É natal! Não, sim, quem liga? Mas e a festa? Vamos à festa!

Final de ano é uma correria, uma maratona, uma saga de esforço árduo para entregar a vida ao destino. Kakushi e sua equipe, os quais são, respectivamente, a loira sarcástica, a loli pincel, o braço quebrado e o pequeno apagador, anseiam pelo fim do trabalho.

Já avisados pelo grande chefe, a comemoração não é desejável, pois nosso protagonista não gosta de se destacar. O risco é grande demais, o segredo é denso como neblina em colina na serra. Mas como não amolecer frente à ânsia por redenção de seus assistentes. É um dilema complexo.

 

 

Por outro lado, temos a grande crise editorial, a emprega não vai bem das pernas, e devido a isso a tão esperada festa de fim de ano é um fardo demasiado para ela efetivar. A alma de seus fiéis ajudantes não pode ser maculada. Uma meia verdade é equivalente a uma meia mentira, mas uma motivação não tem preço. Com isso em mente, o mestre Kakushi se empenha para manter a moral da tropa em alta. Eles não sabem o que os espera, mas o não saber é o melhor dos sabores amargos da vida.

Infelizmente o seu editor, um ser lastimável e vil, revela a verdade. Uma bala ao peito dos coitados apoiadores. Um precipício de tristeza abala o coração de nossos destemidos amigos. Entretanto, por sorte, a assistente de olhos brilhantes e cabelos dourados, revela o seu plano secreto. Por que não ir para a festa da concorrência?

 

 

Mestre, seu título e seu emblema, descobre que o seu cargo paterno e seu segredo mais íntimo podem ser mantidos em uma situação tão adversa como migrar para a festa de outra empresa. Sua querida filha, nossa Hime, merece o festejo com o maior dos lustres nobres dos contos de fadas. A família pode efetivar um final de ano único e inesquecível, mesmo que o virtuoso mestre tenha grande receio em se expor de tal modo, o risco vale a pena.

Sabotagens infames efetivadas por seu editor não abalam o seu resoluto e íntegro caráter, mesmo os equívocos que assume, ainda assim não aplacam o seu sólido semblante. Como um cavaleiro e uma barreira intransponível, protege sua Hime junto ao território hostil da sociedade decadente que a circunda.

 

 

Kakushi oferece o corpo e as roupas em sacrifício, mas garante a segurança e a completa felicidade de sua adorável filha. Pune o seu editor sem noção e aplaca a promessa feita junto a sua gloriosa equipe tudo de uma única vez. Grande homem, grande dia.

A mensagem natalina que ecoa pelos nossos sentimentos ao presenciar a superação de todos os obstáculos por nosso mestre, que renasce em conflito, que adoece, mas nunca se rende. Seus feitos não serão esquecidos, seu passado e seu presente iluminam o reconhecimento de todos aqueles que o conhecem. É o momento de confraternizar,  descansar e celebrar os êxitos da jornada.

Mais um incrível episódio que nos apresenta a melhor árvore de natal cinderela de nossa Hime, e nos oferece a esperança de um futuro. O que será que aconteceu com nosso protagonista no futuro onde o seu assistente do braço quebrado vira balconista de mercado?

 

Comentários