Days9

Olá, pessoal! Aqui estou eu outra vez trazendo mais um post sobre Days! Eu atrasei à beça com as resenhas dos episódios, mas com esses dois eu entro em dia. Continuarei escrevendo sobre os episódios até o final da temporada, então pretendo fazer com que isso não ocorra mais com frequência.

Sobre os episódios: no 11 temos a continuação do jogo Seiseki x Colégio Sakuragi, o qual realmente me deixou agitada, e o 12 é o desfecho do jogo, e muitas emoções são colocadas à prova. Eu não sei muito sobre futebol, mas vou tentar falar um pouco. DSFUHIUSDFH

Curta o anime21 no facebook:

Bom, no episódio 11, como eu disse acima, é o episódio que passa a continuação do jogo Seiseki x Colégio Saku. E tem um detalhe: faltavam 20 minutos para o final do jogo, quando o Tsukushi entrou no lugar do Ooshiba. E 20 minutos em anime nunca parecem 20 minutos mesmo. Só que em Days eu senti que foram realmente 20 minutos (claro, Tamao, o anime tem esse tempo e mais uns minutinhos -q), porque passou muito rápido. Os últimos 5 minutos sim, eu achei mais demorados um pouco, mas em 5 minutos a gente pode fazer várias coisas. Quem nunca pensou que demoraria uma eternidade para fazer uma pipoca de microondas que atire a primeira pedra, e ainda sobrariam mais dois minutos.

Pois bem, deixando o tempo e as piadas toscas de lado, o episódio me animou de verdade. E parece que o controle do Tsukushi está melhorando. Ainda tem muito o que melhorar, mas gostei do desenvolvimento dele no jogo, se não fosse um acontecimento que será falado no episódio 12. Bom, e a dupla Narukami e Indou mostrou para o que veio também, e até mesmo um passe entre os dois que ninguém conseguiu prever fez com que o Colégio Sakuragi marcasse mais um gol e ficasse na frente por 2×1. Parece que a estratégia de marcar o Indou e fazer com que ele não tivesse a posse de bola e muito menos o Narukami deu errado, não é mesmo?

Mas isso não atrapalhou o empenho do Seiseki, mesmo pelo fato de terem perdido o jogo. Conseguiram impedir que pelo menos marcassem mais um. Mas acho que o problema do Seiseki foi “a pressão dos cinco minutos”, já que o Tsukushi conseguiu pegar a bola por causa de um passe que o Kazama fez, mas acabou chutando na trave, o que nos faz embarcar diretamente ao episódio 12.

O próximo episódio foi bem sentimental e típico de um anime de esporte. já que o Seiseki perdeu e eles queriam tirar aquela frustração do jogo. Todo mundo do time ficou arrasado, mas nada em comparação ao Tsukushi e ao Kazama, mas ambos estão em níveis diferentes.

O Kazama sempre fez tudo do jeito dele nos outros times que participou e nunca sentiu tristeza após uma derrota, já que o que ele fazia era mecânico e não queria pensar nas consequências. E podemos ver também que ele conseguiu se apegar aos companheiros de time do Seiseki, já que todos dão força uns aos outros e o Kazama se sentiu acolhido. A forma de liberar um pouco do estresse gerado pela partida foi jogar um futsal com aqueles caras que apareceram no primeiro episódio, e ele só conseguiu chutar bolas ameaçadoras que fez com que todos ficassem com medo. Fora isso, acumulou todos os seus sentimentos e chorou bastante.

Enquanto ao Tsukamoto, ele sabe muito bem de suas limitações, e não se viu no direito de chorar, e muito menos fazer algo por si mesmo para relaxar após o jogo. Por se achar o elo fraco do time, não comeu e nem dormiu direito, e a Ubukata percebeu e resolveu conversar com ele. Aqui nós conhecemos um pouco da trajetória dela como escritora que teve os textos recusados e sua vontade de continuar, mas um dia a sua disposição acabou, e ela desistiu. Agora sabemos o porquê dela ser tão chata com o Tsukamoto desde o início, e como ela lhe deu apoio, o que me fez gostar um pouco mais da personagem.

Bem, embora o jogo não tenha terminado como eu gostaria, e sim como um fenômeno que acontece em todo anime de esporte que é: o primeiro jogo mais importante eles perdem e depois voltam com tudo e vencem o mesmo time, foram dois bons episódios, e o Tsukushi ainda tem muito para crescer. Sabendo disso, acho que teremos mais episódios de treinos, o que é bem normal em animes de esporte, e para mim isso não atrapalha nem um pouco porque, se não tiver esse tipo de episódio, como saberemos se o personagem progrediu ou não aos poucos? Então mal posso esperar pelos próximos episódios.

Encerro o meu post sobre Days por aqui e, a partir da temporada que vem, sem atrasos! Obrigada por acompanhar o texto até aqui e nos vemos no próximo post! o/

Days está disponível no Crunchyroll.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Tsukamoto, o Deivid dos mangás e animes.

    Óbvio que ele não pode ser crucificado e o time sabe disso. Mas não dá pra aceitar perder o gol mais feito dos animes.
    Treinador tem que botar ele pra treinar chute direto, depois dessa.

    E se fosse no mundo real, ele seria zuado até se redimir se transformando em um craque com esse gol que perdeu.
    Alguém teria gravado isso e postado na internet e o mundo inteiro zuando esse Inacreditável Futebol Clube.

    Claro que isso acontece até com grandes craques, mas o craque tem um currículo inteiro ao seu favor, já o perna de pau que tá começando…
    Embora eu sei que o Tsukamoto vai acabar virando um bom jogador no futuro. Porque ele tem o necessário pra isso, raça e paixão pelo esporte.

Deixe uma resposta