Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Me peguei pensando durante a semana… o pessoal ainda não aprendeu que criar e ressuscitar são grandes problemas? Alguém tá precisando de uma mãozinha para entender isso. Cadê os irmãos Elric para ajudar? haha. Nessa semana, em Akashic Records, a dor, raiva, preocupações e busca ainda estavam presentes. E ao assistir me lembrei um pouco da nossa querida Alice – Sim, de Alice to Zouroku. Pois bem, se você está acompanhando, deve me entender.

Como eu já imaginava, Re=L ainda estava perdida em relação a seus sentimentos. Após todos seus atos alguma coisa começou a incomodar ela. Apesar de não ter tido nada claro, penso que algo pesou. A consciência pode ser horrível conosco, e com ela não foi diferente. Eu assisti o episódio inteiro observando ela: sempre tão triste, sentindo dor e perdida. Essa era minha visão. Ela procurava algo e apesar de achar que tinha – um novo propósito de viver – ela não sentia isso. Talvez todas as decisões ruins que ela tomou estavam afetando ela e não era daquela forma que ela queria viver.

Abalada?

Enquanto ela passava por torturas psicológicas – afinal, ela estava tendo contato direto com a dor de Rumia – e por grandes conflitos internos, Glenn e Albert estavam dando conta de encontrar as duas moças. Enfrentando quimeras e experimentos de algum tipo de mago louco. As batalhas sempre são legais, mesmo não sendo tudo aquilo que esperamos, isso já nos entretêm. Mas claro, tudo isso era apenas uma preparação para o que estava por vir. Ouso dizer que se não fosse essa rushada o episódio teria sido melhor, mas acredito que era a única forma de ter feito.

Enquanto Albert enfrentava o mago cientista, Glenn estava entrando no local onde Rumia e Re=L estavam. Ali seria o palco da melhor lição passada pelo professor mais amado e criticado por seus alunos. Em meio a toda a confusão Glenn chegou para dar luz ao que acontecia ali. Claro que Re=L tentou parar ele, mas foi impossível. Ao assistir eu sabia que apesar de toda aquela raiva e um novo propósito para sua vida, ela não conseguiria parar Glenn. O vínculo entre os dois era muito forte.

A lição passada por Glenn, a mesma já ensinada a Alice por Zouroku, foi clara. Após Re=L descobrir a verdade sobre sua criação e sentir que não existe verdadeiramente, que não é alguém de fato e mais, que era apenas uma boneca, ele diz: “Hã? Uma boneca não faria essa cara”, e depois finaliza: “Viva por algo que queira muito! Significado, valor, motivo, não se desgaste com essas coisas que não entende, Baka”. Fiquei muito animado ao ver essas cenas. Toda aquela dor se dissipou após as palavras de Glenn, e por conta disso Re=L tomou as rédeas dos seus sentimentos. Agora não existia mais um hiato em sua alma, ela se decidiu e partiu pra cima das Re=L’s 2.0! Gostei muito dessa forma que abordaram a Re, ainda mais porque lembra muito dos problemas de Alice. Isso me deixou bem animado ao assistir. Mesmo com problemas diferentes dava para se notar uma semelhança. Então eu tenho muito motivos para elogiar o episódio dessa semana.

Já no final do episódio depois do encontro entre as alunas, nas cenas finais, aquilo que havia me intrigado apareceu. A maga que faz parte da seita dos pesquisadores estava segurando um tipo de joia na mão. Eu tinha me dado conta que ela tinha sumido quando Glenn apareceu, por conta disso pensei que ela tinha conseguido algo. E conseguiu! De alguma forma a seita concluiu o que queria. Eu esperava que a Rumia morresse caso eles conseguissem realizar esse feito. Mas não foi assim para alívio de muitos. Com relação à joia, não temos como saber para quê a seita irá utilizar. Fico pensando em quem trarão de volta. Ou será que não trarão? Bom, isso nós só saberemos com certeza nos próximos episódios. Nos vemos na semana que vem!

Essa mina é cabulosa demais

Comentários