Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Para onde Kiseijuu está levando a história? Ainda não sei direito, mas parece que será algo muito parecido com Tokyo Ghoul. O conflito entre dois mundos, o dos monstros e o dos homens, e o protagonista que pertence a ambos mas por isso mesmo não pertence a nenhum. A diferença é que aqui o inimigo é muito mais assustador (não existe uma unidade policial especializada em combatê-lo; na verdade, a humanidade sequer sabe sobre a existência do inimigo), o protagonista está sozinho e a história é contada do ponto de vista da humanidade. Tudo isso torna a história mais verossímil e faz com que eu me identifique com muito mais facilidade com o protagonista. Mas antes de tecer minhas considerações, começarei explicando o básico.

Ler o artigo →

Eu acredito que a ideia de um episódio duplo seja ter mais tempo para contar mais história. Mas ai! Goro Miyazaki discorda de mim. Se houvesse algo mais com que eu pudesse me entreter durante esse episódio pelo menos, mas a animação totalmente 3D em Ronja não está particularmente bonita e as texturas são simples, pobres demais. Um cenário que tinha tudo para ser deslumbrante (estamos falando do estúdio Ghibli animando uma floresta, afinal) está sem graça, sem detalhes, sem profundidade. E os personagens… bom, eles são melhores que Kingdom em seus primeiros episódios, caso tenha assistido. Talvez porque tenham nariz e seus olhos se mexam de vez em quando. Kingdom desistiu de animar tudo em 3D depois de alguns episódios, e esse é o tamanho da enrascada em que Ronja está metida. A animação não vai melhorar muito mais do que isso a menos que comecem a queimar dinheiro, o que não vai acontecer. A esperança é que a história compense! Será que está compensando?

Ler o artigo →