Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Himouto está jogando sujo! Sério, quem foi que deu permissão para retratar a minha vida aí?! Vou já verificar se o meu diário, da época em que eu costumava escrever um, continua no lugar de sempre ou foi parar lá no Japão. Há muito tempo eu não via nada que conseguisse me fazer sentir tão nostálgica como esse episódio fez. Terminei de assisti-lo com um belo sorriso que pode ser lido como: “que lembranças adoráveis você me fez desenterrar, Umaru. Obrigada! ”. Se você não é filho único; ou se é um gamer desde a época em que o Super Nintendo era o sonho de consumo de todos os seus amigos, então você sabe bem do que eu estou falando.

Curta o anime21 no facebook:

As famílias já não costumam ser tão grandes como eram antigamente. Minha mãe e meu pai possuem mais ou menos nove irmãos cada um, mas escolheram ter apenas duas filhas, das quais eu sou a caçula. Talvez em um ambiente ocupado por uma família grande, igual ao que meus pais cresceram, seja mais difícil algum dos irmãos adquirirem um comportamento parecido com o da Umaru: ser muito mimado, exigir atenção o tempo todo, agir de forma egoísta, etc. Não há tempo e nem “viabilidade”, digamos assim, para alimentar esse tipo de atitude. Já em uma família menor, como a que eu estou acostumada, há tempo de sobra para mimos e disputas entre irmãos a fim de ter uma atenção diferenciada de seus pais ou de seu próprio irmão. Foi isso o que vimos nesse episódio, o irmão de Umaru já está tão acostumado a mimá-la que sua vida gira em torno dela. Mesmo quando está de folga, é difícil para ele conseguir pensar em algo que não envolva a Umaru correndo por toda parte e gritando: “onii-chan”. Quando está em casa, sem a presença da Kirie, Umaru faz de tudo para ter a atenção do irmão toda para si. Ela não se importa se ele precisa trabalhar ou se concentrar em coisas mais importantes, ela sempre vai perturbá-lo até conseguir o que quer. E, como eu já disse algumas vezes por aqui, é tudo culpa dele. Ele a acostumou a pensar assim. Porém, eu o entendo. É chato ficar ouvindo alguém exigir a sua atenção quando você não está com paciência para isso? É sim, e muito! Mas, por outro lado, apenas alguém que realmente aprecia a sua companhia é capaz de fazer isso (também te amo, maninha! s2).

Eu também quero uma cortina de porquinhos!

Eu também quero uma cortina de porquinhos!

Quando Kirie vem visitar Umaru, essa “carência” de atenção basicamente some. Afinal, Kirie está sempre disposta a fazer tudo que Umaru desejar. Dessa vez, ela quis jogar o “Jogo da Vida” com Kirie e Taihei. Me diverti muito vendo a analogia que fizeram da personalidade de cada um com os resultados do jogo. A Umaru se saindo bem pelo grande potencial que possui e, logo em seguida, caindo drasticamente de rendimento por sua preguiça. A Kirie tendo uma vida horrível por puro azar (coitada, acho que os gatos pretos devem ter medo de cruzar com ela na rua). Já Taihei, mudou de carreira e continuou se esforçando tanto que se tornou um profissional muito bem-sucedido. Aliás, ele também se saiu muito bem na vida amorosa, já que se casou e teve três filhos. A esposa que foi ilustrada, lembra muito a Ebina. Eu estou tentando não torcer para eles ficarem juntos porque romance não é o foco do anime e, portanto, é bem provável que isso não vai acontecer de verdade. Porém, fica difícil não querer que eles se tornem um casal quando aparecem cenas tão amáveis como essa durante os episódios. Pare de brincar com os meus sentimentos, Himouto!

Que família adorável!

Que família adorável!

A brincadeira termina depois que Kirie esbarra no vídeo game e o jogo trava. Qual é a solução que Umaru encontra para resolver isso? Assoprar o cartucho! (Ou fita, dependendo de onde você more. Eu sempre chamei de cartucho). Perdi as contas de quantas vezes fiz isso na minha vida. E realmente funcionava! Não sei qual é o poder mágico que o assopro possui, ou se isso já foi explicado pela ciência. Só sei que dava certo e salvava os meus finais de semana, onde eu precisava começar a jogar pela manhã e continuar durante o resto do dia se quisesse tentar zerar o jogo, pois ainda não existiam nem memory cards. Pelo amor de Deus, me digam que vocês também possuem boas lembranças dessa época ou que, pelo menos, sabem do que eu estou falando, senão vou me sentir muito velha… Hahaha.

Se você é gamer, você conhece essas técnicas ninjas.

Se você é gamer, você conhece essas técnicas ninjas.

A última parte do episódio se passa no dia do aniversário da Umaru. A situação retratada também é muito fácil de conseguir se identificar porque aniversários são dias estranhos para todo mundo. O aniversariante geralmente não sabe o que esperar: se deve criar expectativas ou não; se deve achar que as pessoas ao redor esqueceram de seu aniversário ou se estão planejando alguma surpresa. Já as pessoas que conhecem o aniversariante, ficam com a preocupação de tentar fazer algo que seja bom o suficiente para suprir as expectativas da pessoa. Enfim, eu fico feliz quando vejo as pessoas por quem tenho algum carinho tentando me agradar, mas já passou a época em que eu acordava com os olhos brilhando igual a Umaru, esperando que nesse dia fosse acontecer algo incrivelmente especial. Acho que já estou mesmo muito velha².

  1. Fábio "Mexicano" Godoy

    Identificação com os personagens (mesmo eles sendo absurdos) é a chave do sucesso de Himouto! Umaru-chan. Eu, particularmente, me identifico com sair para comprar refrigerante de madrugada na loja de conveniência =D

Comentários