Achei que haveria uma mudança no topo da classificação dessa vez, porque Bahamut precisava necessariamente diminuir o ritmo, e Kiseijuu estava acelerando. No final Bahamut foi mais lento sim, mas nem tanto, e Kiseijuu embora tenha acelerado, pouca coisa aconteceu no episódio, sendo mais um episódio de ligação do que qualquer outra coisa. E muitos episódios muito ruins de vários animes, essa semana me surpreendi negativamente muito mais do que positivamente, o que é uma pena, mas talvez seja o mal da meia temporada. Sem mais delongas, vamos à classificação.

18 – Shigatsu wa Kimi no Uso, episódio 6

A primeira metade do episódio sozinha garantiu a Shigatsu essa última colocação. Por mais que eu tente dourar a pílula (e muita gente está fazendo isso), a mensagem que esse anime passa no que diz respeito ao abuso infantil é terrível, asquerosa. A segunda metade foi bastante interessante, mas não foi o suficiente para salvar o episódio. Leia mais no artigo desse episódio,

17 – Karen Senki, episódio 8

Esse episódio aqui eu sequer entendi. Quero dizer, então falta uma peça na moto da Karen, e por isso ela (a Karen) fica com movimentos e percepção aguçadas e sua irmãzinha do peito (literalmente, nunca entendi isso) fica rebelde?

16 – Cross Ange, episódio 6

Momoka chegou! Seria um episódio não tão ruim, talvez até bom, se a Momoka não fosse só a empregadinha da princesa. Para não me repetir, peço que leia meu artigo sobre esse episódio.

15 – Akatsuki no Yona, episódio 6

A determinação de Yona é comovente, de verdade. Mas eu não me preocupei por um segundo depois que ela e Hak caíram do penhasco, não é como se houvesse a menor possibilidade deles terem morrido, por isso todo o drama do príncipe da Tribo do Fogo soou vazio para mim. As longas sequências introspectivas do Soo-won continuam chatas pra caramba, e duraram quase o episódio inteiro. Chato.

14 – Hitsugi no Chaika – Avenging Battle, episódio 6

Todas as Chaikas reunidas em um torneio! Quando você não sabe mais o que fazer ou como reunir todos os seus núcleos de personagens importantes para a história, faça um torneio! E a super-arma abandona Chaika e segue Guy (estou começando a achar que ele é o próprio imperador Gaz, de alguma forma), porque aparentemente a missão dela era apenas levar a arma até o castelo do último herói. Eu acho que aquelas Chaikas negras fazem lavagem cerebral nas pessoas.

13 – Selector Spread WIXOSS, episódio 7

Toda essa coisa de garota branca e garota negra está arrastando o anime para o fundo. Não é que não seja interessante, mas é que é desenvolvido de forma chata. E interrompe o que até agora WIXOSS tem mais acertado do que errado, as lutas.

12 – Ookami Shoujo to Kuro Ouji, episódio 6

Mais um episódio onde a protagonista é tratada feito lixo pelo seu “namorado”. Pelo menos apareceu um adversário, e ele é uma boa pessoa! Só que ele é fraco, tímido, e o Príncipe Negro vai esmagá-lo a hora que quiser, se precisar. Pelo menos a protagonista fica um pouco balançada, mas ainda assim ela não deveria precisar de outro homem para se livrar de um que é claramente ruim para ela. Não é como se garotas adolescentes não pudessem viver sem namorados.

11 – Terraformars, episódio 8

Se tivesse mais lutas… bem, isso já está ficando repetitivo, né? Pelo menos o flashback desse episódio é do Adolf, e se não posso dizer que gosto dele, pelo menos me importo um pouco mais com ele do que com aquele barbudão do episódio anterior que eu nem sabia quem era. E acho que o Adolf vai durar vivo por mais tempo, então a motivação dele é ligeiramente mais importante. Ainda assim, preferia mais lutas e menos flashbacks.

10 – Inou Battle wa Nichijou-kei no Naka de, episódio 6

Bom, episódio dedicado à Saiyumi. Não me importo com ela, mas a montagem do episódio foi interessante e aproveitaram para contar um pouco dos primeiros dias depois deles despertarem seus poderes, o que é relevante.

9 – Fate/Stay Night Unlimited Blade Works, episódio 6

Acontece um monte de coisas, mas além de revelar que Shinji é o mestre da Rider (serva que apareceu no episódio anterior) e mostrar os dois últimos servos, Caster e Assassin (que aparentemente estão trabalhando juntos e estão morando no templo), é um episódio meio sem graça. É expositivo, enfim. Leia o artigo que escrevi a respeito desse episódio.

8 – Sailor Moon Crystal, episódio 10

É um episódio expositivo feito de um jeito menos entediante que os demais expositivos que ficaram abaixo dele nessa classificação, mas ainda assim é só um episódio expositivo. Informação relevante: os servos da Beryl são, na verdade, cavaleiros de Endymion, o Tuxedo Mask.

7 – Sanzoku no Musume Ronja, episódio 6

Os dois clãs de ladrões se encaram através da Fenda do Inferno, e coisas interessantes são ditas e a questão moral interessante sobre o roubo é levantada. Mas nada está resolvido ainda, e Ronja vai ter que aturar o Birk por toda parte agora, inclusive na floresta que ela tanto ama. Escrevi um artigo sobre esse episódio.

6 – Psycho-Pass 2, episódio 6

A ação do episódio é boa, mas a história está ficando mais difícil de entender. Particularmente, as motivações dos antagonistas são completamente obscuras. Mas isso não impede o Tow Ubukata de encher o episódio de dicas sobre o enredo que uma criança entenderia (e eu que não sou criança e estou assistindo um anime que não é para crianças me sinto ofendido com isso) e dotar a Tsunemori de uma capacidade de raciocínio sobre-humana. Escrevi sobre esse episódio nesse artigo.

5 – Garo: Honoo no Kokuin, episódio 7

É um bom episódio. Não obstante, está começando a ficar difícil me esquivar da sensação de que o anime não está chegando em lugar nenhum. Como o próprio Leon parece estar com essa sensação também, isso provavelmente é proposital. De todo modo, é mais um episódio com metáforas sobre a própria vida do Leon e embora ele tenha tido sucesso em derrotar o vilão do episódio, ele foi derrotado pelo Cavaleiro Negro e agora está em uma crise pessoal que precisa resolver antes de continuar sua busca principal.

4 – Amagi Brillant Park, episódio 7

Acho que a KyoAni acertou o tom e estão agora ignorando completamente a história e o desenvolvimento de personagens em favor de episódios apenas divertidos e engraçados. Para o que esse anime se propõe está ficando bom.

3 – Kiseijuu, episódio 6

Shinichi é salvo da morte pela astúcia de Migi, que o salvou operando seu coração ferido e cuidando de Shinichi até que ele se recuperasse. No processo ambos mudaram: Migi agora tem uma fraqueza e Shinichi está muito mais forte. Ambos parecem ter mudado psicologicamente também, Migi agora se importa com o que Shinichi pensa dele e com questões morais e Shinichi perdeu quase toda a empatia por outras pessoas, cego que está pela vingança. Mas o episódio em si é só de ligação, nada relevante acontece além de mostrar que os protagonistas mudaram. Quero dizer, é revelado que o pai de Shinichi está vivo mesmo e tudo mais, mas isso já era esperado, então não causa impacto. Leia o artigo que escrevi sobre esse episódio.

2 – Gugure! Kokkuri-san, episódio 6

O que dizer? Continua engraçado demais. E em meio às piadas e sem prejudicá-las, acharam tempo ainda para revelar um lado mais humano do guaxinim. Segundo lugar merecido.

1 – Shingeki no Bahamut, episódio 6

Como era de se esperar, o ritmo caiu nesse episódio. Os protagonistas são presos, levados à capital do reino, anjos intervêem e eles são mantidos vivos, mais sobre a história do Bahamut é revelada, cai a máscara do Lavalley (pelo menos para nós espectadores), e o diálogo entre Joana D’Arc e Favaro é revelador do que deve ser o futuro do protagonista entre os protagonistas. Mas as coisas não ficam paradas por muito tempo, e no fim do episódio Azazel inicia seu ataque com força total sobre a capital. Escrevi bastante sobre esse episódio nesse artigo.

Discussão