar o cara que tava com a droga e ele os acabou expulsando. O Ash quer se ver livre da influência dele, não matar o cara.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Não vi isso no anime. Se está falando do mangá, estamos falando de coisas diferentes. Ele falou sim, uma vez, para os membros de sua gangue não tratarem a máfia do Dino como seus superiores, mas no mesmo episódio pouco tempo depois o próprio Ash foi convocado e encurralado pelo Dino. Aquilo me soou mais auto-afirmação ou, sei lá, rebeldia adolescente mesmo (o próprio Dino parece ter entendido dessa forma). De todo modo, a liberdade entre uma gangue e uma máfia é algo que diz respeito à negócios, não a anseios pessoais.

      Ele quer ser livre sem matar? Ele quer ser livre continuando sendo um bandido de rua no quintal do Dino? Ele me pareceu até agora mais inteligente do que isso. O Ash não parece ter planos muito claros ou definidos com antecedência, ao invés lidando com as coisas conforme elas acontecem, mas tonto ele não é. Para ser livre sem fugir, precisa matar ou se tornar mais poderoso que o Dino, não existe outra opção. E uma gangue de rua nunca vai ser mais poderosa que uma máfia.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Essa fala foi no contexto dele se abrindo para o Max. Ele diz para o Max que queria odiá-lo, e daí completa com o que você falou. Não implica necessariamente que ele não odeie ninguém – apenas que não odeia ninguém a quem possa ferir naquele momento, descontar a dor e a angústia imediatas dele. Quero dizer, foi assim que eu entendi. Talvez a história ainda me convença do contrário. Talvez ele surpreendentemente não odeie o Dino?? Quem sabe.

Deixe uma resposta para virtual_core Cancelar resposta