Sabe aquela sensação de que você está sendo iludido? De que não deveria confiar em tudo o que o seu coração quer acreditar? Pois é… Gakkou Gurashi tem feito muito isso comigo. Ver essas garotas alegres, colocando seus sonhos em cartas e querendo planejar o futuro como qualquer aluno normal, ansioso pelo momento de sua formatura, poderia querer; me fez pensar que talvez eu tenha sido muito pessimista todo esse tempo. Que eu estive esperando pelo pior enquanto, na verdade, deveria estar torcendo por um iminente final feliz. Quem sabe alguém vai encontrar essas cartas e vir resgatá-las? Quem sabe se os momentos de terror foram apenas sonhos ruins e, a qualquer momento, elas vão acordar e encontrar o “Clube de Vida Escolar” funcionando junto com as aulas, colegas e professores normais? Talvez todas vão ser felizes para sempre e o pior que poderia acontecer já passou?! Eu me sentiria melhor se conseguisse pensar assim, mas sei que esse não é o caminho que a história vai trilhar. As dicas estão por toda parte e quanto menos preparados estivermos para ver toda a obscuridade que está por vir, mais vamos sofrer. Até mesmo esse episódio, que foi o mais leve até o momento no que se refere ao uso da tensão, deixou claro que existe uma melancolia profunda acompanhando cada passo que as garotas dão.

Acho que essa foi a introdução menos otimista que já escrevi, mas juro que é por um bem maior. Afinal, temos que nos manter realistas! A Yuki é a prova viva de que nutrir uma falsa alegria pode ser tão prejudicial quanto encarar uma realidade cruel. Então não se deixem enganar pelas “good vibes” apresentadas na segunda metade do episódio. Lembrem-se do que se trata esse anime e também de que já tentaram nos confundir várias vezes. Precisamos manter o foco e ser fortes! Logo mais eu explico melhor o porquê de estar com tanto medo do que pode acontecer daqui para o fim da temporada (Além do motivo habitual que é eu ser uma chorona medrosa…). Por agora, vamos à análise do episódio.

Com praticamente todos os detalhes do passado esclarecidos, a cronologia agora está de volta ao presente. O inverno está chegando e os alimentos precisam ser calculadamente racionados para durarem tempo suficiente até que seja “seguro” planejar uma nova saída. Não obstante essas preocupações, ainda temos a delicada situação de Yuki. Ela está percebendo que há algo de errado com suas memórias. Uma simples conversa que não cite sua amada Megu-nee, já é motivo para ela demonstrar total descontrole mental. Isso evidencia o quanto a morte da professora deixou Yuki emocionalmente quebrada, e é justamente por não querer (ou não conseguir) lidar com a dor dessa nova situação, cheia de mortes e tragédias, que seu problema se tornou tão grave. Bom, até aí nenhuma novidade, mas o ponto que quero abordar é o de que a Yuki está sofrendo! A felicidade que ela demonstra sentir está apoiada em uma ilusão extremamente frágil. Uma frase mal pensada é o suficiente para fazer evaporar toda a sua racionalidade e substituir pensamentos alegres por memórias confusas e dolorosas. Então, será que fingir que nada mudou e colaborar com a “loucura” da Yuki era realmente o melhor que podia ter sido feito? Talvez se Kurumi e Yuri, ao invés de deixá-la imergir nessas ilusões, tivessem tentado ajudá-la a encarar e superar esses acontecimentos, por mais tempo que isso demorasse, não seria psicologicamente mais saudável para Yuki? Ela não seria mais a “distração” do grupo, nem traria a alegria que estamos acostumados a ver, mas poderia estar bem mais perto de superar seus traumas do que está agora. Acredito que foi sobre isso que Miki tentou alertar as outras garotas quando disse que “Yuki não vai conseguir (ir em frente?) se continuar assim”.

Eu sei que a Yuki é fundamental para muitas coisas, principalmente para manter a motivação de todas. Porém, quando se pensa por esse lado (de que ela pode estar vivendo um sofrimento sem fim), não parece justo as outras continuarem agindo da mesma forma. Aliás, elas parecem estar se sentindo muito culpadas pela situação da Yuki ter chegado ao ponto que chegou, mas já não sei dizer se é seguro tentar mudar de comportamento agora, depois de todo esse tempo contribuindo para a confusão em sua mente. Tudo precisa ser feito com o maior cuidado possível pois, enquanto Yuki estiver nessa condição psicológica delicada, suas reações serão sempre imprevisíveis. Uma coisa que eu acho muito interessante é o esforço sutil que o anime faz para demonstrar que Yuki continua vivenciando em sua mente algo completamente oposto ao que suas colegas vivem. Enquanto Yuki vive no passado e acorda assustada por ter pesadelos com fatos que fazem parte do presente, suas colegas vivem um pesadelo no presente e sonham todas as noites com a rotina que possuíam no passado.

A cena que marcou a primeira metade do episódio foi, sem dúvidas, o diálogo entre Yuki e Megu-nee em frente a tão temida porta onde a professora viveu seus momentos finais. Pelo conteúdo da conversa, tudo leva a crer que Yuki, pelo menos naquele momento, tomou consciência de que precisa deixar Megu-nee ir embora e seguir em frente. Logo depois, vemos que ela guarda em seu quarto o ursinho que ela havia usado como um refúgio para as suas lembranças sobre a Megu-nee. E também prepara um sorriso antes de entrar novamente na sala do clube para voltar a falar com as garotas usando a sua habitual animação. Além disso, ela não voltou a incluir Megu-nee nas conversas durante o resto do episódio. Eu acredito que essa nova postura, mais lúcida, seja temporária. Mesmo assim, estou admirada com a força que ela demonstra ter. Suas memórias estão bagunçadas e ela não tem certeza de nada, mas no fundo sabe que o grupo de certa forma depende dela e por isso faz o possível para manter todas felizes.

O outro lado da porta misteriosa.

O outro lado da porta misteriosa.

Fiquei realmente surpresa ao ver o outro lado da porta onde Megu-nee se trancou com vários zumbis. Pelas cenas mostradas no episódio passado, eu achava que se tratava de uma sala fechada, e isso já me aterrorizava por pensar na possibilidade de algum dia precisarem acessar a suposta sala ou ela ser aberta por engano, etc. Agora que eu vi que aquela porta dá acesso a um longo corredor, estou simplesmente em pânico! A menos que tenha acontecido mais alguma coisa relevante que ainda não foi mostrada, Megu-nee zumbi pode estar passeando pelo(s) corredor(es) da escola! Ou seja, há a possibilidade de alguma garota do grupo chegar a vê-la nesse estado. E isso é uma coisa que deixaria até eu, no conforto do meu lar, traumatizada. Então imagina o estrago que uma visão dessas pode fazer na mente de alguma das nossas sobreviventes?

Outro fator que me preocupa é esse planejamento que Yuri e Miki têm discutido sobre sair da escola. Entendo que é importante ter um plano B, um lugar onde buscar abrigo caso algo de errado aconteça. E muita coisa pode dar errado, visto que ainda existem muitos zumbis tanto nos arredores quanto dentro da escola. Porém, no momento, acredito que lá seja o melhor lugar onde elas poderiam estar nessa situação. Elas mesmas vivem reafirmando os diferenciais que a escola possui, como os painéis solares e baterias que lhes garantem o fornecimento de energia. Sair da escola por terem sido resgatadas por outros sobreviventes, também é uma coisa que eu não vejo acontecendo. Achei muito lindo e significativo elas escreverem cartas com suas esperanças e sonhos, mas eu vi histórias de zumbis o suficiente para saber que, se um grupo está sobrevivendo em um bom lugar, e então outro grupo passa a saber da existência desse “bom lugar”, o que acontece a seguir não é uma confraternização com promessas de ajuda mútua, e sim uma disputa violenta pelo território e para tomar para si a posse dos recursos.

Imaginação de Yuki sobre sua formatura.

Imaginação de Yuki sobre sua formatura.

A Yuki também aguarda ansiosamente pelo momento em que vai poder deixar a escola, mas obviamente é por um motivo diferente. Ela estaria cursando o último ano, então só relaciona essa possibilidade a sua formatura. É isso o que ela escreve em sua carta e que é muito bem ilustrado em seu pensamento. E tudo estaria muito lindo, e esse episódio teria terminado de uma forma que encheria a todos de esperanças sobre a possibilidade da história ter um final feliz para nossas amadas personagens… isso se não fosse a nova ending. Pois é, ela mudou e está muito sombria! Dois aspectos em especial chamaram a minha atenção: o primeiro é o efeito parecido com “estática”, em algumas cenas nas quais as garotas aparecem caminhando distraidamente. Assim, a impressão que fica é a de que elas estão sendo observadas por alguém (e como estou inquieta com um possível encontro entre a Megu-nee zumbi e as garotas, eu chutaria que é a professora que está observando). O outro aspecto é a cena em que, antes, as garotas aparecem todas dormindo na sala de aula unidas pelas mãos e, depois, simplesmente somem e ficam apenas um pertence característico de cada uma. E esses pertences estão todos cobertos por sangue! Inclusive o ursinho, que todos sabem que representava a Megu-nee, está lá, todo destruído. Por mais que eu pense, não consigo interpretar essa cena com algum significado que seja diferente de: “todo mundo vai morrer!”. E tem mais! No quadro negro, a frase escrita em japonês tem a seguinte tradução: “Eu me formei com todo mundo!!” Esse era o desejo da Yuki, certo? Mas não condiz com os objetos ensanguentados na sala. Então isso me fez imaginar, caso todas elas realmente morram, se a Yuki vai ser a última a morrer e se na mente dela vai ficar imaginando que as outras continuam ali do lado, esperando para se formarem e saírem da escola junto com ela.

“Eu me formei com todo mundo”.

“Eu me formei com todo mundo”.

Nessa nova ending, ainda foi retirado um detalhe que estava sempre presente nas outras: a frase “Sweet Dreams” (“sonhos doces”, em uma tradução literal). É apenas coincidência ou um indicativo de que agora a parte suave do anime realmente chegou ao fim? Bom, saberemos nas próximas semanas. Agora chega de elaborar teorias malucas porque o artigo ficou gigante (como sempre…). Antes de deixá-los retornarem aos seus afazeres, aviso que pretendo postar um artigo especial muito em breve, dedicado a esclarecer todas as modificações pelas quais a opening de Gakkou Gurashi passou até agora. A opening deste sétimo episódio foi a que mais sofreu mudanças, então aguardem que vocês vão descobrir coisas muito interessantes (ou não…haha). Pronto, agora parei mesmo. Juro. Obrigada pela paciência.

  1. Se houver uma Megu-nee zumbi na escola…
    SE as garotas encontrarem ela…
    O QUE ACONTECE se elas não tiverem coragem de neutralizá-la…

    • Pois é, isso seria terrível! Eu acho que qualquer uma das garotas ficaria em choque e não conseguiria reagir, principalmente a Yuki. Talvez esse possível encontro teria um impacto menor se fosse com a Miki, já que ela não chegou a conhecer a Megu-nee como as outras. Se bem que também não acho que a Miki conseguiria reagir, porque no episódio em que ela é resgatada, vimos que ela é o tipo de pessoa que praticamente fica paralisada quando está com medo. Enfim, espero que eu esteja errada e que não haja uma Megu-nee zumbi passeando por aí… porque se houver… a coisa vai ficar muito feia… 😡

Discussão