Yashahime: Princess Half-Demon (Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi) é o novo anime do umiverso de Inuyasha focado nas filhas do Inuyasha e de seu irmão, Sesshoumaru, resolvendo problemas relacionados a youkais.

É o Boruto de Inuyasha? De certa forma sim. E baseado em alguma coisa? Não. É bom? É. Dá para assistir mesmo sem ter visto Inuyasha (ou sem ter visto tudo direitinho)? Eu acho que sim, mas não sei daqui em diante. Se for fã dê uma chance. Vamos falar um pouco sobre essa Princessa Meio-Youkai?

Towa é uma das filhas de Sesshoumaru, a outra é Setsuna, e como fica claro na prévia do próximo episódio, elas se separaram, se reuniram após dez anos e trabalham como caçadoras de youkais junto da prima, Morona, filha de Inuyasha e Kagome. Você deve estar se perguntando, por que a prévia diz isso?

Por que a prévia e não o próprio episódio? Me parece bem claro que a intenção era vender o anime usando a imagem dos personagens clássicos, mas não sei se foi a melhor ideia.

Afinal, Inuyasha e companhia não devem ter tanto tempo de tela todo episódio (não mesmo) e, ainda que o youkai dessa estreia vá aparecer depois (pelo menos isso deve acontecer), sua participação vai ser tão importante para justificar todo esse tempo dedicado a ele? Mesmo que seja…

Com certeza a intenção era segurar o telespectador que gosta de Inuyasha pelo pescoço e “convencê-lo” a assistir esse derivado que, narrativamente falando, não me parece necessário, mas qual envolvendo os filhos é?

Menos mal que o episódio (que em si é um caso do passado dos protagonistas) é bom e as novas heroínas sào simpáticas, além de me agradar a principal ser a filha do Sesshoumaru e não do Inuyasha. Ela ter viajado no tempo também é uma ideia legal, afinal, “agitou” a relação das irmãs.

Mas uma coisa que me incomodou quando li sobre a Morona, na descrição da personagem diz que ela não conviveu muito com os pais, o que, como alguém que shippou demais Inuyasha e Kagome, me deixa um pouco chateado. Não poderia ser como Boruto em que os personagens antigos estão todos em paz?

Enfim, o caso do Cabeça de Ossos foi muito legal de acompanhar pela presença de todos aqueles personagens que eu adoro, e imagino que você curta ao menos um pouco também, já com a vida mais estável, até mesmo tendo filhos, como o Miroku e a Sango, com duas meninas super fofas e um bebê de colo que dificilmente não vão amolecer seu coração (amoleceram o meu), além disso, até a Rin aparece…

Não vi Inuyasha direito, não vi o final do anime, então não sei com quem o Sesshoumaru havia deixado a Rin, mas de uma coisa eu tenho certeza, a história dele ter duas filhas e a suposta mãe ser a Rin causou um baita rebuliço na comunidade otaku.

O qual eu compreendo e do qual não discordo, mas aqui fica a pergunta (eu não sei, se souber peço que me conte), a informação de quem é a mãe foi confirmada? E se foi, foram esclarecidas as circunstâncias?

Não sei de nenhum detalhe sobre o assunto, então não me sinto a vontade para falar. No máximo questiono a falta de bom senso em arrumar as filhas e não falar da mãe.

Porque no caso do Inuyasha todo mundo sabe que a mãe é a Kagome e ela era uma adolescente que virou mulher até o final da série, já a Rin é criança…

Para a idade dos filhos dos irmãos baterem não sei em que época eles nascimentos, apesar de que o problema maior nem seria esse e sim a relação da Rin com o youkai, algo mais próximo de uma relação de pai e filha que de homem e mulher.

Infelizmente, não li/vi o suficiente da história para poder comentar isso com propriedade, mas fica aqui o registro de que eu não ignoro a questão, só me falta condições para ter uma posição consistente sobre um assunto tão delicado.

Quanto ao Cabeça de Ossos, que youkaizinho mais persistente esse, né? Me parece óbvio que a Towa e as outras vão cruzar com ele, só não sei o que de tão grande ele pode fazer se era um youkai fraco.

Exceto se ele tiver se fortalecido no poço e assim ter se tornado um youkai bem mais poderoso e perigoso, aliás, provavelmente é o caso. Ainda assim, havia a necessidade de começar por esse “episódio 0”?

Menos mal que no fim as heroínas são apresentadas e dá para ver um pouco como as três são, apesar de ser só na prévia que se esclarecem mais coisas.

Eu tenho a impressão de que o anime pode ser divertido e não fazer feio em comparação a história da qual é derivado, mas não consigo deixar de me incomodar com a abordagem dessa estreia e a polêmica que o anúncio gerou de imediato.

Além disso, não é uma adaptação de uma história que a autora (a mestra Rumiko Takahashi) quer contar, então dá até para considerar um universo paralelo se quiser (eu quero).

Porque fiquei bem satisfeito com o “final feliz” que vi de soslaio no anime, mesmo sem beijo, então eu não queria acompanhar outra história na qual exista uma chance de que esses personagens não tenham tido a vida mais tranquila que, como fã (ainda que um bem irregular), gostaria de saber que tiveram.

Se eu quiser ver a Kagome fazendo o Inuyasha sentar eu vou no youtube, apesar de ter adorado essa cena, traz uma nostalgia gostosa, me lembra de quando via o anime na Globo com a primeira abertura (Mudar o mundo) e o primeiro encerramento (Meu Desejo) que eu adoro.

Por fim, Towa, Setsuna e Morona ainda têm muito a mostrar se a intenção é fazer do anime um sucesso. A primeira impressão não é ruim, mas é prejudicada pela falta de tempo dada as personagens, algo que deve ser corrigido a partir do segundo episódio, que você vai ver?

Eu vou assistir, não foi assim tão difícil de me convencer, seja pelos personagens dos quais eu já gostava ou pelas que devo aprender a gostar.

Até a próxima!

Comentários