Hero Mask foi adicionado na plataforma de streaming Netflix recentemente e conta com 15 episódios. Numa parceria com o estúdio Pierrot (Naruto, Sousei no Onmyouji, Tokyo Ghoul), a obra surpreende por sua animação decente e traz uma história original com ação, ficção científica e mistério. Dirigido por Hiroyasu Aoki (alguns episódios de Hunter X Hunter versão 2011), a obra possui um dos trailers mais inúteis possível e não mostra a que veio em seu episódio inicial. O trailer para se ter uma noção é basicamente composto por vários personagens tomando algum tipo de bebida, apenas isso. Já o episódio vai jogando vários detalhes e elementos para no fim, não deixar nada claro sobre como vai ser.

Nessa história temos como protagonista um policial chamado James Blood. Ele aparenta ser alguém impulsivo demais ao ponto de fazer o possível para cumprir sua missão de alguma forma, mas no fim, descobrimos que ele está nesse emprego faz 7 anos e durante esse tempo acumulou ótimos resultados. O problema é que, apesar de seu sucesso, ele costuma cometer excessos e isso sempre acaba trazendo problemas para seus colegas e ele mesmo, ainda que tenha alguém o acobertando.

Aquele momento em que você percebe que só faz merda

Até aí ok, temos ele agindo numa espécie de manifestação ou festival que em nenhum momento é explicado, mas as pessoas andam por aí com máscaras e sem grande alarde, mesmo após presenciar tiros e pessoas armadas. Ele quebra regras, fere seu alvo mesmo não podendo e no fim, após algumas loucuras, consegue seu objetivo. E até esse ponto a obra estava mostrando algo interessante que poderia ser uma base boa para o resto do episódio, mas o que se vê é uma reviravolta na história em que a vida de todos ali está em perigo, ainda mais depois da morte de uma promotora importante.

Achei incrível que a moça está ali olhando o maluco com a arma e fica bem suave com isso

Essa promotora tinha uma relação próxima com James (algo como uma grande irmã mais velha que limpava sua sujeira) e acaba morrendo de uma forma estranha e duvidosa num incidente cheio de mistérios e perguntas. Conforme o episódio passa, ele vai nos mostrando que a personagem morta estava numa missão importante e a partir disso seus amigos começam uma investigação (mas ao mesmo tempo não fazem isso, pois para ser mais específico isso deve ocorrer nos episódios seguintes). Mas lembra que eu mencionei que a obra não mostra a que veio? Pois é, apesar de tudo a estreia é confusa e explica pouco demais. E eu sei que não irão contar tudo de uma vez, mas para um primeiro episódio a obra me parece tomar um rumo diferente do que já tínhamos visto com alguns elementos de pura ficção, por exemplo.

Seriam esses os principais?

Enfim, é uma história que mostra um potencial, mas fica difícil saber qual será seu norte, pois aparentemente James irá ter dois problemas para resolver. Já no que diz às partes técnicas, visualmente o anime é bonito e eu não me recordo de ter visto alguma cena com imperfeições grotescas. Quando você compara com algum outro anime produzido pelo estúdio chega ser estranho ver um resultado tão interessante sendo feito. No mais, a produção não possui uma abertura ou encerramento e possui dublagem em português que bom… é complicado dar uma opinião, pois há quem não goste de jeito nenhum, mas sinceramente eu não tenho reclamações.

  1. Avatar

    Esse é aquele anunciado que todo mundo toma café aguado…Bem, parece promissor…E já pelo trailer parece que o povo japa tá meio ligado em séries policiais inglesas dos anos 2000…Tem uma que é simplesmente cópia de “Life on Mars” e “Ashes to Ashes” (e não, não vou tirar o prazer de vc assistir as séries inglesas antes) e James Blood é um Gene Hunt (ao povo do Anime 21 vcs não vão se arrepender em conhecer Gene, the Genie) só que com um terno mais bem cortado…E quer uma serie policial em anime que valha a pena ora “Double Decker” está aí povo!

  2. Avatar

    E recomendo assistir em japonês original a dublagem inglesa é aquele sotaque “bland” americano…Pô Netflix poderiam por o Philip Glenister, John Simm, Liz White ou a Keeley Hawes na dublagem para dar aquele toque “British”….Fora que o Alan Moore tá piciroca da vida com vocês!!!

  3. Avatar

    Não a dublagem em português sinto muito mas não dá…Com todo o respeito aos profissionais do ramo…Mas não…E a abertura pegaram carona em “La Casa de Papel”??? Só rindo….

Deixe uma resposta para James Mays Cancelar resposta