Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Fala galera!!!!!! Antes tarde do que ainda mais tarde, mais um post de Gabriel Dropout, essa ótima comédia que está chegando à reta final. Se passou 1 ano das meninas na Terra e elas basicamente só aprenderam a fazer confusões, então vamos comentar sobre mais um episódio.

E ae pessoas!! Gabriel é um anime sempre alegre e com situações normais, mas ao mesmo tempo inusitadas e até nas férias das garotinhas celestiais e demoníacas, sempre têm confusões mesmo elas estando separadas. Nesse episódio nós conhecemos parte da família da maioria das personagens e para variar tivemos mais situações malucas acontecendo.

Esse episódio então teve inúmeras partes e cada uma delas vai ganhar um parágrafo, então vamos a primeira. A família de Gabriel é bem grande, tem os pais e duas irmãs (como deixa a garotinha de uns 5 anos sozinha em casa, que irresponsabilidade) e para poupar pensamento (claro que nem todos poderiam ser filhos únicos, quanto mais personagem, melhor) os autores simplesmente só colocaram a fofa da Haniel, que irmãzinha mais meiga a Gabriel tem, nem consegue ser largada com a irmã de tão fofa que é. Outra coisa a ressaltar é que realmente os brinquedos são do período showa, que compreende os anos de 1927 a 1988. Celular e outras tecnologias não chegaram ao céu ainda. Aliás, quando o cavalinho morreu, ele foi para onde? Anjos morrem? Eles vão para o céu do céu?

A família da Satania, Senhor que família ótima!!! Explica perfeitamente porque a Satania é do jeito que é, os pais dela tem chuunibyou também e até mais grave que ela eu diria (o refletor de luz no começo da cena foi genial). Ainda bem que temos um que salva a família: o irmão da Satania, que é “pé no chão” e sabe que o resto da família dele é maluca. Coitado, está sozinho com uma família em que todos são que nem a Satania, dá para imaginar isso?

A família da Vigne também reflete o comportamento dela. Os pais são bondosos, generosos e bem normais. O destaque da família foi para o cachorro mais meigo do episódio, o pequeninho Chappy, que olha, só está brigando de igual com o cachorro do Melonpan para saber qual é o cachorro mais legal, mas ainda gosto mais do cachorro do Melonpan. Apesar de que o passeio do Chappy colocando o dragãozinho meio Charmander da Satania no “chinelo”  foi digno de um sonoro parabéns, até pareceu que a Vigne era um demônio de respeito com um familiar parecendo tão poderoso.

A família da Raphiel, quem diria ein Raphiel? É muito rica, mora numa mansão, todos são ocupados (até a Raphiel estava cheia de compromissos), provavelmente por isso que não apareceu ninguém (nem foi preguiça dos autores não) e ainda por cima tem um mordomo, a Martiel (se não fosse pela Tapris e Sara, iria jurar que todos os anjos tem nome terminados em -iel ou -el), não um qualquer, mas um digno de fazer frente a mordomo tarada de Seitokai Yakuindomo,  a Dejima, aprendeu tudo direitinho, deve ter sido a mestra dela, altas técnicas avançadas.

Para finalizar tivemos duas cenas da Raphiel com a Gabriel, o relatório, que só por milagre divino elas conseguiram um aumento, as duas não fazem nada de bom, como elas conseguiram esse aumento? Elas parecem que aprenderam algo na Terra, pelo menos a arte de enrolar, deram um migué fabuloso, principalmente a Gabriel que claramente estava falando do seu jogo. E a segunda cena vem de uma história que eu queria ver, a Satania no céu. Isso seria hilário, as besteiras que ela faria seria colossal, até a Gabriel se dispôs a ajudar, também, com o tédio que é ficar sem jogar nada por meses, até de dormir ela se cansou.

=BÔNUS=

A famosa parte onde temos as frases e ações mais interessantes do episódio, vamos conferir:

Bom galera, o post fica por aqui e até a próxima!!!

  1. Este episódio de Gabriel, foi deveras engraçado e interessante, já que mostrou o porquê de certas personagens terem aquela maneira de estar. A família da Satania, é nota, o Chuunibyou reina naquela casa. Os pais ainda são piores que a filha, só o irmão da Satania é que tem os pés no chão, a cara de vergonha alheia dele, em relação à sua família não teve preço. Quem diria que o senhor do Inferno era dono de uma pastelaria, como o destino nos engana. Ficámos a saber o porquê, da Vigne ser tão simpática e doce, ela sai aos pais. Mas melhor ainda, foi o familiar dela, quem diria que aquele pequeno cachorro com asas, se iria tornar um monstro. Por momentos pensei que tinha aparecido um rival à altura do cachorro do melon pan (se bem que nada supera este mito). Mas uma parte que já estava engraçada, por causa do familiar da Vigne, ficou melhor ainda, quando a Dai Yakuma Satania, pediu para o seu familiar exibir os seus truques. Estava tudo bem, até que o Chappy aparece e provoca um ataque ao charmander da Satania. Em momento algum, o pequeno familiar da Satania teria hipótese contra o familiar da Vigne. Ver a Gabriel chegar a casa já foi engraçado por natureza, mas quando ela vê a sua irmã mais nova e larga as coisas no chão e começa a comportar-se como uma delinquente, foi o melhor. O contraste entre a inocência da Haniel e da sua irmã Gabriel, é como a noite para o dia. Eu quero ver a irmã mais velha da Gabriel, a Gab pelo visto tem medo dela, porque será.
    Quem diria que a Rapahiel é rica, aquela mansão, mesmo para os padrões do céu é digna de nota. E quem diria que a Raphiel tinha tantos compromissos a resolver, ser rica e bonita não deve ser fácil. Mas aquilo que me surpreendeu na mansão, foi a mordomo, ela parecia uma Dejima 2.0, ela é uma autêntica depravada e tarada. E meu caro Poketoty, a tua referência à mítica Dejima de Seitokai Yakuindomo é digna de respeito. Quem sabe, se a Martiel não deu umas lições à Dejima, afinal espiar e perseguir é uma arte a ser aprimorada. Por pouco a Raphiel não explodiu, ela já estava a focar chateada com os avanços da sua humilde mordomo, Martiel.
    Como eu gostaria de ter visto a Satania, a dar um passeio no céu, tal coisa daria origem, a uma onda de risada a quem estivesse a ver o anime. A Gab e a Raphi bem pensaram nisso, mas a segurança do céu é muito competente.
    Eu já achava a Gab, muita cara de pau, mas aquela desculpa esfarrapada que ela deu a Deus, foi muito cara de pau. Aquilo que a Gab não faz para ter um aumento, quanto mais dinheiro melhor, mais micro-transacções ela poderá fazer nos jogos. O próprio Deus é um mito, ele emanava uma luz tão pura, que até machucava os olhos da Gab e da Raphi. A maneira como a Raphi pediu a Deus que controlasse a sua luz, foi assustadora. A sessão bónus, como sempre continua muito boa e as legendas nem digo nada.
    Como sempre, mais um excelente artigo de, Gabriel Dropout Poketoty.

    • Poketoty

      Foi muito interessante mostrar a família das personagens, queria ter visto todos os personagens que foram mencionados, mas acho que o motivo que disse foi a razão de não terem mostrado mesmo, como disse muitas das personagens herdaram suas características das suas respectivas famílias e isso foi muito legal de ser observado, mas com certeza os destaques de cada família foram a Haniel, o chappy, os pais da Satania e a Dejima 2.0, a Martiel. Ficou faltando a cena da Satania tentando entrar no céu, queria muito ver isso, foi bem difícil fazer o bônus dessa vez, tem tido episódios com menos falas interessantes, espero que role mais cenas boas nos próximos

  2. Cara, umas coisas me chamaram a atenção nesse episódio, como o Céu de Gabriel Dropout é decadente!
    Desigualdade social: existem ricos e pobres, não há acesso à internet para todos e em casas como a da Gab se brinca com brinquedos antigos e não se come salgadinhos!
    Famílias desunidas e ocupadas demais com o trabalho para receber os filhos que voltam de viagem.

    Enquanto isso, o Inferno pareceu melhor!
    Não só as mães estavam presentes, como os pais também apareceram, o que é uma coisa rara em animes.
    O pai da Satanya não estava preocupado com o trabalho, estava lá curtindo a loucura junto com a filha e a esposa.

    No mundo de Gabriel Dropout, parece que é melhor ir pro Inferno… xD

Comentários