Obrigado por tudo, Harekaze!

Haifuri acabou. Pela sinopse e pelo material de divulgação inicial eu não dava nada por ele – parecia só mais um anime de garotas fofas, afinal. E militar também, para atender dois fetiches com um enredo só. Lembro de quando Girls und Panzer foi anunciado. Eu não dava nada também, mas desde o começo eu queria assistir porque a sinopse dizia, afinal, que a guerra usando veículos blindados pesados era um esporte. Pelo menos era criativo pra caramba, não é? Eu recomendo Girls und Panzer se não tiver assistido, vale a pena.

Mas Haifuri era diferente, ele parecia se levar a sério. Aí logo pensei “como pode uma história sobre colegiais pilotando navios de guerra ser séria?” e esperei pelo pior. Logo no primeiro episódio Haifuri provou que era, sim, muito sério! Além de ter uma animação espetacular em fluidez, detalhes, ângulos de câmera, tudo. Quem fez as cenas de batalha em Haifuri sabe o que as pessoas querem ver em batalhas navais. E mesmo que o grande mistério do anime tenha se revelado um pouco frustrante as relações humanas e as batalhas emocionantes de Haifuri foram mesmo dignas de uma lenda. Mas o que afinal faz uma lenda?

Curta o anime21 no facebook:

Em Haifuri, uma coisa só: uma lider nata. A Misaki pode ter passado raspando na prova de admissão, pode ter aprendido as tarefas de uma capitã apenas por ter estudado rapidamente pouco antes do exame, mas o mais importante ela já tinha. A verdade é que não existe um curso que ensine a ser um verdadeiro líder, porque líderes de verdade precisam lidar com o imprevisto. E como prever o imprevisto? Isso não se ensina. A personalidade da capitã foi fundamental também. Isso, vá lá, é algo que se possa estudar, mas não é como se uma pessoa que não nasceu para ter empatia e inspirar os outros pudesse realmente fazer isso tão bem quanto alguém que nasceu para isso.

A Misaki nasceu para ser capitã. Ela não é particularmente habilidosa em nada, ela sem dúvida não é melhor que ninguém de sua tripulação, mas ninguém ali a não ser ela conseguiria tirar o máximo daquelas garotas todas. Porque ela se importa, porque sua personalidade atrai os outros, inspira confiança e lealdade. E inspira vontade de dar o seu melhor. É um pouco melancólico para a Mashiro, que vem de uma linhagem de líderes no mar, com sua mãe diretora da academia onde estuda, com todas as suas irmãs em posições de liderança, mas a verdade é que ela não nasceu para isso. Não é por azar que ela não se tornou capitã. Ela com certeza é boa em muitas coisas, e conforme prosseguir nos estudos se tornará melhor ainda, mas ela nunca será uma capitã como a Misaki.

O Harekaze não aguentaria os danos dessa batalha...

O Harekaze não aguentaria os danos dessa batalha…

A Mashiro nunca irá atrair e inspirar os outros como faz a Misaki. A Mashiro nunca irá ser capaz de agir rápido em situações complexas não previstas em nenhum manual. Em qual manual está escrito para usar um paraquedas como freio lateral para fazer uma curva quando o leme estiver quebrado? Em qual manual a Misaki aprendeu a andar em zigue-zague soltando muita fumaça para despistar o Almirante Spee? Claro que nem sempre a ideia genial veio da cabeça dela, como no episódio do submarino. Mas também é trabalho do bom líder escutar as boas ideias de seus subordinados. O que qualquer manual diria para fazer quando seu navio estiver enfrentando outro muito superior, cheio de avarias causadas diretamente pelos ataques inimigos ou pelos incêndios e vazamentos de água consequências dos tais ataques? Exatamente o que a Mashiro disse: abandonar o navio. Com dor no coração, quase foi isso que Misaki fez, mas eis que, e isso só pode acontecer com alguém como a Misaki, outros navios cujos tripulantes ela havia salvo, ou que tinham alguma dívida com ela, ou que por qualquer motivo haviam se inspirado por ela, chegaram para o resgate.

Imagine como será quando a próxima turma entrar no Yokosuka e todas as ingressantes estiverem pensando algo como “será que vou encontrar a Capitã Misaki, que com um contratorpedeiro conseguiu todos aqueles feitos notáveis, incluindo abalroar e abordar o Musashi antes que esse tivesse a chance de causar destruição na Baía de Tóquio?”. É ou não é uma lenda? Todas as tripulantes do Harekaze ficarão notáveis, isso é verdade. Algumas até já são, como a médica de bordo Minami, que com apenas 12 anos de idade já é formada em medicina e foi a responsável pela criação da vacina, ou a Mashiro por simplesmente ser da família Munetani. Mas ninguém sairá dali mais famosa do que a Misaki, a capitã que guiou todas elas durante os eventos dessa aventura lendária. Nem mesmo o Harekaze em frangalhos poderia deixar alguém como sua capitã na mão, tendo ido à pique apenas depois da última garota (a própria capitã, muito adequadamente) ter desembarcado em terra firme em segurança.

Observação: Eu queria colocar imagens de todas as garotas nesse artigo mas elas são muitas, então vou publicar um outro artigo, hoje mais tarde ou amanhã, só com galeria de imagens, ok? Aguardem!

Observação 2: Criada galeria com imagens do episódio, com todas as tripulantes do Harekaze e mais algumas imagens especiais!

O reencontro emocionado entre Misaki e Moeka

O reencontro emocionado entre Misaki e Moeka

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio final de Haifuri foi excelente em tudo, a tua nota de 5 estrelas foi mais do que merecida para este episódio.
    O que dizer mais, de um anime que no inicio não dava nada por ele, mas que me cativou à medida que a trama ia avançando. A Misaki como eu disse desde do inicio, era uma líder nata, não era superior ás outras membros do Harekaze em nada, mas tinha carisma, e sabia adaptar-se às situações de perigo, já para não disser que ela tratava de todas como se estas fossem a sua família. Quanto à Mashiro, ela realmente não servia para a função de capitã, como a sua mãe e irmãs, mas mesmo assim melhorou mais para o final. Quanto ao resto das tripulantes do Harekaze, gostei de todas (é raro eu gostar de todos os personagens), como a engenheira da sala do motor, Maron entre outras. O episódio 12, mostrou a real essência de Haifuri, as batalhas navais , que batalha lendária contra o Musashi, eu estava a ver que o Harekaze não ia aguentar, mas protegeu a sua capitã e as outras tripulantes até ao final. Uma das cenas que mais gostei neste episódio, foi a parte dos navios que a Misaki ajudou a salvar, irem ajudá-la naquele momento dificil, e aqui se vê o poder da amizade e da gratidão das capitãs desses navios com a capitã Misaki, que as salvou em troco de nada. Aquela cena final onde depois do desembarque da capitã Misaki, o Harekaze começa a afundar devido à luta espartana que tinha travado e a capitã Misaki já com uma lágrima no olho a fazer a saudação ao contra-torpedeiro Harekaze foi muito bonita, mostrou que a Misaki se sentiu grata de ter comandado o Harekaze e agradecida pelo serviço dêem destaque à Lenda da Misaki e sua família do mar que travaram várias batalhas.
    Como sempre uma excelente matéria.

    • A última parte ficou mal organizada a partir de serviço, aquilo que escrevi e o corrector cortou foi: …«serviço que ele tinha prestado. Se um dia houver uma segunda temporada de Haifuri com novas alunas espero que dêem destaque à Lenda da Misaki e sua família do mar que travaram várias batalhas difíceis.»

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Esse episódio foi como a própria Misaki: não foi necessariamente melhor que nenhum outro. A batalha naval foi muito boa, mas foi apenas tão boa quanto outras que vimos em alguns episódios. A abordagem se comparar com a do Almirante Spee foi uma decepção, não mostrou 5% da animação que teve naquela ocasião. E dá para continuar comparando os elementos do episódio dessa forma.

      Mas era o episódio que Haifuri precisava. Foi o melhor final que o anime poderia ter. Foi emocionante, foi inesperado, foi épico.

      Mais um anime se vai! E esse se vai deixando muita saudade!

      Obrigado por ler e comentar esse artigo. Obrigado por acompanhar as viagens e as batalha do Harekaze no Anime21! =)

      • Foi um gosto acompanhar todos os animes que comentaste na temporada passada, todas as matérias estavam cheias de cultura o que as tornavam matérias de excelência. Qualquer dia ainda fico um veterano nos comentários do Anime21.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Tirando eu, que não conto porque é lógico que sou quem mais comenta aqui, você já é o campeão em número de comentários, hehe 😉

        Obrigado!

      • De nada, nesta temporada eu vou continuar a comentar todas as matéria (salvo de animes que não vá ver, não gosto de opinar daquilo que não vi).

  2. Eu adorei odiar Haifuri!
    E ninguém foi responsabilizado pela crise dos ratos, ninguém foi preso, ninguém se feriu, ninguém morreu!
    Os únicos “feridos” foram os navios e pode-se dizer que o Harekaze “morreu” no final.
    E gostei dessa morte honrosa, aguentou até o final para que as meninas desembarcassem, foi tocante mesmo sem os animadores terem criado uma personalidade para o navio!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Sim, essa parte do enredo foi o maior defeito de Haifuri, como eu reconheci logo no começo do artigo.

      Mas a parte humana de Haifuri foi muito boa. As batalhas navais foram emocionantes. Acho que esses elementos superam aquele.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! =)

Deixe uma resposta