[sc:review nota=4]

Não é fácil a vida de herói de nível baixo! Para quem está na classe C, como é o caso do Saitama, é preciso realizar pelo menos um ato de heroísmo por semana. E isso não é simples como parece, já que embora possa ser qualquer coisa heróica, a absurda quantidade de heróis desse nível garante que não há o suficiente para todos os herói de classe C. A competição é feroz! E bom, eu sei que disse “qualquer coisa heróica”, mas acho que ajudar velhinhas a atravessar a rua não conta, mas deve ser tudo acima disso – o Tio da Bicicleta não apareceu pela primeira vez recuperando um balão de uma árvore para uma garotinha? Para o Saitama é ainda mais difícil considerando que ele mora em uma região completamente abandonada da sua cidade …

Eu gosto quando as coisas começam a se encaixar e a fazer sentido. E gosto especialmente quando isso acontece e não aparece ninguém para narrar o óbvio logo em seguida. Em um artigo desses eu questionei (ou se não questionei, eu juro que pensei em questionar e devo ter deixado de escrever isso por um motivo ou outro) como a Associação de Heróis se financia. Fundada originalmente por um ricaço, aparentemente subordinada ou associada a um órgão público ou semi-público, oficialmente os heróis recebem seus pagamentos graças à doações feitas para a associação. Com o número enorme de heróis (e crescendo a cada ano), o negócio não me parecia sustentável. A resposta veio nesse episódio: heróis de nível baixo, que são a imensa maioria, precisam realizar atos heróicos constantemente para não ser expulsos da associação. É algo discutível, mas é compreensível. Ao forçar os classe C a trabalhar de forma constante, justifica-se o pagamento para eles ao mesmo tempo em que se divulga a própria atividade heróica e a associação. Aposto que até mesmo a censura a heroísmo feito por pessoas não associadas tem esse como um dos objetivos: convencer a população de que a Associação de Heróis é necessária, de que não há heroísmo possível fora dela – e com isso turbinar seus esforços de arrecadação de doações. É como se o Sílvio Santos proibisse e censurasse o Criança Esperança e o McDia Feliz.

Chapolim Colorado e outros heróis de classe C (presumo)

Chapolim Colorado e outros heróis de classe C (presumo)

Outra coisa que se explicou nesse episódio foi o fato do Saitama ser pouco conhecido. Ok que ele não era membro da associação, mas ele deveria no mínimo ser conhecido por seus vizinhos, pelas pessoas do bairro. Ocorre que ele não tem vizinhos. Uma enorme região da cidade onde ele mora (incluindo o prédio dele) é deserta, fechada, evitada, e tem a fama de ser antro de monstros. Bom, eu sei de pelo menos um monstro que vive aí faz tempo, né Saitama? Agora fica o mistério se a zona é abandonada por causa do Saitama ou não. Pode ser que sua atitude exagerada tenha causado tanto dano colateral que a população normal fugiu. Pode ser que seu enorme poder tenha atraído monstros e super-humanos poderosos querendo testar seus poderes. Provavelmente é um pouco de cada uma dessas coisas, pois ambas já aconteceram nos episódios anteriores. Ou pode ser que a própria região tenha o poder místico de gerar criaturas super-poderosas, e o Saitama é só mais uma delas (a mais forte, presumo), junto com vários dos monstros que ele já enfrentou. Essa hipótese tem o mérito de explicar a origem do super-poder do Saitama, mas não passa de especulação. Enquanto isso, nos episódios anteriores viu-se: 1) Saitama matando monstros sem a menor preocupação com os arredores e todo o dano colateral que ele causa, 2) monstros irem até o local especificamente por causa do Saitama, e 3) a recorrência do desejo de enfrentar outras pessoas e monstros poderosos para testar o próprio poder, expresso por vários personagens, incluindo o próprio protagonista e o monstro alga desse episódio. Não é de se espantar que a zona onde o Saitama viva seja desolada.

O monstro alga do episódio. Saitama comeu ele no final, literalmente

O monstro alga do episódio. Saitama comeu ele no final, literalmente

Desolado também fica o próprio Saitama cada vez que percebe o quanto é desconhecido e nesse episódio em particular enquanto procurava desesperadamente e sem sucesso por algum heroísmo para fazer. A piada da situação foi o próprio Saitama ter sido confundido com um criador de problemas e atraído outros heróis para lidarem com ele. No fim das contas, ele acabou salvo pelo Sonic que convenientemente o estava importunando e começou a destruir tudo ao redor apenas para provocar uma reação do Saitama, que no entanto demorou a vir porque o que ele tem de forte ele tem de burro e foi preciso muito para ele perceber que parar aquele cara lá que tava destruindo tudo era heroísmo. Boa ação da semana feita, associação garantida por mais um tempo, Saitama pôde voltar para casa e para a irrelevância que ele teve como personagem ativo desse episódio.

A Associação de Heróis parece especialmente preocupada com a região desolada da cidade Z (a do Saitama), e destacou dois heróis de classe A para investigar: Bola Dourada (me pergunto se a tradução estava errada e deveria ser Bala Dourada? Parece combinar melhor com ele) e Bigode Primavera. Bigode Primavera, olha esse nome! O cara é uma figura! Aparência estilo Mandrake, só que muito mais cômico, sem bengala e com um bigode fabuloso. Tendo visto tantos heróis de merda (no sentido de terem uma personalidade de merda) eu não esperava nada desses dois, mas acabei me tornando fã do Bigode Primavera. O Bola Dourada não teve tempo para mostrar muito que tipo de pessoa é, então nem ligo. Mas o Bigode foi sensacional. Em momento algum ele demonstrou soberba (bom, não mais do que sua aparência naturalmente demonstra, mas quem pode criticá-lo apenas por se vestir bem?). Ele foi até lá para fazer um trabalho sério de verdade. E quando ficou claro que o monstro alga era poderoso demais, ao invés de fugir, ele continuou lá e lutou até o fim, em momento algum pensou em abandonar o Bola Dourada desmaiado para trás. Demonstrou experiência e sabedoria também, lutando de forma inteligente contra o monstro, ganhando tempo e chamando por ajuda o quanto antes.

Apareceram outros heróis poderosos nesse episódio também, mas pareceram ser cuzões como a maioria. Por enquanto só estou no fã-clube do Bigode Primavera mesmo. Por fim, um detalhe chamou a atenção: o Tio da Bicicleta é o número 1 na classificação dos heróis de classe C, e segundo os colarinhos-brancos disseram, ele poderia subir para a classe B se quisesse. Mas não quer. Bom, suponho que seja melhor ser o primeiro da classe C do que o último da classe B, não? Mas isso deve representar um problema para os demais heróis de classe C, já que depois de tanto tempo na liderança da categoria ele deve estar sensivelmente acima dos demais, e se apenas o primeiro puder subir de nível, como eu imagino que seja o caso, o Tio da Bicicleta empacado ali atrapalha todo mundo que está atrás. No entanto ele não pareceu má pessoa até agora, então fico a me perguntar suas verdadeiras motivações. O mesmo não posso dizer sobre o Amai Mask, o primeiro da classe A que apareceu no episódio anterior: tenho certeza que ele está lá empatando a vida dos demais heróis que gostariam de subir para a classe S. Isso explicaria inclusive porque a associação se reportou ao Amai Mask e perguntou se ele estava ok com o Genos ter se registrado direto na classe S. Enfim, que bom que One Punch Man finalmente está me dando carne para mastigar, acho que pela primeira vez estou ansioso pelo próximo episódio. Até lá!

Bigode Primavera, meu novo favorito

Bigode Primavera, meu novo favorito

  1. O chapolim e o restante da imagem sao todos rank B ou A si n me falha a memoria, o com marcas amarelas tenho certeza ser rank A, e o que parece artista marcial tb

Discussão