Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

E no episódio dessa semana aprendi que até o mais cruel dos cavaleiros de ouro, aquele que pode ser chamado segundo critérios objetivos de maligno pode me emocionar. Cancerianos fãs de Cavaleiros do mundo todo que até esse episódio ir ao ar precisavam renegar o cavaleiro de seu signo em favor de seu equivalente em outro spin-off agoram podem se sentir redimidos juntos com o cavaleiro de ouro que tem a voz original japonesa mais legal. Como foi isso, e o que mais aconteceu nesse episódio?


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


A Batalha das Doze Casas, que opôs os cavaleiros de bronze protagonistas da série original e que estavam ao lado de Atena contra os cavaleiros de ouro fez um trabalho competente em classificar os dourados ao longo do eixo que vai do bem ao mal. Na porção extrema do lado do bem, aqueles que ajudaram os cavaleiros de bronze ou só lutaram contra eles porque enganados ou, como o Aioria, controlados mentalmente. No extremo oposto, aqueles que sabiam que Seiya e companhia lutavam por Atena, mas não estavam nem aí. Mesmo entre esses os motivos variavam, e aquele que matava por diversão e usava os rostos de suas vítimas como decoração e troféu foi o único que se mostrou tão horrível que até mesmo sua armadura o abandonou. Máscara da Morte, você não presta. Você envergonha os cancerianos do mundo todo.

Na Saga de Hades ele já havia se redimido, participando do plano junto com os demais cavaleiros de ouro mortos para tentar enganar o deus do submundo e seus generais, e depois vestiu de novo a mesma armadura que já o havia abandonado para usar o que restava de sua alma para abrir uma passagem para o futuro através do Muro das Lamentações. Ele já havia se redimido, e também já havia sido aceito de volta por sua armadura, mas ele fez isso junto com todos os demais cavaleiros de ouro, ele era um em doze (ou em treze ou quatorze, contando Shion e Kanon). Apesar de toda a pompa e circunstância da situação, enquanto isso tenha redimido o cavaleiro de câncer dentro do cânone de Cavaleiros do Zodíaco claramente não bastou para redimi-lo perante os fãs do anime. Soul of Gold estava ciente disso e não pôde ignorar o fato.

É por isso que ele dá um passo atrás na redenção da Saga de Hades. Sim, ela aconteceu, mas é como se não tivesse acontecido porque ele está de novo renegado por sua armadura e, de forma geral, agindo como um pária. Só não se confunda, Soul of Gold continua uma série com um enredo fraco e uma narrativa corrida e abaixo do ideal, de forma que mesmo essa redenção sofreu desses males. Mas como o público de Soul of Gold é composto pelos fãs de longa data da franquia e que já estão mais do que acostumados com essas deficiências que, em maior ou menor grau, todos os produtos da marca possuem, esse se tornou sim mais um momento épico da história de Cavaleiros: o dia em que Máscara da Morte lutou por amor.

Provavelmente pode-se até analisar sob um novo olhar o episódio anterior, quando o Câncer se recusou a lutar junto aos demais cavaleiros. Ele não disse isso, mas só queria ficar perto da Helena, a florista doente por quem se apaixonou e que trabalha para sustentar sozinha seus vários irmãos mais novos. Esse excesso de drama combina com os valores caricatos dessa série e de toda a franquia. Ele ganha dinheiro do jeito que um canalha como ele sabe: apostando e intimidando seus oponentes. E dá tudo para a família de órfãos de sua musa, sem sequer se identificar. Ele quer apenas o bem dela e seus irmãos, não se preocupa em receber nada em troca e no fundo acredita que não merece nada em troca. É com desespero que esse Máscara da Morte descobre que Helena desapareceu levada por um Guerreiro Deus.

Antes dele, o narcista e frio Afrodite chegou primeiro ao paradeiro de Helena, mais um local de cruéis experimentos com seres humanos levados à cabo pelo Guerreiro Deus Fafner de Nidhogg, que já havia sido derrotado por Mu e Aioria noutra ocasião fazendo o mesmo em uma vila distante. Afrodite tem sucesso em derrotar Fafner, mas o próprio Andreas surge diante dele e tudo o que consegue fazer é fugir com Helena e dizer para o Máscara da Morte, que acabara de chegar, fugir com ela. Mas fugir não era uma opção, principalmente depois dele assistir a derrota de Afrodite. Máscara de Morte teria que ressuscitar como guerreiro!

Como o próprio Andreas apontou, porém, ele é o mais fraco dos cavaleiros dourados e ainda por cima está sem sua armadura (que o rejeitou na Batalha das Doze Casas). Máscara da Morte sabe disso mas também sabe que precisa lutar. E então sua armadura o aceita de volta – a redenção está completa, mas o drama não. Máscara da Morte com sua armadura em forma divina consegue repelir os ataques de Andreas, que recua por hora. Mas não importa quanta força um guerreiro tenha, ele não pode salvar alguém ferido de morte. Depois de reconhecer em Máscara da Morte o homem bom que dava dinheiro para sua família todos os dias, Helena morre em seus braços.

Com algumas décadas de atraso, esse episódio adicionou um pouco de profundidade ao provavelmente menos popular cavaleiro de ouro. Por que alguém originalmente maligno seria escolhido como portador de uma das mais poderosas armaduras do Santuário de Atena, afinal? Talvez, a se levar esse episódio a sério, Máscara da Morte fosse apenas inseguro. Como o mais fraco dos Cavaleiros de Ouro, a pressão que ele sentia para provar sua força era maior do que a de qualquer outro, e combinado isso a sua personalidade, ele desenvolveu um conjunto perverso de valores que defende que a justiça está ao lado do mais forte – por isso ele ficou ao lado de Saga mesmo sabendo de tudo. Como consequência disso ele próprio se tornou uma pessoa perversa, sem que tenha se tornado minimamente mais forte. A verdadeira força, a verdadeira justiça, essas ele só foi conhecer quando sentiu a necessidade de defender alguém mais fraco do que ele. Infelizmente o resultado foi trágico, mas dificilmente poderia ter sido outro, fosse quem fosse no lugar dele, se é que isso serve de algum consolo.

Afrodite foi capturado e colocado em uma base em cima de uma estrutura estranha que parece feita de raízes. Nessa estrutura há doze bases. Acho que agora não há mais dúvida do porquê os cavaleiros de ouro terem sido revividos, certo? As armaduras divinas, contudo, são algo com que Andreas não contava mas não parece ter se assustado ao testemunhar uma ele mesmo. Sei que no final elas serão sua perdição. Acredito que eventualmente todos os cavaleiros, ou quase todos, devam acabar capturados, para que o anime passe uma sensação maior de perigo. Quanto ao Máscara da Morte, me pergunto o que ele fará com os irmãos mais novos de Helena – ou talvez ela não tenha morrido de verdade. De um jeito ou de outro, agora ele sabe que não pode defender ninguém, ou seja, não pode ser forte de verdade, se continuar fugindo da luta.

Comentários