Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Nesse episódio vemos o que a Hakogaku teve de enfrentar depois da derrota no Inter High. Mas sério, antes de começar o post alguém me fala: cadê o professor responsável pelo clube deles? Deixar um bando de colegial tomar conta do clube é tão irresponsável. Pelo menos a escola é no Japão, se fosse no Brasil, nego ia pedalar bicicleta de papelão, e em vez de cantar Hime, eles iam cantar… funk, porque é a única coisa que as pessoas tocam alto. Enfim, nesse episódio, meio que aconteceu as mesmas coisas com pessoas diferentes. E eu ainda gosto do anime, não me julgue. 

Em 20 minutos vimos a segunda parte da despedida dos veteranos. Foi legal ver que os veteranos confiam nos novatos. E, aparentemente, esse episódio foi mais focado nas emoções dos membros do que na corrida, começando pelo Manami e o Toudou. É legal ver esses dois porque eles são bem confiantes, ou eram, não sei se o Manami ficou menos confiante ou sofreu de confiança demais pra ficar assim. Enfim, o importante é ver que até agora todos os climbers, menos o Onoda, são super confiantes, tanto o Makishima como o Toudou tem uma grande confiança nas habilidades deles. O Manami também tinha, a prova disso é ele ter ajudado o Onoda e ter falado pra ele ter ido no Inter High, confiando que ele poderia vencê-lo. E vamos falar a verdade, o que o Toudou fez era o que o Makishima deveria ter feito, mas não porque a faculdade é mais importante que ajudar seus amigos… aposto que ele deve tá bebendo até esse episódio. Foi legal ver como o Toudou consegue passar a experiência dele pro Manami, todo do jeito descontraído dele. Como consequência a corrida foi meio, sem “foco”, digo, a corrida já não tinha sentido naquela hora, o futuro da escola já estava seguro.

“Olha o caminhão do sorvete. EI CARA EU QUERO UM DE CHOCOLATE!”

Indo pra próxima parte, é meio surreal falar de emoção quando você não conhece o personagem… digamos que conhecíamos sim o personagem, mas ele não apareceu tanto assim, e ele tinha aparecido pra apanhar, então a moral dele já estava lá embaixo. O que surpreendeu pra mim foi ver como os “novos” membros têm motivos individuais, diferente de Sohoku, cada um de lá tem um papel no time, enquanto na Hakogaku, geral tá lá por motivos pessoais. Quando eu falo de um papel na equipe, eu me refiro comparando eles com Sohoku. Na Sohoku eles estão sempre falando o quão importante eles são pro time, enquanto pra Hakogaku eles são importantes sim, mas eles não levam isso tanto pro lado esportivo. Eles estão lá pra melhorar como atletas, vencer, fazer geral comer poeira. Só mencionei isso porque é o caso do Kuroda e o Ashikiba, a corrida deles foi extremamente curta. Não que eu ache isso ruim, mas é diferente ver como a Hakogaku tá meio mudada em relação a temporada passada. Na anterior a gente só conhecia a Hakogaku no Inter High, por causa disso o clima tenso já dava um up neles. Mas nesse caso a gente vê o contrário, Kuroda era uma promessa, mas que foi superado pelo Manami. Era normal ver que a maioria dos membros de lá só virassem membros no terceiro ano ou no segundo, ele é o primeiro personagem da Hakogaku que vimos provando o fracasso. Não vou mentir que não sei se ele é bom, mas vai ser interessante ver como ele vai atuar, digo, a última frase dele foi bem legal, deixar de achar que o mundo gira ao redor dele, e ser parte do mundo, é legal ver esse tipo de mudança. Agora com o Ashikiba e o Fukutomi, é difícil ter emoção com o Ashikiba, não sei se é por causa da música clássica, mas o Fukutomi também não ajuda, ele é tipo o personagem velho que parece um personagem novo.

Fiquem com a minha tradução ruim mesmo. Preguiça de ir procurar como os subs traduziram.

Pelo menos ele é parte do mundo, aparentemente a maioria das pessoas me rejeita

 

Comentários