Ronja aprendeu a ser corajosa e também está sendo mais cuidadosa. Ela foge de harpias e espanta anões cinzentos. E está fazendo coisas perigosas, como escalar paredões rochosos sozinha e com as mãos nuas ou querer saltar a Fenda do Inferno. O pai de Ronja, Mattis, e todos os ladrões do bando continuam sendo um monte de chorões que se orgulham da menina e a mãe dela, Lovis, continua parecendo ser a única pessoa sensata do lugar. Bom, acho que aos olhos da maioria das crianças as mães é que parecem pessoas normais, para o bem ou para o mal, e os pais parecem ou super-heróis ou criançonas crescidas. Com frequência, alternam entre uma impressão e outra.

Na volta, Ronja encontra com o bando

Na volta, Ronja encontra com o bando

Não fui totalmente justo ao dizer que apenas Lovis parece sensata ali. Os mais velhos também têm seus momentos. Aos olhos de uma criança, idade é sabedoria, não é mesmo? E até aos olhos de um adulto, dependendo do idoso. Skalle-Per (o mais velho, aposentado) na maior parte do tempo parece só um alívio cômico, mas desde o primeiro episódio ele vem dizendo uma frase ou outra que afeta profundidade. E Fjosok (o segundo mais velho, ladrão ainda na ativa, barbudo e narigudo) também tem seu momento nesse quarto episódio, quando Ronja pergunta porque os guardas sempre atrapalham quando eles vão roubar. Por algum motivo (talvez para não acabar com a inocência da criança, talvez para não acabar com a inocência de todas as crianças assistindo Ronja) ninguém quis responder e não souberam enrolar Ronja direito, que continuou curiosa, então Fjosok fez uma comparação com a chuva e com outras coisas naturais. Em resumo: é assim porque é assim, mas dito de um jeito que a garotinha achou suficiente para apaziguar sua curiosidade. Os demais ladrões pareciam aliviados, e Mattis parecia preocupado, ou incomodado, não sei dizer o quê, mas o rosto dele não era bom.

Fjosok enrolando Ronja para não ter que dizer que o que fazem é errado

Fjosok enrolando Ronja para não ter que dizer que o que fazem é errado

Não houveram muitos perigos ou momentos traumáticos para Ronja nesse episódio. As harpias voaram atrás dela, e ela conseguiu fugir delas mergulhando em um lago. Será que essas harpias ainda vão dar trabalho? Por um lado elas claramente são antagonistas, e são o que há de mais próximo nesse anime a representar o mau. Mas por outro lado esse é um anime infantil, até agora mais ou menos episódico. Enfim, Ronja conseguiu fugir das harpias, e até teve a inteligência suficiente para concluir que com as harpias atrás dela, não poderia mais continuar muito tempo mais na floresta. O que não quer dizer que, uma vez de volta ao castelo, ela não iria mais correr nenhum risco.

As harpias encontram Ronja …

Noutro episódio, é dito que Skalle-Per ficou três dias perdido no castelo, porque resolveu ir explorá-lo mas ele é grande demais. Pois Ronja decidiu justamente explorar o castelo nesse episódio. Mas ela é uma criança esperta e foi riscando o caminho em pilastras com uma pedra para saber por onde voltar mais tarde. Solução simples e elegante, e que me faz duvidar da inteligência do velho Skalle-Per, acho que os outros têm razão quando fazem pouco caso dele por ter se perdido dentro do castelo. Mas isso não esgota a aventura de Ronja: ela chegou até a fenda que o castelo tem no meio, a chamada Fenda do Inferno. E bom, apesar de todos os avisos, ela está disposta a pular através dele. Na verdade, por causa de todos os avisos ela está ainda mais convencida a pular através dele: “tenho que ser corajosa”, ela diz para si mesma. Ela encontra o melhor local para o salto, toma impulso, e no último instante ouve um assovio e interrompe sua tentativa de salto. Ela viu do outro lado da Fenda, no castelo que ficou do lado de lá, um menino mais ou menos da idade dela. E ele sabe quem ela é! O episódio acaba aí.

... e Ronja foge delas

… e Ronja foge delas

Acho que não é segredo para ninguém a essa altura que o garoto é filho do Borka, o líder da gangue rival. Eles não contaram ainda, mas é assim que essas histórias funcionam. O que ele foi fazer tão longe de sua casa? Naturalmente ele também está na idade de ser uma criança exploradora e curiosa (me lembro dessa idade, ah se meus pais soubessem até onde eu costumava ir e o que eu fazia…), e foi isso que o levou até o castelo de Mattis. Mesmo assim, Ronja até onde eu saiba nunca foi além das fronteiras da floresta de seu bando, e por isso é estranho que o garoto tenha não só atravessado a fronteira, como ido até o covil da gangue rival. Talvez tenha a ver com o fato de sua gangue estar sendo caçada por soldados, como os adultos estavam discutindo antes, no começo do episódio. Mas isso não explica como ele sabia sobre Ronja. Bom, talvez seja a explicação mais simples e sua gangue apenas tenha descoberto nalgum momento que a gangue do Mattis tinha uma criança, que era uma menina, que era filha do Mattis e que tinha a idade do garoto da gangue deles. Eles apenas teriam sido mais competentes em obter inteligência sobre os rivais.

Ronja explorando o castelo

Ronja explorando o castelo

Qualquer que seja o motivo, a história está apontada para uma maior interação entre as duas gangues, e isso pode ser bastante divertido, estou curioso. Gostaria ainda de comentar sobre como o castelo da gangue do Mattis é grande. Grande demais e bem localizado demais para uma simples gangue de ladrões. Só não me arrisco a dizer que com certeza há algo mais aí porque estamos afinal de contas falando de uma história infantil, isso pode muito bem passar sem explicação mesmo. Por fim, gostei da forma como o anime apresentou o garoto e a questão de gênero para crianças: Ronja foi ensinada que era a única criança da floresta, e que haveriam dois tipos de crianças, aquelas que cresceriam para se tornar adultos como Lovis (sua mãe) e aquelas que cresceriam para se tornar adultos como Mattis (seu pai).

Mais imagens:

Discussão