Esse episódio foi muito ruim, em muitos níveis. Um dos motivos, não necessariamente o pior, é que muita coisa simplesmente não fez sentido, ou por não fazer mesmo sentido nenhum mesmo ou por não fazer sentido na história que vinha sendo contada até agora. Por isso quero acabar logo com isso, vou tentar postar de uma forma diferente, apenas pontuando o que aconteceu em ordem cronológica seguido do meu comentário. Me acompanhe nessa trilha espinhosa.

O que deve ser o antigo esquadrão, quando a comandante Jill ainda não era comandante. Os pais de Tusk aparecem em primeiro plano, e Jasmine está aí com uniforme de pilota também, mas ficou de fora dessa imagem

O que deve ser o antigo esquadrão, quando a comandante Jill ainda não era comandante. Os pais de Tusk aparecem em primeiro plano, e Jasmine está aí com uniforme de pilota também, mas ficou de fora dessa imagem

  • Na volta de uma missão, reclamam com a Ange que ela literalmente abate todos os dragões em todas as missões, e com isso ninguém ganha nada, e estariam começando a ter problemas até para comer. Ué, elas não eram alimentadas de graça? E a Ange é melhor e pilota uma nave melhor, eu entendo isso, mas como pode ser tão melhor para as outras nunca conseguirem matar nem os dragonetes pequeninos? E outro problema: a Ange não tinha começado a se dar melhor com as outras, ou pelo menos com parte delas? Porque nesse cena (e em várias na sequência do episódio) não parece. No final da cena, quando a capitã Salia pede para Ange colaborar, a princesa sugere que a outra a multe ou execute. Ele tem tanta confiança de que não será executada ou perdeu a vontade de viver à qualquer custo que ela havia desenvolvido no começo do anime?
  • Em seguida, reunião do alto escalão (?) na sala da comandante. Parece que muita gente sabe sobre o Tusk, e ele já trabalhou mesmo naquela base. Quero dizer, não sei se entendi direito, apareceu uma cena flashback do que provavelmente seria Arzenal muitos anos atrás, e nela aparecem os pais de Tusk (ou aqueles que eu assumi serem os pais dele). Então seus pais morreram e ele foi trabalhar em Arzenal também. Parece que há uma regra que só permite um homem por vez, né? Qual é exatamente o trabalho dele eu não sei, mas parece que vão “precisar” dele em breve. Até aí, essa cena ia bem. Minto, quase bem, teve uma hora que a Salia, que vive em uma base militar onde pelo menos parte das pessoas se engaja em orgias sexuais com frequência ficou preocupada com o fato de Ange ter ficado por dias sozinha em uma ilha com um homem. Mas o pior mesmo foi quando Salia pediu para a comandante que dê um jeito na Ange porque ela desrespeita ordens e isso pode um dia colocar o esquadrão em risco. A resposta da comandante foi: “Seu trabalho é lidar com isso”. Sim, exatamente! E ela está tentando lidar com isso nesse exato momento, e a porcaria da comandante está se opondo a ela!
  • Momoka está mesmo trabalhando como empregadinha escrava da Ange (e ela está feliz com isso!), para desespero meu e da Emma, a não norma da base, embora por motivos diferentes. Emma apenas tem os mesmos preconceitos que todos têm contra as normas. Já eu, bom, praticamente dediquei o artigo sobre o episódio anterior inteiro a dizer porque desprezo isso.
  • Cena inútil da equipe toda discutindo a chegada de uns tais “festivais”, e que elas querem fazer coisas para as “crianças”. Nem entendi porque começaram a falar da Ange, mas a Hilda aproveitou a deixa para provocar Salia.
  • Aparentemente, Salia alivia seu estresse fazendo cosplay de garota mágica nos provadores da loja onde as normas compram tudo. Por desatenção de Jasmine, a vendedora, Ange acaba descobrindo o hobby de Salia enquanto comprava roupas para sua escrava Momoka. Nada demais nessa cena, só não é boa, mas pelo menos não é ruim.
  • Salia lida com isso como uma adulta, e decide matar Ange. Ela ataca Ange quando ela estava no banho, e as duas acabam lutando seminuas dentro da banheira – LÓGICO. Falando em lógica, Vivian e Ersha aparecem em seguida, e Momoka vai pedir ajuda a elas para separarem as duas. E elas ajudam: jogam esfregões para as duas lutarem seminuas e armadas dentro da banheira. Como duas mulheres sensatas, as duas começam a ofender uma a outra por causa do tamanho dos peitos. Única coisa aproveitável da cena é que Ange e Salia realmente aproveitaram para descarregar todas as suas frustrações, Salia reclamando que Ange não colabora, e Ange reclamando que Salia não faz nada para impedir que Hilda e suas hildetes tentem matá-la. De novo, eu achei que Ange estivesse em melhores termos com as outras pilotas (exceto o núcleo malvado da novela, claro), então para mim é uma surpresa que esses problemas estejam ocorrendo ainda e ninguém faça nada para impedir.
Emma não se conforma que Momoka seja empregada particular de Ange. Eu também não

Emma não se conforma que Momoka seja empregada particular de Ange. Eu também não

  • As duas são advertidas pelo comando da base e terão que escrever uma redação de arrependimento com cinquenta páginas. Para o dia seguinte. Bom, acho irrazoável, mas não vou dizer que elas não mereceram. Salia concorda, e Ange não se conforma em ter que escrever isso.
  • Momoka escreveu a redação de arrependimento da Ange. Sério.
  • Ange pegou um resfriado por causa da farra no banho e vai ficar uns dias de cama. Bem-feito.
  • Enquanto Salia escreve em seu diário que a disciplina do esquadrão melhorou sem a Ange passa uma cena da Hilda trepando forte com suas hildetes. Hilário.
  • Salia pergunta a Mei (a mecânica) sobre o estado de Vilkiss, o mecha da Ange. Mei diz que sempre que a Ange usa ele volta quebrado, o que Salia lamenta. Mas Mei acha que está tudo bem, porque ela diz ter uma capacidade sobrenatural de entender os sentimentos das pilotas através de suas naves. Isso soaria só conversa de maluco, porque ela poderia completar com qualquer bobagem genérica que faria algum sentido subjetivo, estilo horóscopo, mas ela diz algo terrivelmente específico. Segundo Mei, Ange pilota Vilkiss pensando “não posso deixar ninguém morrer”. Sério, como ela faz isso? Não sei se é pior a Mei estar certa ou estar errada. Se estiver certa, então Ange se importa mesmo com as outras? Por quê??
  • Embora ela termine dizendo que foi uma brincadeira, Mei diz que a prova que ela está certa é que desde que Ange começou a pilotar Vilkiss mais ninguém morreu no esquadrão. Há quanto tempo Ange está aí mesmo? Acho que não deve ter dado nem três meses, chutando alto. Era costume morrer gente com tanta frequência antes? De todo modo, esse dado deixa Salia cismada, e ela vai checar nos seus registros os números de mortes desde que Ange passou a pilotar Vilkiss. Qual é, Salia, que capitã horrível você é! Seu esquadrão tem apenas sete pessoas, contando com você! Precisa consultar registros para se lembrar que todas estão com você há mais tempo que a Ange pilota Vilkiss e confirmar que ninguém morreu e você esqueceu completamente da existência da pessoa?
  • Um dragão ataca, e elas precisarão derrotá-lo sem Ange! É lógico que será impossível, mas vamos lá. É um tipo novo de dragão, e por isso, aparentemente, elas ficarão podres de ricas por obter informações sobre ele. Hilda e suas hildetes atacam primeiro pensando só no dinheiro, ignorando as ordens de Salia (onde foi que já ouvi sobre esse tipo de problema antes…), e descobrem do pior jeito que o dragão tem o poder de aumentar a gravidade da área! Elas ficam grudadas ao chão, e Salia e as outras duas estavam mais atrás mas conforme o campo se expandiu foram pegas por ele também. A gravidade gerada é tão poderosa que a terra racha e afunda em vários metros, e mesmo assim os mechas estão inteiros. Colados ao chão, mas inteiros. Nada de começarem a entortar e esmagar suas ocupantes. Mas essa nem é a noção de gravidade mais torta do episódio: Salia cogita seriamente abandonarem os mechas e saírem a pé. Sério mesmo? Com essa gravidade elas pesariam centenas de quilos ou talvez mais de uma tonelada e seus ossos e músculos não conseguiriam sustentar seus corpos e elas morreriam esmagadas pelo próprio peso. Aliás, isso deveria acontecer mesmo com elas dentro das naves. Acho que esse dragão não controla gravidade, só faz a terra rachar e mechas colarem no chão.
Todas são pegas pelo poder gravitacional do dragão

Todas são pegas pelo poder gravitacional do dragão

  • É lógico que Ange chega para salvar o dia, mesmo quase desmaiando de doente que está! Engraçado que Salia havia pedido reforços para a base assim que viu que o dragão era de um tipo novo desconhecido, mas acho que não existem mesmo outros esquadrões apesar do tamanho da base e da quantidade de normas de todo o mundo que devem ser enviadas para lá todos os anos (e apesar de em vários momentos do anime ter ficado implícito que elas seriam só um dos esquadrões da base). Só o que se salva nessa cena é que a Ange foi tão estúpida quando Hilda e pretendia atacar de frente, quem realmente salvou o dia foi Salia, que agora que conhece o poder do inimigo bolou um bom plano: mandou Ange voar bem acima para não ser pega pelo campo gravitacional, cair em cima de um dos chifres, e daí dar seu melhor golpe para quebrá-lo (os chifres são a fonte do poder; quero dizer, eles passaram a brilhar quando ele foi ativado, então acho que foi uma boa suposição, não é como se elas tivessem tempo para realizar muitos experimentos mesmo). Em cima do chifre, dando um golpe para baixo, a gravidade extra do dragão trabalhou contra ele. Mas que se note: Ange só obedeceu Salia depois dela gritar com ela a chamando de vadia burra. Senão ela teria ido de frente e ficado presa como todas as outras.
  • Hora dos espólios da batalha: todas ganharam um montão de dinheiro porque mataram um dragão novo. Mas Ange, que só quebrou o chifre dele, ganhou uma merreca. E ela cobra dinheiro da capitã, já que segundo diz só ganhou pouco por seguir ordens dela! Salia fica irritada com Ange, com razão, mas isso não a impede de fazer seu papel de capitã e aproveitar o momento de euforia para pedir que as três malvadas parem de tentar matar Ange durante as missões. Já me impressiona que isso precise ser pedido, mas me impressiona mais ainda que elas tenham a audácia de achar tal pedido uma afronta. Como se elas tivessem o direito natural e inalienável de matar uma colega de equipe durante missões. E o pior é que Salia, que tentou matá-la por ela ter descoberto sobre seu hobby, não tem moral nenhuma para exigir nada delas. Salia pede mais uma vez a Ange que ela deixe de ignorar ordens e agir sozinha durante as missões, e como ela concorda, Chris e Rosalie (nessa ordem), as duas hildetes, resolvem concordar com Salia também. E são chamadas de traidoras por Hilda em seguida, que vai embora enfurecida.
  • Agora que todos estão felizes (exceto Hilda), o que elas fazem? Vão comemorar! E onde se comemora? No banho! Mesmo com Ange estando doente por causa do banho? SIM!
  • Chris e Rosalie também estão comemorando felizes junto com todas as outras. Eu entendo que elas estejam gratas à Ange e não queiram mais matá-la, mas já viraram melhores amigas? E elas estão mesmo ignorando completamente Hilda, deixando-a sozinha onde quer que tenha se enfiado? Olha, elas com certeza conhecem a Hilda melhor do que eu e devem ter seus motivos para agir dessa forma, mas me parece estranho de todo modo.
  • E lógico que o episódio não poderia terminar sem mais uma reviravolta! Momoka recebe uma “ligação mágica” pela “linha imperial secreta” de Sylvia! Que está em sérios apuros e sabia que Momoka estava procurando por Ange. Acho que uma certa empregadinha só cumpriu metade do seu trabalho, hein?

Que coisa, acabou ficando um texto até maior que o normal e demorou tanto quanto para redigir. Mas tudo bem, o trabalho intelectual pelo menos foi bem menor, então suponho que o usarei nos casos de outros episódios igualmente ruins ou que por qualquer outro motivo eu não queira dedicar muito esforço mental. Enfim, mais imagens:

Discussão