Essa semana, Saredo Tsumibito wa Ryuu to Odoru entregou mais um episódio que vem seguindo a sua linha: meio morno. Os acontecimentos não passam nenhuma emoção e a história se torna cada vez mais chata de se entender, mas enfim, vamos à análise.

Na parte inicial, tivemos uma apresentação um pouco mais detalhada de Remedius Levvi. A sua habilidade de pesquisador de armas o salvou de ser morto. Um conhecimento bastante vasto, que deixou todos aqueles que pensavam em matá-lo com um pé atrás e passando a ver que o prisioneiro poderia ter alguma utilidade para eles.

Após isso, a Avó de Levvi, que tinha marcado de negociar a sua liberação, foi até o ponto marcado. Mas, ao chegar lá descobriu que havia sido enganada e que o grupo apenas pegaria o dinheiro e iria embora. Algo bastante curioso é que aquela pessoa que estava no colo do terrorista dificilmente poderia ser Levvi, pois ele apareceu em outro lugar acompanhado de outro grupo, ou seja, mesmo com um teste dizendo quase com exatidão que era Levvi, na verdade não era ele. A não ser é claro, que ele consiga estar em dois lugares ao mesmo tempo.

A equipe montada pra resgatar Levvi.

A fuga do ponto marcado ficou na costa de nossos protagonistas, que tiveram que defender a contratante de seus serviços. O inimigo ZhuoLuo mostrou um grande poder ao derrotar todos os seguranças da Senhora Levvi, com apenas um golpe de seu Jushiki. Gayus, Gigina e a Avó de Remedius se salvaram por pouco.

Por não conseguir trazer Remedius o trabalho de Gayus e Gigina não foi cumprido, o que os faz presos nessa história até o pescoço. Um dos agentes que trabalharam com eles na segurança poderia ser um traidor e isso foi mencionado à senhora Levvi. É incrível como a traição política nesse anime acontece a todo instante.

Lá mais para o meio do episódio mais dois jushikiitas foram apresentados e deverão ajudar Gayus e Gigina em outro caso, o da “festa noturna”. Ambos são do 12° grau, ou seja, mais fracos que nossos protagonistas, no entanto com poderes interessantes e personalidades bem peculiares. Iryu, uma jushikiista de ilusão óptica, com uma personalidade que varia de acordo com seu humor, podendo estar muito brava ou atirada em determinados momentos. Já Jabeira mostrou ter bastante ciúme da habilidade de Gigina e aparenta ser um cara teimoso, sua jushiki tem poderes interessantes.

O poder do Jushiki de Jabeira.

Já na parte final do episódio, os organizadores da festa noturna deram uma provinha do que são capazes à equipe de Gigina e companhia. Eles invadiram o quartel de forma bem simples, mataram alguns dos seguranças de lá e depois ainda trocaram um diálogo com a equipe, onde basicamente se apresentaram e falaram um pouco de seus planos. Um fato curioso é que o anel que o Cardeal Mouldeen deu a Gayus chamou muito a atenção dos vilões, que não entenderam o porquê daquela relíquia sagrada estar nas mãos daquele jushikiista, o nome dessa peça sagrada é o “O olho do cosmos”. A data para abrir as cortinas do seu show noturno também foi estipulada, o que deve acontecer em três dias.

A relíquia nas posses de Gayus ainda é fruto de questionamento.

Bom, essa foi a análise do episódio 7 de Saredo Tsumibito wa Ryuu to Odoru, o qual venho esperando desde de seu princípio que me apresente algo de diferente e que busque conquistar o público. Mas, infelizmente a história vem se tornando cada vez mais monótona e com poucas batalhas ou momentos que compensem isso. Enfim, espero que a obra ainda consiga melhorar, que o autor passe a entender que apenas batalhas toscas e uma história difícil de entender não constrói um bom anime, do jeito que está vai para o registro de obras que podem ser esquecidas.

Discussão