Bateu um desânimo enorme com esse episódio. Sendo sincero, recomendo que procurem o mangá, espero que seja fácil de achar na internet. Ademais, vou debater as diferenças entre o mangá e o anime no vídeo linkado ao final do artigo. No decorrer do texto vou me debruçar apenas sobre a adaptação em anime, como costumeiramente escolhi fazer. Mas já deixo avisado, a adaptação pulou no mínimo dois tankos e mudou algumas coisas para forçar conexões entre eventos, para além de limar da história toda uma saga e diversos capítulos que engrandecem a obra original.

 

 

Enfim, sobre o episódio dez em si, o que podemos apreender?

Rin foi bem-sucedida ao cruzar o posto de controle da estrada que oferece acesso a cidade de Kaga, agora ela desenvolve a árdua tarefa de rastrear Anotsu, ao mesmo tempo em que economiza o máximo que consegue em sua jornada, sendo precavida já que sabe que está por conta própria, passando fome e até mesmo pescando crustáceos para se alimentar.

 

 

Manji, face as novas circunstâncias, como a traição de Shira e a teimosia de Rin, “corta” relações com o grupo da Mugai-Ryu, e nisso ele resolve ir atrás de Rin, mas precisa de um passe para cruzar o portão de controle. Nesse momento temos um “sincero e espontâneo” encontro, o pintor, aquele mesmo do segundo episódio, espião do governo e amigo do falecido pai de Rin, por um acaso estava vagando pela cidade e tropeça, quase que literalmente, em Manji e Magatsu ao mesmo tempo. Toda a dificuldade pela qual Rin passou, arriscou a vida, colocou outros em risco, investiu dinheiro e a fez até escolher abandonar Manji; toda a dignidade do episódio anterior escorre pelo ralo quando Mestre Sori revela que ele pode conseguir quantos passes desejar.

 

 

Segundo o episódio dá a entender, Mestre Sori sabe sobre a busca de Magatsu, aliás, parece que ele sabe de tudo o que está acontecendo. Sem qualquer cerimônia, ele intermedeia um acordo entre Manji e Magatsu para que ambos possam caçar Shira, mesmo que seja um pouco estranho que Manji considere ajudar o ex-membro da Itto-Ryu, ainda mais devido ao fato de que ele nem sequer sabe o que Shira pretende fazer. Tudo bem que Magatsu tem mais do que motivo para perseguir o infeliz, mas não deixa de ser estranho que Manji aceite esse acordo e se comova. Talvez seja implicância da minha parte, mas nunca senti um real senso de justiça por parte das ações de Manji. Enfim, toda a situação e conexão entre Magatsu e o Mestre Sori é de uma estranheza complicada.

 

 

Mas vamos ao que importa nesse episódio, o arco da Hyakurin.

Para não dizer que não sabemos o que Shira pretende fazer, o anime nos conta. Ele, por algum motivo, provavelmente por revanche e vingança contra Rin e Manji, barganha com os membros da Itto-Ryu e, em troca de entregar os seus “amigos” do grupo da Mugai-Ryu, consegue um passe para atravessar o posto de controle da estrada de Kaga.

 

 

A responsabilidade da traição de Shira, entretanto, acaba caindo sobre as costas da própria Hyakurin, a qual fez um serviço pela metade e deixou vivo um dos membros da Itto-Ryu na missão anterior. Esse deslize deu a oportunidade perfeita para que Shira tivesse êxito em sua negociação.

 

 

Paralelamente a isso, somos apresentados ao contexto sob o qual os membros do bando estão vinculados. O Mugai-Ryu é um grupo formado de criminosos condenados à morte, mas que por algum motivo foram poupados e contratados para executar missões não oficiais para o governo. Eles têm uma dívida astronômica com o governo que, caso seja paga, lhes garante a liberdade e o perdão de seus crimes.

 

 

O crime de Shinriji, o membro mais apagado do grupo, foi financeiro. Ele contraiu uma dívida que não tinha condições de pagar. Esse personagem em especial, o qual descobrimos ser apaixonado por Hyakurin, ganha muito pouco destaque no anime, servindo como força motriz para desenvolver e desvelar o passado da moça. Embora ele lute bravamente para salvar a mulher, quando estes são emboscados pela Itto-Ryu, acaba perecendo em combate.

 

 

Segue-se a isso a captura da mulher, que é torturada, brutalmente estuprada e agredida em busca de informações sobre quem é o mandante por detrás das ações do grupo. Gyiti, o único membro restante em atuação, efetiva uma corrida contra o tempo com a intensão de salvar a companheira. Com astúcia, consegue deduzir que Shinriji, antes de morrer, deixou informações ao manter a mão apontando para uma direção da cidade. Seguindo o seu instinto e experiência, rastreia os movimentos dos membros do bando e elimina aqueles que cruzam o seu caminho.

 

 

Hyakurin é resgatada. Descobrimos que o seu crime, trauma e redenção, foram o assassinato de seu próprio marido, o qual, por sua vez, assassinou o filho que teve com ela por motivos completamente arbitrários e paranoicos, que envolviam a herança e a transmissão do nome da família. O sangue do menino, ao ser dilacerado pelo pai, cobriu o corpo e o cabelo da mãe, e isso foi o que levou Hyakurin a usar produtos químicos para tentar se limpar compulsivamente. Esse é o motivo para que o cabelo de Hyakurin seja, e continue, descolorido.

 

 

A animação e o desenvolvimento desse arco do sequestro, o flashback, a explicação das motivações por detrás do grupo da Mugai-Ryu e de alguns de seus membros, tudo isso foi bem interessante no geral, e o episódio conseguiu amarrar um pouco as pontas soltas que o anime tinha deixado antes. Entretanto, por mais que isoladamente esses elementos se destaquem e se dignifiquem com uma boa execução, é perceptível que no trato sutil, nos pormenores e nos ganchos que amarram eventos diversos, existe uma certa negligência por parte da roteirização do anime, obrigando a narrativa a dar trancos desconfortáveis e a fazer gambiarras desnecessárias junto a uma adaptação que poderia, e não duvido que essa tenha sido a ideia original, ser bem mais detalhada e condizente com o material base.

 

 

Não tenho informações sobre os bastidores da produção do anime, mas é uma pena que o produto final tenha que diluir e descaracterizar a qualidade e potência da obra que adapta. E o pior é que o anime em si acabou não conseguindo suprir e substituir esses elementos de modo criativo e satisfatório, optando apenas por cauterizar os danos e seguir em frente.

E como comentei logo no início do artigo, deixo aqui o hyperlink para o vídeo em que desabafo sobre as diferenças entre o anime e o mangá!

 

  1. Avatar

    Tinha a esperança que o anime fosse melhorar, mas com este episódio já perdi a pouca esperança que tinha. Quando via o episódio o vernáculo correu solto na minha cabeça e eu, como já citei aqui, não li o mangá.

    A única coisa que gostei minimamente foi o background da Hyakurin e a carga dos valentes do Shinriji. Acrescentaria também os momentos do Gyiti.

    O episódio em si foi uma cagada autêntica, mas em especial a cena da tortura/estupro da Hyakurin foi uma merda, junto das legendas porcas ficou mais merda ainda. O tempo que o director perdeu a mexer nos ângulos de câmara para mostrar os “fluídos” a sair do corpo da Hyakurin e tivesse se esforçado minimamente para colocar um pouco de qualidade no episódio tinha ganho mais.

    Bom, deixando a reclamação do costume, prefiro mil vezes o seu artigo escrito e o seu video do que o episódio em si.

    Como sempre, mais um excelente artigo Youkai.

    • Youkai Makai

      Eu tb tinha esperanças de que eles adaptassem com mais calma o mangá, isso aumentaria a qualidade da adaptação, era só manter o mesmo ritmo, mas ao escolherem, por N motivos, não posso julgar a produção do anime, improvisarem, e ao mesmo tempo pegar atalhos, isso prejudicou e muito a história, não só como uma adaptação, mas o próprio anime por si mesmo… o que fizeram com o Shinriji foi triste, e o que fizeram com o Mestre Sori foi até pior… sem contar o Magatsu… tá tudo bagunçado agora, e tem as peregrinações do Anotsu ainda… de um modo ou de outro, o anime está se enrolando cada vez mais, é uma pena… mesmo sendo bonito, diferente e estiloso, está perdendo a oportunidade de ser algo memorável e grandioso… eu sei que as pessoas precisam trabalhar, mas eu nunca aceitaria fazer isso com a história, se é pra fazer as coisas, que se faça pelo menos bem feito, na medida do possível… to tentando não me irritar e focar nas coisas boas, até que não desgostei da saga da Hyakurin, a narrativa em geral, o passado e o esquema dela vacilar e ser sequestrada, tudo isso foi bem oks… mas as outras coisas do episódio eu não consigo lidar bem não… então acho que estamos bem próximos sobre o que achamos desse episódio… Aquela cena de estupro foi minimizada, e a tortura tb, no mangá eles quebram o braço dela com um machado, isso no anime nem foi mostrado, e o que furaram uma vez no anime, nas coxas dela, no mangá tinha no minimo seis furos, entendo que não precise forçar tanto essa cena, mas escolheram a parte mais erótica em vez da parte mais brutal, podia ser o oposto… tá que no mangá essa cena do estupro é bem isso mesmo, ou no caso, pós estupro, e o cara lá da Itto-Ryu que perde um braço da mais combate do que no anime, ele demora um pouco mais pra morrer no mangá… enfim, essas coisas eu até deixo passar, mas terem feito aquelas gambiarras com o Magatsu e o Mestre Sori, sem chance mesmo… foda que pra escrever com esse humor arrebenta tb rsrs grato mesmo por ter gostado do artigo e do vídeo Kondou, esse artigo foi um parto, demorei horas pra conseguir escrever… que bom que ficou aceitável… obrigado mesmo pelo apoio e por achar que ficaram bons!!!

    • Youkai Makai

      Bem, não é linear a adaptação, mas em geral o episódio adapta do cap 53 em diante, até o cap 57! Mas ele compila acontecimentos de alguns outros capítulos anteriores ao 53! Ele adapta parcelas do tanko 9 e 10 do mangá, em geral!

  2. Avatar

    É, li aqui, agora entendi o porque de vc e muitos terem odiado esse episódio, na minha visão também ficou uma porcaria, principalmente depois de ver os caps sobre a Hyakurin, o que acontece com ela, ficou muito mal adaptado.

    • Youkai Makai

      Bem, não foi um ódio do fundo do coração, foi mais um desapontamento rsrsrs… não acho que o episódio como um todo esteja abaixo da média, mas é certo que ele deixou a desejar, principalmente se compararmos com o mangá! O anime em geral está adaptando muito mal o mangá, isso que aconteceu com a Hyakurin é só uma dentre inúmeras coisas, que no anime estão sendo simplificadas! Como adaptação o anime beira o desastre infelizmente…

Deixe uma resposta para Youkai Makai Cancelar resposta