Já não é de agora que Seizaki está mudando sua forma de ver o mundo e as leis. Mas agora, ele decidiu que seguir o caminho de sempre não bastaria. Nunca pensei que ele planejaria sequestrar Itsuki. Foi uma ideia interessante, mas foi um erro deixar para fazer isso após o debate. Itsuki foi subestimado, e agora ele irá cobrar o seu preço. E será com juros.

Quando há alguém para se lutar, além de si mesmo

Aliás, que debate meus amigos, que grande debate. Eu tentarei apresentar agora o que cada um dos participantes tentou dizer. Não vou me fazer de parcial, eu discordo do Itsuki, e já deixo isso clara desde já.

Não preciso nem dizer que eu não sou um especialista no tema, mas somente tenho a intenção de trazer uma análise pessoal. O leitor está livre para ter a sua opinião e descordar com a minha. Aliás, o campo de comentários está aí para isso.

Vamos aos argumentos.

Sobre o argumento socioeconômico, basicamente o político diz que suicídios dão prejuízos econômicos. Ele apresenta dados que colaboram com sua tese. E então Itsuki refuta ela. Ou não. Na verdade ele não refuta, é necessário prestar bastante atenção em como ele responde.

Itsuki diz que a lei dos suicídios não gerariam necessariamente mais suicídios. Ou seja, ele não negou que suicídios geram prejuízos. Agora, de toda a discussão, esse é o pior erro do Itsuki, o mais óbvio, e NINGUÉM percebe! Pois como poderia os suicídios não aumentarem, sendo que os suicídios já aumentaram? Não é necessário teorizar sobre o futuro, se o presente deixa claro os resultados da medida! Meu deus, isso é tão óbvio, os suicídios já aumentaram em 2.5%. Ninguém lá lembrou disso?

O segundo foi o argumento moral. Esse foi o mais fraco, e por isso Itsuki conseguiu facilmente destruir o argumentador adversário. Itsuki diz que a moral não é universal, e que ela varia de acordo com o período histórico. Então, ele faz com que essa premissa seja aceita, e logo depois ele aceita que existem universalidades morais em alguns casos, como assassinatos e roubos. Ou seja, ele contraria sua própria opinião ao concordar com essa premissa. Premissa 1: Moral não é universal. Premissa 2: Algumas morais são universais. Perceberam o problema aqui?

E então ele pergunta, e quanto ao suicídio? A resposta seria “sim, ele é”, mas o argumento da não universalidade faz com que o político fique em dúvidas. E então Itsuki diz que as pessoas agora pensarão seriamente sobre o suicídio. E isso não seria bom? Talvez seja. Mas ele transformou “normalizar o suicídio” em “pensar seriamente”. É um jogo de palavras, pois uma coisa não gera necessariamente a outra, ou mesmo que gere, sabe o que mais gera? Isso mesmo, suicídios. E isso deveria ter sido jogado na cara do Itsuki.

E depois o Itsuki diz que as leis também mudam. Ele não respondeu o problema, só fugiu dele. Mas depois observou um fato muito importante. Suicídio não é crime, e nem mesmo pode ser. Nisso ele está completamente certo.

O Nomaru mandou bem em seu discurso. Ele disse que alei dos suicídios só poderia ser bem aplicada sem intervenções emocionais. Como nós humanos somos emocionais, logo, não se é possível aplicar a lei do suicídio. É possível derrubar esse argumento? É, mas Itsuki não tentou. O que ele discutiu foi que a lei faria as pessoas discutirem mais o suicídio, o que diminuiria a possibilidade delas cometerem um erro ao fazer isso. Mas Nomaru trouxe essa discussão para o campo emocional novamente e a discussão não foi vencida por Itsuki.

E no final, todos foram levados para campos fora do qual seus argumentos se sustentavam, por isso perderam. Mas Nomaru não, ele sustentou até o fim o argumento emocional.

É preciso lembrar que eles não tiveram tempo para responder Itsuki. Isso porque o Nomaru conseguiu estragar tudo que tinha feito de certo até aqui de uma vez por todas. Ele chamou a criança daquele vídeo, e utilizando da emoção das pessoas, elevou o garoto a posição de candidato. Esse era um dos problemas das regras sobre a candidatura. Essas regras são bizarras, elas nunca fariam parte de qualquer eleição séria. Mas, é ficção, então temos que aceitar. Na verdade não, mas… ao menos eu vou tentar relevar.

É, o garoto é filho do Itsuki. Meu deus, como é que os caras conseguem trazer o garoto sem saber que ele é filho do Itsuki? Confesso que não consigo engolir como isso poderia ser um “erro”. Parece muito que o cara entregou o jogo de propósito. E se não, parabéns Nomaru, você é o homem mais estúpido do mundo dos animes.

Para concluir, eu tenho que dizer como, na minha opinião, está claro que Itsuki não acredita naquilo que defende. A única coisa que ele quer é normalizar o suicídio. Há um motivo para algo ser um tabu, para as pessoas não verem aquilo como “normal”. Mas alguém acha o suicídio algo bom? Eu acho o suicídio algo ruim. Todas as pessoas acham o suicídio ruim. Mesmo os suicidas sabem que o suicídio ruim.

Mas agora Itsuki tem a eleição em suas mãos. Nomaru não pode “desdizer” aquilo que já disse, e qualquer tentativa disso irá se virar contra o próprio. No fim, Itsuki ganha apoio e ele perde. Se votarem a favor da lei, votam no Itsuki, e se votarem contra ela, então votam no Itsuki também já que este é o pai do garoto. Ou seja, ele vence de qualquer jeito. Seizaki, não acho que o sequestro vai dar certo. Não acho que trará algum resultado satisfatório.

E lá alguém pensou que o garoto não seria somente um peão?

Agora é aguardar para saber o que acontecerá. Mas que esse foi um belo final, isso foi.

  1. Avatar

    Olá peoples!!! James na área dinooovooo….
    O K17San está killer nessa resenha!!!
    E vamos aceitando que Babylon é uma peça de ficção sem compromisso com a realidade…É um thriller e ponto e é muito bom nisso, mas que faz questionamentos importantes…E quem faz? O Nomaru! Gente, eu odeio o Nomaru, mas o questionamento dele no debate é primoroso, pois no direito sim existe o “momento psicológico” em resumo, vc tem de estar habilitado psico e fisicamente para tomar decisões e que situações extremas não são amigas da boa decisão…

    E aqui conto um causo, um amigo meu médico (um grande cara) me relatou um caso que caiu com ele na emergência: uma mocinha que teve uma desilusão amorosa e tomou veneno….O problema foi que ela se ARREPENDEU no meio e infelizmente o veneno atacou o seu figado levando a óbito…E nunca me esqueço das lágrimas dele relatando o assunto…

    Mas falando do Seizaki…Sinceramente, ele está se afundando…

Comentários