[sc:review nota=5]

Gundam Orphans mostra para todo mundo como uma batalha espacial com naves e robôs gigantes deve se parecer. Não vou dizer que nunca vi melhor, longe disso, nem é como se a animação e a coreografia tivessem sido espetaculares, mas para o momento do anime (pouco depois do começo), considerando ainda que é um anime para TV, foi uma batalha sem dúvida empolgante. A carga emocional foi menor do que nas batalhas anteriores porque não tinha nem o peso de um duelo doloroso entre um veterano de guerra e um soldado adolescente nem o desespero de uma batalha de crianças deixadas para trás para morrer contra uma força militar muito mais poderosa. Mesmo assim a batalha desse episódio foi mais divertida. Talvez porque no espaço tudo fica melhor. Talvez justamente por haver pouco envolvimento emocional. Eu não sei, só sei que gostei. O que você achou?

Como já estava escrito nas areias marcianas, o Todo vendeu seus colegas e a nave de transporte foi atacada no espaço. Mas o barrigudo com bigodinho de Hitler não contava que o ataque tivesse acontecido antes de chegarem no espaçoporto, mas se entendi bem ele não foi traído (não por isso, pelo menos), é que a Gjallarhorn preferiu atacar naquele momento ao invés de seguir com o plano da companhia Orcus. Provavelmente ele pretendia se esgueirar e escapar em momento oportuno, mas com o ataque ocorrendo naquela situação ele não tinha para onde ir. De um jeito ou de outro ele foi traído na sequência quando entrou em contato com o Orcus e ele não pensou duas vezes antes de entregar o “parceiro” para quem quisesse ouvir. Orcus não é gordo e não tem esse nome à toa! Ele cresceu comendo amigos e inimigos! Especialmente barrigudos com bigodes ridículos. Mesmo se tudo tivesse sido como o inicialmente planejado, aposto um pastel de feira como o Todo teria saído com uma mão na frente e a outra atrás. Se saísse vivo.

Eu chamei o Orga de ingênuo no artigo sobre o episódio anterior mas agora sou obrigado a me retratar. Ele estava completamente preparado para ser atacado e para ser traído. A nave da Tekkadan não estava aguardando no espaçoporto, mas já a meio caminho quando foi necessária. O Barbatos estava dentro do transporte que os levou para o espaço e o mobile suit que eles capturaram como espólio de batalha estava dentro da nave. Só quero saber agora se ele tem também um plano B para o trajeto que fará até a Terra. Inicialmente seriam guiados pela Orcus, mas obviamente isso não é mais possível. Ele acertou tanto nesse episódio que queda justificado ter passado o tempo inteiro com um sorriso meio bobo meio triunfante no rosto. E todo mundo ali estava preparado para tudo também: Akihiro, Biscuit, Eugene. Mais uma vez enfrentaram uma força maior do que a deles mas saíram vitoriosos. Antes que isso soe absurdo: eles não derrotaram ninguém no sentido literal da palavra, a vitória para eles nesse episódio foi terem conseguido fugir. Fugir não é tão difícil quanto derrotar. É verossímil.

A Kudelia continua disposta a “lutar a própria luta”, que agora ela tem certeza, é exatamente o que ela pretendia fazer em primeiro lugar. A grande diferença foi de mentalidade e vivência. Agora ela conhece mais de perto quem são as pessoas que ela realmente está defendendo, quem é que realmente vai se beneficiar de uma Marte livre. O Nobliss é que não poderia ser, não é? Quero dizer, ele é outro velho gordão, é lógico que não é uma pessoa confiável. Aposto que ele é do tipo de homem de negócios que vai para o lado que der mais lucro. Por enquanto são os independentistas. Vai saber amanhã. O Coral, aquele pateta estressado responsável pela filial marciana da Gjallarhorn, parece querer apenas encher o rabo de dinheiro chantageando o Nobliss. Imagino o quanto ele já não crie dificuldades para empresários marcianos, apenas pare vender facilidades. Mas a água agora tá batendo na bunda e os inspetores estão descobrindo todos os podres de suas operações, o que levou o Coral a responder de forma adequada: atacou os garotos com tanta violência que esperava um de dois cenários, os dois vantajosos para ele – se ela morresse, como os inspetores participaram da operação, a culpa supostamente cairia nas costas deles; se a Kudelia fosse capturada, ele retornaria à sua ideia original de chantagear o Nobliss.

O Mikazuki não tem mais nenhum problema com a Kudelia e os dois estão ficando mais próximos de forma mais ou menos natural. Tendo sentido o cheiro disso à milhas de distância, a Atra deixou tudo para trás e praticamente implorou por um emprego como cozinheira da Tekkadan – no que foi atendida. Agora não acho mais que ela vá morrer. Fecharam a tripulação da nave e só há duas garotas: a Atra e a Kudelia. Bom, tem a assistente pessoal da Kudelia também, mas ela é mais velha, aparece pouco e é irrelevante, quem se importaria se ela morresse? Divido minhas apostas agora em iguais partes entre o Akihiro e o Eugene. Por fim, descobri o que é que o Mikazuki fica comendo o tempo todo: palmeiras marcianas (??). Pra mim continua parecendo ameixa seca, mas que seja. Até semana que vem!

Discussão