Chegaram as férias de verão! É claro que agora Umaru vai aproveitar e fazer algo incrível e diferente de tudo já visto antes! Não é? Não é? Não. Claro que não. Ela continuou fazendo o mesmo de sempre: um monte de “nada”. A diferença é que agora ela pode fazer “nada” durante o dia inteiro, sem se preocupar com a escola ou com sua outra personalidade. Pelo menos o episódio começou a expandir a história, mostrando um pouco da rotina de Taihei em seu ambiente de trabalho. Se eu já tinha pena dele antes, agora estou querendo atravessar a tela para lhe dar um tapinha nas costas e dizer: “bom garoto”.

Férias, sol, calor. A maioria das pessoas diria que é o tipo de ocasião perfeita para ir à praia ou marcar um piquenique com amigos debaixo de uma boa sombra. Porém, esse tipo de pensamento nem sequer passou pela cabeça de Umaru, que mal via a hora de poder passar o dia inteiro no fliperama testando sua sorte. Quando a Sylphynford apareceu no mesmo fliperama querendo desafiar “UMR”, imediatamente pensei: ah não, de novo não. Se Umaru vai derrotá-la todo episódio, que pelo menos mudem a situação, o cenário, sei lá… sejam mais criativos! Ainda bem que o objetivo ali não era continuar fazendo graça com as derrotas da rival de Umaru, mas mostrar o início de uma possível relação de amizade entre as duas. Sylphynford confirmou, nessa breve participação, o quanto é competitiva. Agora que “UMR” ganhou sua confiança, ela quer tê-la como aliada em sua incansável missão de tentar derrotar Umaru. Isso pode ser interessante, pois a Sylphynford não é lerda como a Ebina, nem totalmente desligada das pessoas ao redor como a Kirie. Se ela passar a conviver durante mais tempo com a “UMR”, é provável que descubra muito em breve a sua verdadeira identidade.

“Minha missão de vida é derrotá-la”.

“Minha missão de vida é derrotá-la”.

Em casa, Umaru está sendo mais mimada do que nunca. Kirie faz de tudo para agradar a sua “mestra” e não se importa nem um pouco de estar sendo usada por ela para manter o nível de procrastinação lá no alto. Até Umaru já está percebendo o quanto está exagerando nessa história de mestre e discípulo, mas tentar mudar agora daria muito trabalho e Umaru só quer curtir a sua preguiça. Quero ver até onde isso vai, mas se depender da Kirie, acho que ela ficaria ali do lado de Umaru para sempre e ainda se sentiria a mais feliz das pessoas. Desse jeito, a nossa preguiçosa não tem nenhum motivo para querer mudar mesmo. Quem não ia querer continuar do mesmo jeito, se estivesse na situação dela? Outra pessoa a quem estamos acostumados a ver Umaru “abusando” por seu excesso de preguiça, é seu pobre irmão Taihei. Dessa vez ele usou seu dia de folga para lavar uma montanha de roupas porque Umaru não se move para fazer nada que não queira. Ele já parece bastante habituado a esse comportamento, afinal, ao invés de tentar fazê-la mudar de postura, apenas lhe deu dinheiro para ir ao shopping comprar mais roupas, pois percebeu que ela tem poucas variações de peças para sair de casa. Já não sei se devo culpar a Umaru por suas atitudes, ou essas pessoas extremamente bondosas que estão em sua vida. Mentira, sei sim: é tudo culpa do Taihei mesmo.

Umaru convida Kirie e Ebina para acompanhá-la no passeio ao shopping, então podemos notar que Ebina continua tentando de todas as formas se aproximar de Kirie, mas não está conseguindo fazer nenhum progresso. A discípula de Umaru demonstra uma mistura de ciúme e ódio que é simplesmente assustadora. Se a personagem dela continuar nesse mesmo nível de desenvolvimento atual, não vejo nenhuma possibilidade dela algum dia se tornar alguém agradável com a Ebina. Eu já teria desistido de tentar ser amiga dela a muito tempo… Só tomaria cuidado para não ser espancada, esfaqueada ou qualquer outra coisa que termine com ada (afinal, também não deve ser boa coisa…), e continuaria minha vida normalmente. Durante as compras, Umaru arranja uma forma de ir sozinha a uma loja e se vê em um dilema que todos nós já passamos algum dia na vida: eu compro o que eu vim comprar ou o que estou com vontade de comprar? Seu irmão deixou bem claro que ela não devia comprar nada além de roupas, mas ela não resistiu e comprou o jogo que queria ao invés de levar um vestido mais caro. Eu te entendo Umaru! Eu sou a pessoa que vai ao supermercado com a intenção de comprar apenas açúcar, mas volta para casa com chocolate, iogurte e Baconzitos (e sem levar o açúcar, se brincar).

Se existe uma amizade improvável de acontecer, é entre a Ebina e a Kirie.

Se existe uma amizade improvável de acontecer, é entre a Ebina e a Kirie.

Por fim, o episódio abordou um pouco mais sobre a vida profissional de Taihei. Ele realmente não é o tipo de pessoa que se impõe e, por causa disso, sempre tem alguém por perto se aproveitando de sua boa vontade. Em seu ambiente de trabalho, as situações não são muito diferentes do que lhe acontece em casa. Ele tem um colega de trabalho preguiçoso e outro que não é muito esforçado. Portanto, Taihei é a pessoa a quem todos recorrem de uma forma ou de outra. Também há uma personagem feminina que demonstrou bastante interesse nele, tanto que fica sempre por perto para observá-lo e saber mais sobre sua vida. Porém, ainda não sabemos nem o seu nome. Pelo padrão que este anime tem seguido, eu não criaria esperanças em ver um desenvolvimento amoroso entre essa nova personagem e o irmão da Umaru. Prefiro me arriscar a dizer que vão usá-la apenas para o mesmo propósito que usaram todos os personagens que surgiram até agora: criar situações cômicas e rápidas, nada de um desenrolar mais profundo. Não criem expectativas maiores do que essas, apenas peguem seus salgadinhos e refrigerantes, e aproveitem o anime.

Discussão