Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Eu tenho problemas, você tem problemas, todo mundo tem problemas! Tá bom, entendi, as pessoas têm problemas. Adolescentes em particular têm muitos problemas, e aqui temos a Tekkadan, em sua nave cheia de adolescentes, pilotada por adolescentes para atingir seus adolescentes objetivos de vida. É bom que seja assim, digo, se não tivessem problema nenhum sequer teríamos uma história, não é? O meu problema com esse episódio é que, na falta de coisa melhor para ganhar tempo enquanto tentam justificar os 25 episódios que o anime está programado para ter, tocaram de forma bem superficial no que incomoda os três personagens principais de Gundam Orphans e fizeram um enorme drama por causa disso. Melodrama. Mari Okada, alguém?

Curta o anime21 no facebook:

Teria sido melhor se ela tivesse matado ou enlouquecido alguém (por motivos melhores do que “não sou forte” ou “não sou líder” o suficiente, por favor). Ao invés, a roteirista deixou sua marca nesse episódio com personagens adolescentes sendo adolescentes demais com suas preocupações monomaníacas (exceto a Kudelia, que ganhou um motivo novo para preocupar-se). Pessoas de verdade fazem isso? Pessoas de verdade fazem isso! E a gente acha um saco, não é? Não dá vontade de bater, gritar, mandar ir carpir um lote? Pois é. Mikazuki, Orga, vão carpir um lote. A avó do Biscuit faria bom uso de dois pares de braços fortes e saudáveis. Estão achando pouco o que conseguiram fazer até agora, por acaso? É verdade, ainda não são perfeitos. Mas deixa eu contar uma coisa pra vocês: nunca serão perfeitos! E se um dia acharem que são perfeitos, não serão perfeitos, serão apenas idiotas narcisistas.

Por que o Orga cola esse trapo na frente da cara? É a última moda adolescente rebelde em Marte?

Por que o Orga cola esse trapo na frente da cara? É a última moda adolescente rebelde em Marte?

Meu ponto sendo: se isso dá raiva na vida real, porque seria divertido em ficção? Bom, se tivesse algo acontecendo por causa disso, ou junto com isso, enfim, se o contexto tornasse interessante. Mas é o caso? Eles não estão nem mais nem menos ferrados do que estavam desde que foram abandonados no começo do anime. Me corrijo: nesse exato instante, a um passo de ganharem a proteção da Teiwaz, eles estão muito menos ferrados do que no passado imediato. Do que no episódio anterior, por exemplo. Vá lá, isso explicaria em parte a neurose do Orga, afinal ele precisa ser um bom negociador para conseguir a proteção da Teiwaz e está inseguro quanto a isso. E o Mikazuki? Só por que teve sua primeira luta difícil? Por favor né, todas as crianças que trabalhavam em regime análogo à escravidão na CGS deveriam saber que nasceram com a bunda virada pra qualquer ponto do universo, menos para a Lua. Por que o Mikazuki acha que seria diferente com ele? Na verdade eu acho que ele foi é muito bem em sua última batalha considerando que o Barbatos estava danificado. É preciso ser muito adolescente mimado para não saber encarar um revés desses. E, repito, mimados é tudo o que esses garotos nunca foram.

Protagonistas de harém não precisam tomar decisão nenhuma, ensina Naze

Protagonistas de harém não precisam tomar decisão nenhuma, ensina Naze

A única que eu realmente compreendo que esteja preocupada é a Kudelia, mas ela é também a que menos pode fazer algo a respeito. Como assim ela se tornou propriedade de alguém? Provavelmente o pai dela a vendeu, não é? Ela já suspeitava que seu pai a houvesse traído, mas não deveria esperar que tivesse ido tão baixo. Ou talvez não esperasse que isso fosse sequer possível. E talvez não seja. Talvez quem a traiu e a tornou uma propriedade seja aquele suspeito benfeitor dela, o que arranjou o dinheiro pra pagar a Tekkadan. Quem sabe se aquele dinheiro veio de graça ou se ela assinou alguma coisa sem ler? De todo modo, ela não pode fazer nada. O Naze sabe mais do que está falando, mas não tem a menor intenção de contar. Talvez não possa contar. Vão precisar tentar a sorte com o chefe dele.

No fim das contas, não vou dizer que foi um episódio ruim. Foi mediano, não me deu sono, não me entediou, foi divertido ver algumas coisas, descobrir outras. Não, nada realmente importante foi revelado, mas o fato de conversarem sobre alguns temas fez eu me lembrar deles e pensar coisas. Por exemplo, eu já tinha visto mas vi de novo: que bicho mordeu a Austrália? Reparou no mapa que aparece durante o episódio? E o Arbrau, o bloco econômico ao qual o pedaço de Marte que a Kudelia representa e onde fica a Tekkadan, é composto apenas pela Rússia e Canadá, enquanto a União Africana por exemplo além de incluir o continente inteiro do qual empresta o nome também inclui toda a Europa com exceção da Rússia e vastas porções da Ásia. E no meio do monte de nada que aconteceu nesse episódio comecei a chamar o Arbrau de Xablau. Me julgue. Enfim, não é problema nenhum personagens terem conflitos, mesmo conflitos bobos, mas acho que é preciso trabalhar isso de uma forma melhor. Quando instado a apontar soluções ou mostrar as consequências dos problemas dos personagens, Gundam Orphans jogou bebês fofinhos na nossa cara para esquecermos de tudo.

Eu só não fiquei com a mesma cara que eles porque já estou acostumado a coisa bem pior vinda de anime

Eu só não fiquei com a mesma cara que eles porque já estou acostumado a coisa bem pior vinda de anime

Comentários