Parece até que o “humano x” foi a uma festa do sushi, não é mesmo? Agora nós saímos da parte onde as bactérias de doenças respiratórias apareceram e estamos na parte estomacal, melhor lugar para se retratar fatos sobre parasitas, assim como a intestinal.

Vira e mexe há surto de vermes, e a principal causa disso é quando o animal não é bem tratado, cru ou mal cozido. Um tipo de tênia que dá em peixes, a Diphyllobothrium latum, é de muita importância em se tratando desse assunto, apesar de não ter sido retratado no anime. Além de ataque de um verme chamado Anisakis, também houve a invasão bacteriana de Vibrio parahaemolyticus, os dois muito comuns em peixes e frutos do mar. Ter intoxicação alimentar é muito comum em lugares onde a comida esteja contaminada, então alguém nesse restaurante, ou o próprio “humano x”, não teve cuidado ao fazer a comida.

Mas quem vai(ou pelo menos tentar e depois conseguir) combater os invasores é uma das células que fazem parte do nosso sistema imunológico: o Eosinófilo.

Primeiro, antes de iniciar o artigo em si, eu gostaria de dar algumas informações sobre três células que apareceram neste episódio: o Eosinófilo, o Basófilo e o Monócito. Há dois tipos de leucócitos: os granulares(que têm os grânulos, responsáveis pela fagocitose, são os Neutrófilos, os Eosinófilos e os Basófilos) e os agranulares(geralmente responsáveis pela criação de novas células de defesa, são os Monócitos e os Linfócitos).

Eosinófilo: também conhecida como Acidófilo (já que é uma célula que tem predileção por corantes ácidos), é uma célula importante nos processos de alergia, asma e ataques parasitários. Combate os vermes liberando proteínas citotóxicas, também chamadas de PCE (proteínas catiônicas eosinofílicas). No caso do anime, a Eosinófilo usou uma arma peculiar (parece aqueles garfos de churrasco q) para dar um fim ao Anisakis.

Basófilo: é uma célula pouquíssimo encontrada no sangue(porém tem um núcleo bem volumoso se comparado a outras células imunológicas e se cora com corantes básicos, ao contrário do Eosinófilo) e que não se sabe exatamente a sua função. Mas ela participa das inflamações e das respostas inflamatórias liberando histamina. Tem uma frase importante no episódio que diz: “O Basófilo cria uma substância que atrai Neutrófilos e Eosinófilos para a área afetada”, e essa substância é justamente a histamina, que facilita a ida das duas células para o local em que está sendo invadido. O Basófilo também produz heparina, um anticoagulante.

 


 

O que representa quando essas três células estão em maior ou em menor quantidade:

Em menor quantidade:

Eosinopenia: menor quantidade de Eosinófilos significa menor quantidade de Glóbulos Brancos no sangue, mas não costuma ser preocupante.

Basopenia: menor quantidade de Basófilos ocorre devido a alergias severas, gravidez, estresse, hipertireoidismo, medicamentos que suprimem o sistema imune, entre outras causas.

Monocitopenia: menor quantidade de Monócitos geralmente não causam sintomas, mas costuma ocorrer com quem teve infecções na corrente sanguínea, já fez quimioterapia ou já passou por um distúrbio da medula óssea.

Em maior quantidade:

Eosinofilia: maior quantidade de Eosinófilos significa que há uma grande quantidade de Glóbulos Brancos na área invadida, e isso acontece porque: ocorreu uma infecção parasitária, há alguma doença autoimune, o indivíduo está com asma, entre outros motivos.

Basocitose: maior quantidade de Basófilos podem ocorrer principalmente por conta da Leucemia Mieloide Crônica, que possui três fases: a de proliferação celular na fase crônica, a de perda progressiva de diferenciação celular e o quadro de leucemia aguda. Mas também tem outros motivos.

Monocitose: maior quantidade de Monócitos são comuns em doenças autoimunes, infecções parasitárias, entre outras doenças.

 


 

E a participação da Eosinófilo foi importante porque:

Mostrou a importância de uma célula que estava sendo rejeitada por Glóbulos Vermelhos e células normais (que inclusive não fazem nada para combater infecções, mas reclamam de “barriga cheia” quando não são devidamente socorridas), além de mostrar a verdadeira luta que as mulheres passam dia após dia (pelo menos no meu ponto de vista como mulher).

TOMA ISSO, SEU FANFARRÃO! Conseguiu furar a parede estomacal, sabe quanto trabalho dá para fechar isso?! Poxa!

O fato de não conseguir derrotar o Vibrio parahaemolyticus e seus capangas, mas conseguir se livrar de um verme gigante para as células, chamado Anisakis, mostrou o quão forte uma célula pode se tornar contra determinadas condições. Além disso, a batalha que as mulheres passam para mostrar o seu valor também é algo que consegui tirar do episódio (apesar de até uma Glóbulo Vermelha qualquer ter falado mal da Eosinófilo, mas no caso da fofoca, todos nós conhecemos o ditado: quando conta um conto, aumenta um ponto).

Finalmente, após de tanto serviço, o seu trabalho finalmente foi recompensado.

 


 

Muito obrigada por ler este artigo até o final, e nos vemos no próximo artigo! o/

  1. Avatar

    E issaaíi peoples!!! Cuidado com peixe cru (eu particularmente não curto muito não e depois da aula da Fessora e o que foi apresentado vou curtir menos ainda) parece que até mesmo o Ceviche não está a salvo disso aí….Mas falemos de HS o episodio foi muito legal a cada vez mais me admiro como o roteiro transporta a realidade do corpo humano a um mundo corporativo urbano (é uma fábrica, é uma cidade, tem equipes de combate, lideres, comunicações, organização do transito e tudo o mais)…Batalhas horrendas (aquela cena de o GB 1146 saindo do monstrão cortando ele por DENTRO com a sua Shaitan foi bem gore até para alguns companheiros de trabalho dele….Agora o Basofilo foi o mais engraçado de todos ele só aparece quando o pau ta troando e fica recitando groselhas para todos e só sabe fazer issso!!! Mas gostaria que ele aparecesse mais vezes o tom comédico das cenas aumenta em muito.
    E a comparação da Eosonofila lindinha com a luta da mulher foi uma analogia perfeita.

    Parabens Fessora agora estou preparado para a prova do bimestre!!!

    Abraços a todos!

Comentários