Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Estou me divertindo tentando imaginar quais processos psicológicos e sociológicos levaram tanta gente não só a gostar, mas a achar One Punch Man bom. O anime não tem história. É uma comédia apenas mediana (e estou sendo generoso). As lutas que não envolvem o Saitama são legais, mas se ele estiver por perto acaba todo o senso de urgência porque é dado que tudo vai acabar com a piada principal do anime: ele derrotando o vilão com um golpe só. Vá lá, os personagens são legais, inclusive o Saitama com quem no entanto não consigo simpatizar. É essencialmente um programa de comédia sem rumo que tem poucas piadas e as repete semana após semana. Conhece outro assim?

Curta o anime21 no facebook:

Zorra Total (não assisto o programa há anos, e só assistia de forma intermitente; meus exemplos serão velhos, me aguente por favor). É sério. Por que o Saitama derrotar todo vilão com um soco só é engraçado mas o Severino cara-crachá não é? Por que o Saitama careca com cara de merda é engraçado mas o Nerso da Capitinga não é? Isso é só uma provocação, eu na verdade tenho essas respostas. Ignorando o preconceito que há contra humorísticos nacionais, ainda assim há diferenças (a maior delas, claro, é um ser animação e o outro ser com atores reais, assim One Punch Man já tem vantagem visual pelo menos). Esse tipo de comédia depende de simpatizar com o comediante. Eu gostava da esquete do Seu Epitáfio e da Dona Santinha (saudosos Rogério Cardoso e Nair Bello), mas não gosto do Severino e do Nerso, que já citei. E não gosto do Saitama, então como fica?

Eu antes de assistir esse episódio

Eu antes de assistir esse episódio

Eu posso assistir histórias sem gostar dos personagens. Um terço da Sociedade do Anel é de gente que eu não tolerava no começo, mas O Senhor dos Anéis é um épico que me ensinou a respeitar e gostar de todos eles. E quando não tem história? Bom, na verdade há um protótipo de história, e ficaria feliz se ela fosse desenvolvida mas temo que não será, ao invés servindo apenas de escada para mais piadas do Saitama. O Genos tem uma história. Ele veio de um lugar, ele tem um objetivo, e no final desse terceiro episódio apareceu um grupo de agentes no rastro dele. Tem potencial aí, mas já tirei o meu cavalo da chuva e não espero nada. O que vier é lucro.

Eu depois de assistir esse episódio

Eu depois de assistir esse episódio

Voltando ao ponto das comédias repetitivas, como eu já disse é claro que One Punch Man não tem quase nada a ver com programas como as esquetes do Zorra Total além da sua mais básica estrutura. Como um desenho animado, a comparação é muito mais razoável com os clássicos televisivos Looney Toones, Disney e Hanna Barbera, além de outros que tinham fórmula parecida. O Saitama é o arquétipo do invencível, como o Pernalonga ou o Jerry, e desde criança eu nunca gostei dos invencíveis, sempre torci contra. Ele também é passivo-depressivo (o que contrasta com sua invencibilidade, mas a piada perde fôlego rápido), como Bisonho (Ió) da turma do Ursinho Puff (Pooh), o Charlie Brown e o Hardy, de Lippy e Hardy (a hiena do “Ó vida, ó azar”). Eu não gosto nem desgosto desse arquétipo, mas como os exemplos mostram ele é mais comum em personagens secundários de histórias sem ação. As piadas que funcionam em One Punch Man não são as que se repetem, mas as exclusivas do episódio, e é uma pena que sejam tão poucas. Ri de verdade quando o Saitama disse que o Kabuto Carnificina tinha transformado o Genos em arte contemporânea.

Essa hora eu ri

Essa hora eu ri

Esse episódio, como os anteriores, é só repetição ad nauseam das mesmas piadas de sempre. A única diferença aqui é que Saitama foi atrás dos vilões ao invés de esperar eles aparecerem – e isso foi sugestão do Genos, porque o Saitama é passivo demais para tomar atitude. O Saitama pareceu desligado quase o episódio inteiro (se enganou qual era o dia da semana, estava mais preocupado com a promoção no mercado do que em enfrentar os vilões, etc) e, claro, derrotou o vilão com um golpe só. Sugiro a quem for encodar os próximos episódios que adicione o áudio de risos de sitcom a cada piada, pra dar um clima. Você também pode apenas manter aquele instant aberto e clicar, mas se por acaso estiver rindo de verdade acho que não vai se lembrar (mas aí não é problema). Ou enfim, escolha um instant que te agradar mais, tem vários muito bons de risadas no Myinstants.

  1. Um anime não tem que ser profundo com uma história épica pra ser bom. É por isso que eu gosto de One Punch Man, fora toda parte estética ser foda, a história é bem simples, leve, a comédia pra mim é quase no nível de Gintama (sua comparação com Zorra Total foi péssima) e ainda fazem sátiras de outros shonens (como aquele sonho do Saitama, o Genos nesse episódio destruindo todos os andares de uma vez – se fosse um outro anime por exemplo, eles iam subir os 8 andares e blablabla ahuahauhau). O próprio Saitama é uma sátira em si. Enfim, abre um pouco a mente sobre OPM, ele tbm não é o melhor da temporada pra mim, mas acho que rolou muito hate aí.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu nunca disse que precisa de história profunda. Não disse nem que precisava de qualquer história – e isso diferencia, pelo menos até agora, One Punch Man de Gintama, porque o último tem história. Se está rolando hate aqui é seu em relação ao Zorra. Minha provocação foi essa: OPM é comédia sem enredo, como os desenhos ocidentais que citei, como vários animes que eu não citei (Azumanga Daioh, Nichijou, etc), e sim, como sitcoms, Chaves e programas de esquetes com personagens fixos como o Zorra. E isso não é um demérito. Mas comédias assim dependem demais do carisma dos personagens, e eu não gosto do Saitama, o protagonista. A pergunta que tentei deixar no ar foi: por que você gosta de One Punch Man? Por que você gosta do Saitama? Não é tanto uma crítica porque caso resuma-se a isso, gostar ou não gostar do protagonista, não tem muito o que fazer. Quem gosta gosta e quem não gosta não gosta, não existe certo ou errado, melhor ou pior nisso. Se tivesse história a coisa seria diferente. Como eu disse, se eu gostasse da história eu poderia me divertir com isso e até aprender a gostar dos personagens, mas não é o caso de One Punch Man, infelizmente para mim.

    • Fábio "Mexicano" Godoy

      Não concordo, Gintama tem história e inclusive alterna arcos de comédia de absurdo com arcos de ação que não devem nada a nenhum battle shounen. Mas mesmo que fossem iguais, eu gosto do Gintoki mas não gosto do Saitama. O que fazer?

Comentários