Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Eu disse que o próximo conflito seria da Asuka, não disse? Bom, vá lá, isso era previsível. O conflito dela está em gestação desde a primeira temporada e nessa segunda vem se tornando mais aparente a cada episódio que passa. Como uma brisa que vira vento, um vento forte que não para, seguido de um céu que escurece e enfim a tempestade. Não é preciso ser exatamente o Cacique Cobra Coral para prever uma chuva dessas.

Mas não era tão óbvio assim que esse evento ocorreria em paralelo ao conflito da Mamiko, a irmã mais velha da Kumiko. Pois eu cravei que as duas coisas disjuntas tinham tudo a ver ao final do arco da Nozomi e da Mizore. Lá eu disse:

Desde a primeira temporada que vemos o quanto a Asuka se esforça e como parece haver um futuro sinistro à sua frente. Ela já é uma terceiro-anista, afinal. Terá que abandonar a música? Por causa da família? Muito provavelmente. Agora, pare e pense em outra personagem que é mais velha que a Kumiko, que já foi musicista mas desistiu, e que tem relacionamento tenso com sua família.

Não estou exatamente querendo me gabar (talvez só um pouquinho?), até porque esse episódio foi meio que apenas um interlúdio, nem começou o conflito direito, então ainda pode ser diferente do que eu estou imaginando, e também porque não era exatamente a coisa mais imprevisível do mundo. Faço isso para juntar as pontas, para retomar esse tema. Se bem que, como esse episódio, irei fazer primeiro um interlúdio (que talvez tenha muito a ver com o enredo principal).

Ler o artigo →