A guerra do submundo começa em SAO e enquanto vejo o amistoso da seleção brasileira masculina de futebol fico pensando se posso comparar o Kirito ao Neymar. A diferença é que o primeiro só salva as garotas dos estupros, o segundo chega a ser acusado… É, ninguém se compara ao herói Kirito…

Mesmo inerte em uma cadeira de rodas de madeira? Mesmo assim a Alice não consegue largar o boy que até não é tóxico, mas também não é nada. Zoeiras a parte, você estava com saudades de Alicization? Eu não estava, mas posso comentar essa estreia sem sal (aha, que trocadilho dos bons) sem problemas.

O Kirito se deu mal, mas isso não vai durar, é tipo salário de pobre, dá uma semana e fica na lembrança. Como eu sei que uma hora ele vai se levantar, pegar na grossa, dura e longa espada que o amigo o deixou (além de pegar na dele mesmo), nem tenho mais o que comentar. Voa, menino Kirito!

Quem foi trollado mesmo foi o Eugeo que reencontrou o crush para morrer e entregar ela de bandeja para a maior utilidade que uma heroína pode ter em SAO: entrar para o harém do Kirito. Tirando a Kono Yuuki, que, aliás, é a melhor personagem dessa obra, talvez a única que preste.

Enfim, o Eugeo morreu mesmo foi para não interferir com o harém do protagonista e dar a segunda espada para manter a empunhadura dupla do grande espadachim negro. Foi isso, se você se engana achando que a morte dele teve algum sentido além disso eu tenho más notícias para você…

Kirito apegado a coisa grossa, dura e longa do amigo.

Só eu acho que o autor foi pouco criativo ao criar os Cavaleiros Sagrados de blablablá? É muito conveniente chegar e dizer que eles morreram usando o chefe para isso. Custava pelo menos criar os designs? Eu sei que são mais de trinta, mas cadê? Só apareceu cerca de dois terços deles. Que vacilo!

Pode aparecer mais, pode, mas se tem mais já foram criados na light novel, poderiam muito bem dar um vislumbre deles para o público do anime. De toda forma, isso não é lá muito relevante, só usei esse meu incômodo para comentar como eu acho pobre a construção de mundo de Alicization.

Tudo isso capitaneado pela Igreja do Axioma. Não me estranha a pontífice louca que luta pelada ser uma deusa em solo humano. Acho que o autor até tentou, mas faltou criatividade para criar um mundo mais vasto e interessante, não à toa teve que recorrer ao protagonismo do Kirito no fim da primeira parte.

Agora os vilões estão a caminho e vou dar uma segunda chance a inevitável expansão de mundo que vai se seguir. Espero ter uma opinião mais favorável depois que o anime acabar e eu fizer uma resenha, mas não espero muito, nem com os jogos eu achava o autor muito criativo nesse ponto, em nenhum, aliás.

Até os fanfiqueiros brs criam Cavaleiros mais interessantes.

Quanto a rejeição que o Kirito e sua amante azarada (afinal, quando deitam na cama os dois fazem vários nadas) sofrem, é claro que o povo renegaria os dois, um é o rebelde que matou a chefa, para os ignorantes da igreja, a outra voltou dos mortos fazendo cospobre de Kaneki, para o povo do vilarejo.

Enfim, eu entendo o sofrimento da Alice, mas não me sensibilizo com ele, nem com o Kirito em seu estado quase vegetativo, pois com ele bom a Alice estaria se sentindo bem diferente. Por quê? Porque ele é o porto-seguro para todas as garotas de seu harém. Ela acharia ânimo para tudo tendo ele ao seu lado.

Então, esse sofrimento de cortar o coração dela não me compra, mas talvez, talvez me sensibilize se ela perder a irmã na invasão e se der conta de que sua omissão não ajudou, de que se ela tivesse assumido a bronca e empunhado a espada as coisas poderiam ser diferentes. Claro, se chegar a esse ponto.

O lucro de quem injetou dinheiro nessa porcaria.

A Alice dando de comer na boca do Kirito me fez rir por um motivo estranho, fiquei pensando se ela coloca uma frauda nele e o ajuda na hora da limpeza após fazer o número dois. Porque ela é a cuidadora dele, do Kirito inválido, é ela quem tem que fazer essas coisas mesmo.

Nunca vi uma amante se dar tão mal, geralmente é a esposa quem paga de babá para o maridinho. Zoeiras a parte, ou não, de novo, o kouhai da Alice apareceu e ela disse que não consegue mais lutar. Por quê? Por que o Kirito não está ao seu lado? Me enoja a postura de omissão e dependência dela!

Ela tem responsabilidade sim sobre como está o mundo em que ela vive e deveria assumi-la. Sei que não é tão simples assim cobrá-la depois da crise de identidade pela qual passou, mas ela não é a heroína dessa história? Ela não tem pessoas importantes que quer proteger e tem poder suficiente para isso?

Aposto que ela só foi se esconder nos matinhos para a irmã dela morrer, ela passar pelo choque, se culpar (com razão) e só aí tomar vergonha na cara para fazer alguma coisa. Além de que, ela só precisa do Kirito nessa história; a irmã, o pai, o kouhai, podem matar todo o resto e ela ainda vai acabar bem no fim.

Essa estreia foi chata. Não comprei o sofrimento da Alice e expus o porquê acima, felizmente o Kirito só grunhiu (Kirito calado é um poeta) e, apesar dos pontos negativos não foi a pior reestreia possível. Porém, o melhor momento foi o encerramento, deu para zoar com a cena na cama e enfim acabou o episódio.

Essa opinião de muitos leitores da light novel de que Alicization é o melhor arco só pode ser zoeira, é tipo o meme com o Rússia. Alicization é muito mal escrito, chato e cheio de personagens pouco ou nada interessantes que não devem ser aproveitados em arcos futuros. Que bom, porque não farão falta alguma.

Até a próxima!

Kaneki alimentando Guts no ninho de amor dos dois.

  1. Avatar

    Não quero parecer um hater do anime, mas é uma bênção o Kirito estar preso a uma cadeira de rodas e sem falar, o anime melhorou logo.
    Já jogava pedras na temporada anterior e nesta não será diferente, não suporto a Alice e vê-la a cuidar do protagonista que atrai tudo e todos pouco melhora a minha opinião. O Eugeo que merecia esse carinho e cuidados da Alice, ele sim na minha perspectiva é muito melhor que o Kirito e ele sim não merecia morrer para salvar o Kirito (vou parar por aqui, não suporto o personagem).
    Quanto aos cavaleiros neste episódio, nem digo anda, é quase como chover no molhado.

    Mas nem tudo é mau, a animação está agradável e na opening até fazem uma singela homenagem a Fate Zero, ao mostrar a Alice sobre um monte de corpos e espadas, só que com o diferencial da Alice não ser do mesmo nível que a Saber, nem o anime como o todo poderá algum dia ser comparado a uma masterpiece como Fate Zero.

    Antes de terminar, faço questão de citar a última frase da visitante Ana Pereira “devo dizer que adorei a sua sinceridade”.

Comentários