Esse episódio respondeu a todos os mistérios que o anime trouxe até o devido momento. Ainda vai ter mais anime pela frente, mas o grande mistério que já havia sido apresentado desde o primeiro episódio já foi respondido. Me refiro a identidade de Jack, o estripador.

Mas não foi Jack o grande nome desse episódio; foi Moriarty. Ele é filho do prefeito, e sua irmã foi uma das vítimas de Jack. Agora a relação entre eles está devidamente explicada. Confesso que subestimei esse anime. Ele deixou muito óbvio que o Jack era o Moriarty, então provavelmente não seria ele. Mas como eu subestimei o anime não duvidei que pudesse ser mesmo o Moriarty. Ponto para o anime.

E sim, Irene Adler estava realmente viva. Não foi muito bem explicado como fizeram para “matar” ela. Mas enfim, tudo fez sentido no final das contas. A questão do plano então foi planejada para que Watson vazasse o plano. Mas mover a Irene por um ataque que Jack não cometeu seria obviamente uma armadilha que ele (Jack) não cairia facilmente. Então faz sentido ele ter também bolado seu próprio plano.

Então a parte do plano para pegar Jack foi colocada em prática. Já estava claro que não poderia ser Kyogoku, então quando foi dado foco na Maki ficou bem claro quem era o Jack. Sim, a Maki é o Jack. Confesso que não poderia haver um Jack melhor. Isso faz completamente o estilo do anime.

A explicação do motivo de Jack faz bastante sentido também, pois é natural que um crime de cunho sexual tenha motivações sexuais de origem psicológica, os famosos “complexos”. Mesmo na vida real isso não é nem de longe raro. E a literatura de psicologia está repleta de temas e estudos de foco puramente sexual. A psicanálise é um exemplo clássico.

Então nós temos todo o diálogo com a Maki, ela revela tudo e mostra sua verdadeira face. E então, nós vemos uma outra face do Moriarty também. Ele está irritado, muito irritado. Ele tem ódio em seu coração, e agora ele encontrou a pessoa que é a culpada por todo o seu sofrimento. Ao meu ver ele foi bem forte por todo esse tempo. Mas ele fraquejou no final. Eu é que não o culpo. Ele matou a Maki sem piedade. Sem a menor piedade.

Aliás, convenhamos que a Maki também provocou bastante. É como se ela tivesse feito de tudo para que o Moriarty a matasse. E no final das contas, ela teve o que queria. E também, o que merecia.

Mas isso aconteceu, muito além da provocação, foi pelo fato de Alexandra ter morrido no lugar de Moriarty. Era para ele ter morrido, não ela. É lógico que ele se culpou de alguma forma. E mais, foi ele quem mandou ela ir até a passagem, então provavelmente ele já se culpava muito. Mas saber que era ele o alvo, com certeza o deixou ainda mais frustrado. Ainda mais irritado.

E então ele finalmente se aproximou do que é esperado de um vilão. Mais ou menos, na verdade. O Sherlock não culpou o Moriarty pela sua atitude, mesmo sabendo muito bem que aquilo era completamente desnecessário. Ele não virou um vilão, só agiu incorretamente.

E agora, um grande arco chegou ao fim. Mas não à toa acabou com uma cena do Moriarty. Sem dúvidas este personagem ainda tem muito a oferecer. Agora que ele sabe que seu pai queria eliminar ele, com certeza as coisas vão ficar complicadas para o seu lado.

Esse foi um excelente episódio. O mistério desse anime foi muito bem construído, muito além do que eu imaginava. Confesso que subestimei esse anime até o último instante. Eu só o via como um anime de comédia ou coisa que o valha. E que vez ou outra tinha algum episódio legal, só isso. Mas, ele realmente conseguiu construir um mistério interessante aqui nesse final.

Além disso, não posso deixar de citar toda a sintonia criada entre o Moriarty e a Alexandra nesse episódio. Foram cenas breves, mas principalmente por todo o foco nesse drama do Moriarty, com todas aquelas cenas que começaram a fazer sentido e a passar uma mensagem muito diferente do que dava a entender inicialmente.

Enfim, confesso que deu pena da pobre Alexandra. Ela é daquelas pessoas que são 100% inocentes, então não havia assassino pior para o caso dela. Pobre Alexandra, e pobre Moriarty também.

Até aqui estou gostando. Ao menos para mim, esse foi um anime que cresceu em meu conceito ao longo desses episódios. Ele conseguiu ser uma obra de grande originalidade, e ainda entregar aquilo que seu gênero naturalmente já propõe. Sua primeira metade foi boa no final das contas. Vamos ver a segunda, que aliás, espero que não tenha tantos altos e baixos como essa primeira parte. Mas até aqui, está valendo a pena.

  1. Avatar

    Foi muito bom…O interessante é que na base o anime preservou pontos chave da obra original de Conan Doyle (como a simulação da morte da Irene e outros)…E eu acho que se for assim nos próximos episódios o Moriarty vira o vilão “full pistola”

    • Avatar

      Sherlock Holmes é uma obra inesgotável que vai muito além das obras escritas pelo Doyle. Que aliás, são muito vastas. Tem até adaptação do Sherlock jovem e outro dele velho,além de muitos livros do personagem que não são da autoria do Doyle. Tem até Sherlock e Watson mulher! Emfim, nunca vi uma adaptação fiel aos livros que conseguiu captar o espírito da obra, mas tudo bem, é até preferível que seja uma obra original, com estilo próprio. Mas convenhamos que Kabukichou é uma coisa bem estranha. Esse prato passou do ponto, mas o que nos resta é tentar apreciar ele.
      E sim, também acho que esse Moriarty vai pistolar, o prefeito é que se cuide.

Comentários